Uso de semivariograma escalonado na variabilidade espacial da textura do solo em uma área de terra preta arqueológica sob floresta em Manicoré - AM

Autores

  • Julimar da Silva Fonseca
  • Milton César Costa Campos
  • José Maurício da Cunha
  • Renato Eleutério de Aquino
  • Igor Hister Lourenço
  • Half Weinberg Corrêa Jordão

DOI:

https://doi.org/10.48075/actaiguaz.v8i1.18360

Palavras-chave:

solos amazônicos, física do solo, geoestatística

Resumo


Os solos predominantes na região Amazônica pertencem à classe dos Latossolos e Argissolos, caracterizado por seu alto grau de intemperismo e baixa fertilidade natural, em contraste, ocorrem às Terras Pretas Arqueológicas com elevada fertilidade natural e alto teor de matéria orgânica, coloração escura, presença de artefatos cerâmicos indígenas incorporados a matriz do horizonte superficiais do solo. O objetivo deste trabalho foi investigar o uso de semivariograma escalonado na variabilidade espacial da textura do solo em uma área de terra preta arqueológica sob floresta em Manicoré, AM. A área em estudo encontra-se na região do município de Manicoré – AM, no km 210 a 30 km da comunidade do Santo Antônio do Matupi, as margens da BR 230, rodovia transamazônica. As áreas são de Terra Pretas Arqueológicas (TPA) sob Floresta nativa, onde foi estabelecido o mapeamento de uma malha de 6 x 6 m, nas profundidades de amostragem 0,0 - 0,05, 0,05 - 0,10 e 0,10 - 0,20 m, totalizando 88 pontos georreferenciados totalizando 264 pontos amostrais nas 3 profundidades. Em seguida realizou-se analise textural para determinar areia, silte e argila. Os resultados foram tratados estaticamente por meio de analise descritivas e geoestatistica. Todas as variáveis analisadas apresentaram estrutura de dependência espacial, e ajustaram-se ao modelo exponencial. Nos semivariograma individuais o GDE foi classificado como fraco e moderado e os semivariograma escalonados o GDE foi classificado como moderado e forte. Os semivariograma escalonado apresentaram alcance maiores que o espaçamento da malha variando entre 17,59 a 30 m.

Downloads

Publicado

08-03-2019

Como Citar

FONSECA, J. da S.; CAMPOS, M. C. C.; CUNHA, J. M. da; AQUINO, R. E. de; LOURENÇO, I. H.; JORDÃO, H. W. C. Uso de semivariograma escalonado na variabilidade espacial da textura do solo em uma área de terra preta arqueológica sob floresta em Manicoré - AM. Acta Iguazu, [S. l.], v. 8, n. 1, p. 102–116, 2019. DOI: 10.48075/actaiguaz.v8i1.18360. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/actaiguazu/article/view/18360. Acesso em: 13 ago. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS CIENTÍFICOS