Teor e rendimento de extratos de flores obtidos por diferentes métodos e períodos de extração

Autores

  • Felipe de Lima Franzen Universidade Federal de Santa Maria.
  • Leadir Lucy Martins Fries Universidade Federal de Santa Maria.
  • Mari Silvia Rodrigues de Oliveira Universidade Federal de Santa Maria
  • Henrique Fernando Lidório Universidade Federal de Santa Maria
  • Janine Farias Menegaes Universidade Federal de Santa Maria
  • Sidinei Jose Lopes Universidade Federal de Santa Maria

DOI:

https://doi.org/10.48075/actaiguaz.v7i1.16765

Palavras-chave:

Calendula officinalis L., Helianthus annus L., Rosa x grandiflora Hort.

Resumo


As extrações podem ser realizadas através de diferentes processos, métodos, solventes e períodos, tendo como objetivo liberar os compostos da matriz vegetal a fim de se obter extratos com elevada concentrações desses compostos presentes na matriz sólida natural. Assim, o objetivo do trabalho foi avaliar o teor e o rendimento de extratos de flores calêndula (Calendula officinalis L.), girassol (Helianthus annus L.) e rosa (Rosa x grandiflora Hort.) por diferentes métodos e períodos de extração. A produção das flores foi realizada no Departamento de Fitotecnia e os extratos foram realizados no laboratório de físico-química no Departamento de Tecnologia e Ciência dos Alimentos da UFSM, onde se realizou as análises de umidade e massa seca total das pétalas. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado, em esquema 2x2x2x4 (método de extração, solventes, temperaturas e período de extração), com três repetições. O teor de umidade das pétalas das flores foi de 89,3, 86,4 e 84,5% para calêndula, girassol e rosas, respectivamente. As pétalas de rosas apresentaram maiores médias para a variável massa seca total. Os maiores teores de extratos de pétalas foram períodos de extração de 120 minutos, com predominância da espécie rosa, independente do método, solvente e temperatura, com exceção no método de extração convencional em água a quente onde o maior teor de extrato foi no período de extração de 30 minutos. O extrato com maior rendimento foi o extraído pelo método de ultrassom em água a quente. Os extratos de pétalas de rosa e girassol obtiveram maiores rendimentos.

Biografia do Autor

Felipe de Lima Franzen, Universidade Federal de Santa Maria.

Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia dos Alimentos da Universidade Federal de Santa Maria, Engenheiro Agrônomo formado pela Universidade Federal de Santa Maria e acadêmico do Programa Especial de Graduação de Formação de Professores para a Educação Profissional. Possui título de Técnico Agrícola - Habilitação em Jardinagem e título de Técnico em Agroindústria pelo Colégio Politécnico da Universidade Federal de Santa Maria. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Ciência e Tecnologia de Alimentos.

Leadir Lucy Martins Fries, Universidade Federal de Santa Maria.

Possui graduação em Ciências pela Universidade de Passo Fundo (1975) e graduação em Agronomia pela Universidade Federal de Santa Maria (1985). Mestrado em Agronomia pela Universidade Federal de Santa Maria (1989) e doutorado em Plant Physiology Pathology - Michigan State University (1995). Atualmente é professor Titular, na Universidade Federal de Santa Maria. 

Mari Silvia Rodrigues de Oliveira, Universidade Federal de Santa Maria

Possui graduação em Farmácia Modalidade Farmacêutico Bioquímico Tecnóloga em Alimentos pela Universidade Federal de Santa Maria (1993), mestrado em Ciência e Tecnologia dos Alimentos pela Universidade Federal de Santa Maria (1999) e doutorado pelo mesmo programa (2013). Atualmente é professor adjunto na Universidade Federal de Santa Maria-UFSM.

Henrique Fernando Lidório, Universidade Federal de Santa Maria

Acadêmico do curso de Tecnologia em Agronegócio da Universidade Federal de Santa Maria. Tem experiência na área de Agronomia e Gestão Empresarial.

Janine Farias Menegaes, Universidade Federal de Santa Maria

Engenheira Agrônoma formada pela Universidade Federal de Santa Maria (2013). Mestre em Engenharia Agrícola na área de concentração Agroambiental, UFSM (2015). Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Agronomia - UFSM. Licenciada pelo Programa Especial de Graduação de Formação de Professores para a Educação Profissional, UFSM (2015).

Sidinei Jose Lopes, Universidade Federal de Santa Maria

possui graduação em Agronomia pela Universidade Federal de Santa Maria (1990), mestrado em Agronomia pela Universidade Federal de Santa Maria (1993), doutorado em Agronomia pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, USP (2003) e Pós-Doutorado na Universidad Politécnica de Madrid (2015). Atualmente é Professor Associado III da Universidade Federal de Santa Maria.

Downloads

Publicado

05-03-2018

Como Citar

DE LIMA FRANZEN, F.; FRIES, L. L. M.; DE OLIVEIRA, M. S. R.; LIDÓRIO, H. F.; MENEGAES, J. F.; LOPES, S. J. Teor e rendimento de extratos de flores obtidos por diferentes métodos e períodos de extração. Acta Iguazu, [S. l.], v. 7, n. 1, p. 9–21, 2018. DOI: 10.48075/actaiguaz.v7i1.16765. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/actaiguazu/article/view/16765. Acesso em: 18 ago. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS CIENTÍFICOS