AVALIAÇÃO DO CONTROLE DE QUALIDADE DE PRODUTOS DE FRUTAS E HORTALIÇAS

Autores

  • Felipe de Lima Franzen
  • Janine Farias Menegaes
  • Leadir Lucy Martins Fries
  • Mari Silvia Rodrigues de Oliveira
  • Marlene Terezinha Lovatto
  • Tatiane Codem Tonetto
  • Henrique Fernando Lidório
  • Marialene Manfio

DOI:

https://doi.org/10.48075/actaiguaz.v5i2.15503

Resumo


O controle de qualidade dos produtos passou a ser essencial para a indústria de alimentos, sobretudo, no processamento de frutas e hortaliças. Em que o gerenciamento das etapas produtivas busca evitar perdas e contaminações dos alimentos processados. Neste contexto, o objetivo do trabalho foi avaliar o controle na qualidade dos processados de vegetais, como, doce cremoso, geleias, molhos, chutney e relish. Foram realizadas análises fisicoquímicas (atividade de água e pH) e microbiológicas (contagem de microrganismos mesófilos aeróbios e de bolores e leveduras). Observou-se variação na atividade de água dos produtos forma de 0,71; 0,92; 0,96; 0,97 e 0,99 para geleia de cebola, doce cremoso, chutney, relish e molho de tomate, respectivamente. E, os valores de pH variaram de 3,34 e 3,87 para geleia de cebola e doce cremoso e 4,15 e 5,39 para chutney e molho de tomate, respectivamente. Os resultados microbiológicos mostraram que o doce cremoso apresentou maior contagem de bolores e leveduras (2,079 log UFC g-1), mas todos os produtos apresentaram as mesmas contagens de microrganismos mesófilos (< 1 log UFC g-1). Deste modo, conclui-se que todos os produtos analisados estão dentro dos padrões de qualidade segundo as legislações, ou seja, todos estão aptos para o consumo.

 

Downloads

Publicado

01-01-2000

Como Citar

DE LIMA FRANZEN, F.; FARIAS MENEGAES, J.; MARTINS FRIES, L. L.; RODRIGUES DE OLIVEIRA, M. S.; TEREZINHA LOVATTO, M.; CODEM TONETTO, T.; FERNANDO LIDÓRIO, H.; MANFIO, M. AVALIAÇÃO DO CONTROLE DE QUALIDADE DE PRODUTOS DE FRUTAS E HORTALIÇAS. Acta Iguazu, [S. l.], v. 5, n. 2, 2000. DOI: 10.48075/actaiguaz.v5i2.15503. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/actaiguazu/article/view/15503. Acesso em: 8 ago. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS CIENTÍFICOS