DO CINEMA PARA A LITERATURA: a hibridização midiática através do diálogo entre o filme Dancer in the Dark, de Lars von Trier, e o romance Das nackte Auge, de Yoko Yawada

Thaís Gonçalves Dias PORTO, Natalia Corrêa Porto Fadel BARCELLOS

Resumo

Em Das nackte Auge, Yoko Tawada conta a história de uma jovem vietnamita que, devido a um engano, desembarca na cidade de Paris, onde, impossibilitada de se comunicar com o mundo exterior, encontra no cinema, mais especificadamente nas personagens interpretadas por Catherine Deneuve, um local de refúgio e identificação. As narrativas dos filmes vistos pela personagem contaminam de forma progressiva a narrativa do romance, culminando no último capítulo intitulado Dancer in the Dark, referência ao filme de Lars von Trier, cuja interferência cria uma terceira narrativa. Tal construção intermidiática, típica da literatura contemporânea, é apresentada no romance com o objetivo de suscitar questões acerca da identidade do sujeito do tempo presente e do seu olhar (desnudo) sobre o estranho, o estrangeiro.

Palavras-chave

Literatura contemporânea; Cinema; Identidade; Intermidialidade.

Texto completo:

PDF