A GUERRA CIVIL E O PÓS-GUERRA ESPANHOL NA FICÇÃO: O ROMANCE LAS TRECE ROSAS

Patrícia Dal’moro Mendes, Adriana Aparecida de Figueiredo Fiuza

Resumo


As representações que intercruzam histórias ficcionais com histórias baseadas em perspectivas reais são comumente percebidas em tramas de cinema e literatura. Las trece rosas, romance (2003), possui a presença da história em sua composição ficcional. Nosso trabalho objetiva apontar os aspectos históricos encontrados na obra, analisar e refletir sobre a história e as memórias contidas no romance, especificamente, na forma como as narrativas configuram as personagens conhecidas como as treze rosas e respectivamente os acontecimentos históricos que acarretaram na prisão e na morte das protagonistas. Analisamos aspectos relacionados às personagens históricas nas quais a obra é baseada e nos acontecimentos históricos da época ligados às protagonistas. Nossas exposições e análises foram elaboradas a partir de estudos bibliográficos, considerando contexto histórico de Guerra (1936-1939) e pós-guerra Civil Espanhola (1939-1975). Percebemos, por meio das pesquisas destinadas a este trabalho, que a história e as memórias de uma nação são importantes para o desenvolvimento de uma identidade social e podem proporcionar às artes uma nova forma de compor as ficções. As treze rosas representam as vozes femininas e anônimas das vítimas do regime imposto, portanto, recuperar estas vozes é buscar a identidade perdida no passado.


Palavras-chave


Literatura Española, Guerra Civil Española, Las trece rosas

Texto completo:

PDF


Direitos autorais 2013 Autores mantêm os direitos autorais e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob CC-BY-NC-SA 4.0 que permite o compartilhamento do trabalho com indicação da autoria e publicação inicial nesta revista

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.