Comportamento agronômico de cultivares de videiras finas em diferentes épocas de poda

Autores

  • Fabíola Villa
  • Daniel Fernandes Silva
  • Ronan Martelo
  • Giovana Ritter

DOI:

https://doi.org/10.48075/actaiguaz.v7i3.16567

Palavras-chave:

Vitis sp., competição varietal, superação de dormência.

Resumo


A vitivinicultura é uma atividade de grande relevância no cenário nacional, tendo importante papel na diversificação e incorporação de renda às pequenas propriedades. Diante do exposto, objetivou-se com o presente trabalho avaliar épocas de poda, associadas ao uso de cianamida hidrogenada para superação de dormência em videiras finas cvs. ‘Cabernet Franc’, ‘Cabernet Sauvignon’, ‘Merlot’ e ‘Tannat’ em Marechal Cândido Rondon, Paraná. O experimento foi realizado em pomar didático localizado na Estação Experimental da Unioeste, entre junho e dezembro/2012. O delineamento experimental utilizado foi blocos casualizados, em esquema fatorial 3 x 4 (épocas de poda x cultivares). As cultivares avaliadas foram enxertadas sobre o porta-enxerto Paulsen1103 e as podas realizadas em 21 de julho, 04 de agosto e 18 de agosto, onde fez-se em seguida a aplicação da cianamida hidrogenada. Avaliaram-se no período vegetativo o crescimento total dos ramos e diâmetro do caule. Na colheita, avaliaram-se a biomassa, volume, largura, comprimento e número de cachos, biomassa de ráquis, biomassa e diâmetro das bagas, produção e produtividade. Dentro dos parâmetros vegetativos, a ‘Merlot’ apresentou maior diâmetro de caule e a ‘Cabernet Sauvignon’ maior crescimento total de ramos. A cv. Cabernet Franc apresentou maior produção e produtividade. A poda antecipada apresentou melhores resultados para as cultivares estudadas em 2012 na região.

 

Downloads

Publicado

18-10-2018

Como Citar

VILLA, F.; SILVA, D. F.; MARTELO, R.; RITTER, G. Comportamento agronômico de cultivares de videiras finas em diferentes épocas de poda. Acta Iguazu, [S. l.], v. 7, n. 3, p. 17–26, 2018. DOI: 10.48075/actaiguaz.v7i3.16567. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/actaiguazu/article/view/16567. Acesso em: 18 ago. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS CIENTÍFICOS