Da estrada ao mergulho: o sertão contemporâneo de Viajo porque preciso, volto porque te amo.

Márcia Vanessa Malcher dos Santos

Resumo

Este trabalho propõe uma análise do filme Viajo porque preciso, volto porque te amo (Karim Aïnouz; Marcelo Gomes, 2010), que se passa no sertão, tema historicamente herdado da literatura e que se tornou também central para o cinema nacional. O objetivo é mapear como as formas de tempo e espaço estão assimiladas no longa. Para isso, baseia-se no conceito de cronotopo, cunhado por Mikhail Bakhtin. A análise propõe que o filme de Marcelo Gomes e Karim Ainouz atualiza o tema ‘sertão’ e demonstra aspectos relevantes da visão de homem na contemporaneidade. 

Palavras-chave

Literatura; cinema; Arte e Comunicação

Texto completo:

PDF