Efeito da temperatura na germinação de sementes de diferentes genótipos de Carthamus tinctorius

Autores

  • Andréia Rodrigues Ramos Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP/Botucatu
  • Girlânio Holanda da Silva Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP/Botucatu
  • Gisela Ferreira Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP/Botucatu
  • Mauricio Dutra Zanotto Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP/Botucatu

DOI:

https://doi.org/10.48075/actaiguaz.v7i1.16415

Palavras-chave:

Cártamo, regime térmico, análise germinativa

Resumo


A cultura do cártamo vem sendo cultivado extensivamente em vários países do mundo. É uma espécie oleaginosa que apresenta alto teor de óleo de alta qualidade, sendo utilizado para diversas finalidades, como para fins industriais, alimentação de bovinos, pássaro e ganhando maior ênfase em pesquisas. No entanto, o cártamo é pouco conhecido no Brasil, os trabalhos são escassos e acaba gerando questionamentos sobre a viabilidade de seu cultivo. Diante de tal situação, objetivou-se determinar a temperatura ideal para germinação de sementes de cártamo. Foram utilizadas sementes de três genótipos de cártamo (7329, S-325 e 2106). O delineamento experimental adotado foi inteiramente casualizado, com os tratamentos distribuídos em esquema fatorial 6 x 2 (temperaturas x hipoclorito de sódio), com três repetições de 25 sementes cada. Os tratamentos constituíram-se pela combinação entre seis temperaturas (15, 20, 25, 35, 45 e 20-30ºC), com ausência de fotoperíodo (sem controle). Avaliou-se através do teste de germinação, velocidade de germinação, uniformidade de germinação e o tempo médio de germinação. Conclui-se que a temperatura influencia na germinação das sementes de genótipos de cártamo, assim verificou-se que temperaturas acima de 45 ºC prejudicam tanto a G%, T50, T2575 e TMG. A faixa de temperatura entre 15 ºC e 30 ºC mostrou-se favorável á germinação das sementes de cártamo, com percentagens acima de 70%.

Biografia do Autor

Andréia Rodrigues Ramos, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP/Botucatu

Graduada em Agronomia pela Universidade Estadual De Mato Grosso do Sul (2012), Campus de Cassilândia ? MS. Mestrado em Agronomia (Produção Vegetal) pela Universidade Federal de Goiás (2015), Regional Jatai-GO. Atualmente doutoranda em Agricultura pela a Universidade Estadual Paulista "Julio de Mesquita Filho", campus Botucatu. Tem experiência na área de Matologia, Produção e Tecnologia de Sementes, atuando principalmente no Melhoramento Vegetal de espécies oleaginosas.

Girlânio Holanda da Silva, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP/Botucatu

Atualmente faz Doutorado pelo programa de Pós-Graduação em Ciência Florestal da Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (UNESP). Mestre formado no Programa de Pós-Graduação em Ciências Florestais pela Universidade Federal de Lavras (UFLA), Minas Gerais, Brasil (Ingresso: 2014.1; Término: 2016.1). Engenheiro Florestal formado no Centro de Saúde e Tecnologia Rural da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), Campus de Patos - PB, Brasil. (Conclusão de curso: 2013.1). Desenvolveu vários projetos de pesquisa com os professores: Rivaldo Vital dos Santos, Assíria Maria da Nóbrega Lúcio, José Elenildo Queiroz, Carlos Roberto de Lima, Diércules Rodrigues dos Santos, Lúcio Valério Coutinho de Araújo, Jacob Silva Souto, Gilvan José Campelo, Patrícia Carneiro Souto, Antônio Lucineldo de Oliveira Freire. Apresenta como áreas de atuação: Recuperação de Áreas Degradadas, Dendrometria e Inventário Florestal, Nutrição Florestal, Sementes Florestais e Patologia Florestal. Estagiou em empresas Internacionais fora do país como: Loma Vista Nursery (Estados Unidos da América), Ein Hashelosha (Israel). Publicou vários artigos em periódicos nacionais e diversos projetos de pesquisa em congressos nacionais e internacionais. Foi o aluno laureado de sua turma.

Gisela Ferreira, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP/Botucatu

Docente do Departamento de Botânica, Instituto de Biociências (IB), Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (UNESP), câmpus de Botucatu - SP, na área de Fisiologia Vegetal. Pós-doutorado realizado na Universidad de Ciencias y Artes de Chiapas - UNICACH, México. Livre-docente com tese intitulada: Reguladores vegetais na superação da dormência, balanço hormonal e degradação de reservas em sementes de Annona diversifolia Saff. e A. purpurea Moc. & Sessé ex. Dunal (Annonaceae). Presidente da Associação Brasileira de Produtores de Anonáceas, presidente da Sociedade Internacional de Anonáceas e do Congresso Internacional de Anonáceas - 2013. Tem experiência na área de Fisiologia Vegetal, atuando principalmente nos seguintes temas: reguladores vegetais, fisiologia da germinação e dormência de sementes, fisiologia da propagação de anonáceas e passifloráceas.

Mauricio Dutra Zanotto, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP/Botucatu

Possui graduação em Engenharia Agronômica pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1979), mestrado em Agronomia (Genética e Melhoramento de Plantas) pela Universidade de São Paulo (1986) e doutorado em Agronomia (Genética e Melhoramento de Plantas) pela Universidade de São Paulo (1990). Atualmente é Professor Assistente Doutor da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Melhoramento Vegetal, atuando principalmente nos seguintes temas: Oleaginosas, Mamona, Milho, Amendoim, Híbridos e Cultivar.

Downloads

Publicado

05-03-2018

Como Citar

RODRIGUES RAMOS, A.; HOLANDA DA SILVA, G.; FERREIRA, G.; DUTRA ZANOTTO, M. Efeito da temperatura na germinação de sementes de diferentes genótipos de Carthamus tinctorius. Acta Iguazu, [S. l.], v. 7, n. 1, p. 22–31, 2018. DOI: 10.48075/actaiguaz.v7i1.16415. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/actaiguazu/article/view/16415. Acesso em: 8 ago. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS CIENTÍFICOS