POTENCIAL ENERGÉTICO DOS SUBPRODUTOS VINÍCOLAS NO PLANALTO CATARINENSE

Autores

  • Willliam Gouvêa Buratto
  • Matheus Vitor Diniz Gueri
  • Camilo Bastos Ribeiro
  • Geovanny Broetto Besinella
  • Jozomar Ferreira Junior

DOI:

https://doi.org/10.48075/actaiguaz.v5i5.15984

Resumo


O Planalto Catarinense se caracteriza na produção vinícola por meio da fabricação de vinhos finos de altitude, sendo que após os processos de produção surgem os subprodutos vinícolas os quais correspondem aproximadamente 20% do peso total de uva, sendo representados principalmente pelo bagaço, engaço e semente de uva que são resíduos de alto potencial energético. O objetivo do presente estudo é estimar o potencial energético destes  subprodutos vinícolas, sendo avaliadas as tecnologias de combustão convencional, gaseificação e combustão de biogás, verificou-se a energia gerada para cada subproduto, analisando que o bagaço e a semente proporcionam a maior produção de eletricidade, o bagaço por ser o subproduto de maior representatividade e a semente por apresentar um alto poder calorífico, o engaço também representa um subproduto de alto potencial energético, no entanto é utilizado para alimentação de criação animal. Desse modo avalia-se que o munícipio de São Joaquim pode apresentar viabilidade econômica no aproveitamento destes resíduos principalmente por sua majoritariedade na produção de uvas viníferas na região.

Downloads

Publicado

01-01-2000

Como Citar

GOUVÊA BURATTO, W.; DINIZ GUERI, M. V.; BASTOS RIBEIRO, C.; BROETTO BESINELLA, G.; FERREIRA JUNIOR, J. POTENCIAL ENERGÉTICO DOS SUBPRODUTOS VINÍCOLAS NO PLANALTO CATARINENSE. Acta Iguazu, [S. l.], v. 5, n. 5, p. 183–194, 2000. DOI: 10.48075/actaiguaz.v5i5.15984. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/actaiguazu/article/view/15984. Acesso em: 8 ago. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS CIENTÍFICOS