NADA, FAZ DE CONTA, NOSSA CONDIÇÃO, NEM TANTO

Ana Maria Albernaz

Resumo


Nas experiências da liminaridade e da aprendizagem, no impulso mítico que

propicia horizonte e catábase encontramos as possibilidades de leitura do conto “Nada e

nossa condição”. O homo viator explicitamente é Tio Man’Antônio: “transitório”,

“transitoriante”, “transitoriador”, muitos modos que é denominado, e nos mostra seu

caminho.


Palavras-chave


Guimarães Rosa; Nada; Pensamento; Homem.

Texto completo:

PDF PDF


Direitos autorais 2007 Autores mantêm os direitos autorais e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob CC-BY-NC-SA 4.0 que permite o compartilhamento do trabalho com indicação da autoria e publicação inicial nesta revista

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.