TAXA DE INFILTRAÇÃO DA ÁGUA E A RESISTÊNCIA DO SOLO A PENETRAÇÃO SOB SISTEMAS DE USO E MANEJO

Autores

  • Fabio Pereira Martins
  • Esmael Lopes dos Santos

DOI:

https://doi.org/10.48075/actaiguaz.v6i4.18456

Resumo


A velocidade da infiltração básica (VIB) de água no solo pode ser explicada naturalmente pela variabilidade textural dos solos. A interferência do homem pode alterar as propriedades físicas do solo, influenciando a velocidade da infiltração e a capacidade de campo. A agricultura demanda um solo com rápida absorção e bom armazenamento de água efetivo. O objetivo do trabalho foi avaliar taxa de infiltração da água e a resistência do solo a penetração sob sistemas de uso e manejo. Para alcançar o objetivo foi utilizado um infiltrômetro modelo Cornell, que simula uma chuva de alta intensidade e o escoamento superficial de água no solo (ES) é determinado a partir da coleta do excesso de água em uma mangueira instalada na parte inferior do equipamento. A intensidade da chuva foi de 280 mm/hora e foi controlada através das diferenças de leituras do volume de água no reservatório, a cada 2 minutos. As leituras da intensidade da chuva e as medições do ES foram realizadas simultaneamente. A TI foi calculada pela diferença entre a chuva aplicada e o ES, porém para comparação entre os sistemas de uso e manejo do solo foi calculada a porcentagem de ES e infiltração em relação à chuva simulada. O teste em cada local de medição teve a duração de aproximadamente 60 minutos. Foram avaliados o sistema de plantio direto (SPD) e sistema de plantio direto com rotação de culturas (SPDR), campo de cultivo de Eucaliptos e mata preservada. O delineamento utilizado foi inteiramente casualizado (DIC) e cinco repetições. Foi determinada também, a resistência do solo à penetração (RP). Os dados obtidos foram submetidos à Análise de Variância as médias de tratamentos comparadas pelo teste de Tukey a 5% de probabilidade. A infiltração de água no solo, assim como a resistência a penetração (RP) são influenciadas pela forma de utilização e sistema de manejo do solo. A rotação de culturas aplicada ao SPDR foi determinante para uma maior infiltração de água e para uma menor RP neste tratamento em comparação ao SPD. Houve uma correlação inversa entre a infiltração de água e a RP do solo, indicando que a uma maior infiltração foi sempre acompanhada de uma menor RP.

Downloads

Publicado

14-12-2017

Como Citar

PEREIRA MARTINS, F.; LOPES DOS SANTOS, E. TAXA DE INFILTRAÇÃO DA ÁGUA E A RESISTÊNCIA DO SOLO A PENETRAÇÃO SOB SISTEMAS DE USO E MANEJO. Acta Iguazu, [S. l.], v. 6, n. 4, p. 28–40, 2017. DOI: 10.48075/actaiguaz.v6i4.18456. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/actaiguazu/article/view/18456. Acesso em: 26 out. 2021.

Edição

Seção

ARTIGOS CIENTÍFICOS