Análise conjunta de atributos físicos e biológicos do solo sob sistema plantio direto no Cerrado

Autores

  • Rogério Ferreira da Silva
  • Irzo Isaac Rosa Portilho
  • Adriana Maria de Aquino
  • Auro Akio Otsubo
  • Anderson de Souza Gallo
  • Maria de Fátima Guimarães

DOI:

https://doi.org/10.48075/actaiguaz.v7i1.16489

Palavras-chave:

Diversidade, estrutura do solo, macrofauna de solo, perfil cultural

Resumo


O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito do sistema plantio direto (SPD), estabelecido há oito anos no Cerrado, sobre os atributos morfológicos, físicos e biológicos do solo. O experimento foi em Latossolo Vermelho distroférrico típico. Foram avaliados os seguintes sistemas: monocultura com sistema convencional de preparo do solo, SPD com diferentes rotações de culturas (soja/nabo, soja/trigo e milho/aveia) e vegetação nativa. Em cada sistema, foi aberta uma trincheira com o intuito de detectar as modificações morfológicas provocadas pelos diferentes manejos com uso do método do perfil cultural. Os macroinvertebrados do solo foram avaliados conforme o método “Tropical Soil Biology and Fertility”. Utilizaram-se, ainda, amostras de solo indeformadas para avaliação dos atributos físicos do solo. As melhores condições morfologicas do solo foram verificadas nas camadas mais superficiais do SPD, com presença abundante de bioporos e galerias em todo o perfil. A riqueza de macroinvertebrados aumenta com a melhor estruturação física do solo. Por outro lado, a maior densidade do solo reduz o número de indivíduos e ordens. O SPD conduzido em rotação (soja/nabo) favorece a biodiversidade e as funções ecológicas do solo, podendo ser uma estratégia promissora para sistemas de produção sustentáveis na região do Cerrado.

 

Downloads

Publicado

11-03-2018

Como Citar

SILVA, R. F. da; PORTILHO, I. I. R.; AQUINO, A. M. de; OTSUBO, A. A.; GALLO, A. de S.; GUIMARÃES, M. de F. Análise conjunta de atributos físicos e biológicos do solo sob sistema plantio direto no Cerrado. Acta Iguazu, [S. l.], v. 7, n. 1, p. 60–74, 2018. DOI: 10.48075/actaiguaz.v7i1.16489. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/actaiguazu/article/view/16489. Acesso em: 18 ago. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS CIENTÍFICOS