NITROGÊNIO NO SOLO E NO TECIDO FOLIAR DO FEIJOEIRO EM FUNÇÃO DA ADUBAÇÃO NITROGENADA

Autores

  • Osmar Henrique de Castro Pias Universidade Federal do Rio grande do Sul
  • Diego Ricardo Menegol Universidade federal de Santa Maria
  • Junior Melo Damian Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (USP) - ESALQ –
  • Mateus Tonini Eitelwein Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (USP) - ESALQ –
  • Clóvis Orlando Da Ros Universidade Federal de Santa Maria
  • Antônio Luis Santi Universidade Federal de Santa Maria

DOI:

https://doi.org/10.48075/actaiguaz.v6i4.16606

Palavras-chave:

Índice de clorofila, NDVI, Phaseolus vulgaris.

Resumo


A eficiência da adubação nitrogenada (N) a nível mundial é baixa, gerando aumento do custo de produção e problemas ambientais. Nesse sentido, é essencial o estudo de novas técnicas de manejo que busquem melhorar a sincronia entre a aplicação e a absorção de N. Objetivou-se com este estudo avaliar a resposta isolada e a relação entre N mineral no solo, índice de clorofila (IC), índice de vegetação por diferença normalizada (NDVI) e N nas folhas de plantas de feijoeiro comum em função de doses de e épocas de aplicação N. Foi avaliado oito doses de N (0, 40, 80, 120, 160, 200, 240 e 280 kg ha-1) aplicadas em cinco épocas (semeadura, 10, 15, 20 e 30 dias após a emergência (DAE)). As avaliações do N mineral do solo, concentração de N foliar, IC e NDVI do feijoeiro foram realizadas aos 15, 25, 35 e 45 DAE. O N mineral do solo responde linearmente ao incremento das doses de N aplicadas, contudo, a sua persistência no solo não segue um padrão definido. Os valores de IC e o NDVI se ajustaram a uma equação quadrática frente às doses de N aplicadas, sendo as doses de 213,75 e 160 kg ha-1 de N as que proporcionam as maiores médias. Há correlação positiva entre os valores de NDVI e IC, e entre os valores de N mineral do solo com a concentração de N foliar e NDVI, vislumbrando-se, portanto, a possibilidade da utilização conjunta destas estratégias no manejo do N na cultura do feijoeiro.

Biografia do Autor

Osmar Henrique de Castro Pias, Universidade Federal do Rio grande do Sul

Eng. Agrônomo, mestre em Agronomia, doutorando do Programa de Ciência do Solo da UFRGS

Diego Ricardo Menegol, Universidade federal de Santa Maria

Eng. Agrônomo e mestre em Agronomia

Junior Melo Damian, Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (USP) - ESALQ –

Eng. Agrônomo, mestre em agronomia, doutorando do progrma de solos e nutrição de plantas

Mateus Tonini Eitelwein, Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (USP) - ESALQ –

Eng. Agrônomo, mestre em agronomia, doutorando do progrma de Engenharia de sistemas agrícolas

Clóvis Orlando Da Ros, Universidade Federal de Santa Maria

Professor departamento de ciênciasAgronômicas e Ambientais

Antônio Luis Santi, Universidade Federal de Santa Maria

Professor departamento de ciênciasAgronômicas e Ambientais

Downloads

Publicado

14-12-2017

Como Citar

DE CASTRO PIAS, O. H.; MENEGOL, D. R.; MELO DAMIAN, J.; TONINI EITELWEIN, M.; DA ROS, C. O.; SANTI, A. L. NITROGÊNIO NO SOLO E NO TECIDO FOLIAR DO FEIJOEIRO EM FUNÇÃO DA ADUBAÇÃO NITROGENADA. Acta Iguazu, [S. l.], v. 6, n. 4, p. 13–27, 2017. DOI: 10.48075/actaiguaz.v6i4.16606. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/actaiguazu/article/view/16606. Acesso em: 26 out. 2021.

Edição

Seção

ARTIGOS CIENTÍFICOS