INFLUÊNCIA DE LOCAIS E ÉPOCAS DE SEMEADURA NA QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE CULTIVARES DE SOJA

Autores

  • Elizangela Selma da Silva
  • Marco Antônio Camillo de Carvalho
  • Rivanildo Dallacort
  • Mariana Pina da Silva
  • Rodinei Batista de Oliveira

DOI:

https://doi.org/10.48075/actaiguaz.v5i3.15858

Resumo


Épocas de semeadura condicionam variações no ambiente em que a cultura se desenvolve, podendo causar efeitos significativos na qualidade fisiológica e sanitária das sementes. Avaliou-se a influência das épocas de semeadura na qualidade fisiológica das sementes de soja. Foram utilizadas sementes de seis cultivares de soja (AS 7307 RR, ANTA 82 RR, TMG 1179 RR, P98Y30 RR, TMG 132 RR e M-SOY 9144 RR) provenientes de quatro épocas de semeadura (05/10/12, 20/10/12, 05/11/12, 20/11/12) e em dois municípios (Tangará da Serra e Diamantino). A colheita foi realizada de forma manual na fase de maturação da cultura (R8). O delineamento experimental utilizado em laboratório foi o inteiramente ao acaso, em arranjo fatorial 2x4x6, totalizando 48 tratamentos com quatro repetições cada. Para avaliação da qualidade fisiológica das sementes foram realizados testes de germinação, índice de velocidade de germinação (IVG), emergência e índice de velocidade de emergência (IVE). Os resultados obtidos foram submetidos à análise de variância, sendo as médias comparadas pelo teste Tukey, a 5% de probabilidade, utilizando o software SISVAR para processamento dos dados. A quarta época de semeadura foi a que proporcionou os melhores desempenhos para os testes de germinação, IVG e IVE, independentemente do local de cultivo e cultivar. As condições ambientais influenciaram a qualidade fisiológica das sementes produzidas nas três primeiras épocas avaliadas.

 

Downloads

Publicado

01-01-2000

Como Citar

DA SILVA, E. S.; CAMILLO DE CARVALHO, M. A.; DALLACORT, R.; PINA DA SILVA, M.; BATISTA DE OLIVEIRA, R. INFLUÊNCIA DE LOCAIS E ÉPOCAS DE SEMEADURA NA QUALIDADE FISIOLÓGICA DE SEMENTES DE CULTIVARES DE SOJA. Acta Iguazu, [S. l.], v. 5, n. 3, p. 83–98, 2000. DOI: 10.48075/actaiguaz.v5i3.15858. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/actaiguazu/article/view/15858. Acesso em: 18 ago. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS CIENTÍFICOS