Josefina Alvares de Azevedo e a peça teatral 'O Voto Feminino': a escrita como instrumento de luta

Mônica Karawejczyk

Resumo

O objetivo desse artigo é o de apresentar Josefina Alvares de Azevedo, proprietária e redatora de um jornal no final do século XIX intitulado A Família e, através da análise de sua primeira peça teatral, O Voto Feminino, destacar o papel da escrita como instrumento de luta feminina. A peça enfatiza os principais argumentos pró e contra a inserção das brasileiras nas lides eleitorais, expondo algumas questões que estavam em voga na época sobre a polêmica questão. Assim se procura enfatizar a perspectiva de uma mulher sobre a questão da inserção feminina no mundo público e político no final do século XIX. A temática exposta na peça conserva sua atualidade ao inquirir sobre questões que, mais de um século depois de sua exposição, continuam polêmicas e sem solução. A baixa participação das mulheres na vida política nacional figura, no século XXI, como uma das preocupações atuais de pesquisadores e tem sido, inclusive, alvo de medidas governamentais que procuram estimular o acesso às vias tradicionais do poder com a estipulação de cotas para as mulheres nos partidos políticos. Tal fenômeno se manifesta em termos nacional, estadual e municipal, mostrando a atualidade dos questionamentos propostos por Josefina Alvares de Azevedo na sua obra.

 

Palavras-chave

emancipação feminina; Josefina Alvares de Azevedo; participação política; voto feminino.

Texto completo:

PDF