Panorama do etanol brasileiro

Autores

  • Ricielly Eloyze Rosseto
  • Lilian Cristina de Souza Madalena
  • Adriana Ferla de Oliveira
  • Pablo Chang
  • Bianca Fiori Primieri
  • Elisandro Pires Frigo
  • Reginaldo Ferreira Santos

DOI:

https://doi.org/10.48075/actaiguaz.v6i5.18466

Resumo


Alicerçado nas bases de busca por combustíveis renováveis, o etanol de cana-de-açúcar já mais estabelecido no cenário mundial. O milho como outra alternativa de matéria-prima para este biocombustível é bem consolidado, principalmente nos EUA, mas agora tenta expandir seu uso para produção de etanol no Brasil. Temos fatores que contribuem para um futuro estabelecimento desse processo de produção de etanol de milho, como por exemplo, a extensa cadeia produtiva e estabelecida do milho, uso de tecnologias avançadas, redução dos custos de produção, alta produtividade. Essa expansão em médio e longo prazo depende do desprendimento produtivo e econômico do país. É um processo inovador que necessita de investimentos substanciais e principalmente maiores estudos para obtenção do domínio das tecnologias que envolvem todo o processo, para que esse balanço energético e ambiental obtenha maior viabilidade. O objetivo do presente trabalho é explanar o cenário brasileiro do etanol, principalmente de milho, demonstrando alguns aspectos das causas, que o levam a ainda não estar estabelecido aqui.

Downloads

Publicado

15-12-2017

Como Citar

ROSSETO, R. E.; DE SOUZA MADALENA, L. C.; FERLA DE OLIVEIRA, A.; CHANG, P.; FIORI PRIMIERI, B.; PIRES FRIGO, E.; FERREIRA SANTOS, R. Panorama do etanol brasileiro. Acta Iguazu, [S. l.], v. 6, n. 5, p. 13–22, 2017. DOI: 10.48075/actaiguaz.v6i5.18466. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/actaiguazu/article/view/18466. Acesso em: 7 ago. 2022.