Qualidade de sementes de pimenta durante o armazenamento em diferentes embalagens

Autores

  • Hellismar Wakson da Silva Universidade Federal de lavras
  • Renato Silva Soares Universidade Estadual Paulista(UNESP-FCAV)
  • Luís Sérgio Rodrigues Vale Instituto Federal Goiano - Campus Ceres
  • Renato Souza Rodovalho Instituto Federal Goiano - Campus Ceres

DOI:

https://doi.org/10.48075/actaiguaz.v7i3.17065

Palavras-chave:

Capsicum chinense L., germinação, sementes, vigor.

Resumo


Após a colheita e secagem, a escolha das melhores condições de armazenamento assume grande importância na conservação da qualidade de sementes. Dentre os diversos fatores envolvidos no armazenamento, a embalagem de acondicionamento exerce grande influência na longevidade de sementes, principalmente para espécies olerícolas, como a pimenta. Objetivou-se, neste trabalho, avaliar a qualidade fisiológica de sementes de pimenta durante o armazenamento em diferentes embalagens. Foram utilizadas sementes de pimenta variedade Cabacinha. Utilizou-se um delineamento inteiramente casualizado em esquema fatorial 2x2+1, sendo três embalagens (saco de alumínio, garrafa PET e saco de papel), dois períodos de armazenamento (6 e 12 meses) e a avaliação inicial antes do armazenamento (tratamento adicional). A qualidade das sementes foi avaliada pelos testes de germinação, primeira contagem de germinação, envelhecimento acelerado, emergência de plântulas, índice de velocidade de emergência e tempo médio de emergência e pela determinação do teor de água. A qualidade de sementes de pimenta Cabacinha é influenciada pelo tipo de embalagem e pelo tempo o armazenamento. O acondicionamento de sementes de pimenta em embalagem de papel e PET permite a conservação da germinação e vigor durante doze meses de armazenamento. A qualidade de sementes de pimenta é conservada por seis meses quando acondicionadas em embalagem de alumínio.

Downloads

Publicado

18-10-2018

Como Citar

SILVA, H. W. da; SOARES, R. S.; VALE, L. S. R.; RODOVALHO, R. S. Qualidade de sementes de pimenta durante o armazenamento em diferentes embalagens. Acta Iguazu, [S. l.], v. 7, n. 3, p. 76–84, 2018. DOI: 10.48075/actaiguaz.v7i3.17065. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/actaiguazu/article/view/17065. Acesso em: 18 ago. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS CIENTÍFICOS