Implicações de espécies de cobertura em parâmetros físico-hídricos de um latossolo argiloso e no rendimento de grãos de soja

Autores

  • Lucas Gabriel Sulzbach
  • Deonir Secco
  • Luciene Kazue Tokura
  • Bruna de Villa
  • Guilherme Gabriel Ruffato

DOI:

https://doi.org/10.48075/actaiguaz.v6i5.18536

Resumo


O sistema de plantio direto com rotação de culturas de cobertura do solo destaca-se positivamente quanto às características físicas do solo por diminuir os efeitos negativos da compactação do solo por meio do sistema radicular agressivo das plantas de cobertura. Assim sendo, o presente trabalho teve como objetivo avaliar a estrutura do solo com a implantação de coberturas do solo e avaliar os efeitos do uso destas espécies sob o rendimento de grãos da soja. Os tratamentos foram constituídos por seis espécies de cobertura: milheto (Pennisetum americanum), guandú anão (Cajanus cajan), crotalária juncea (Crotalaria juncea), feijão guandú (Cajanus cajan), crotalária spectabilis (Crotalaria spectabilis), mucuna preta (Mucuna aterrima) em delineamento experimental inteiramente casualizado com 4 repetições. As parcelas experimentais foram de 20x25 m. A coletada de amostras físicas do solo foram coletadas nas profundidades de 0,0-0,1, 0,1-0,2 e 0,2-0,3 m. O rendimento de grãos de soja foi avaliado em subparcelas de 4 m² em cada tratamento e a umidade dos grãos corrigida a 13 %. A análise dos dados foi comparada pelo teste de Tukey a 5 % de significância. O guandú anão foi à espécie de cobertura vegetal mais eficiente na redução da densidade do solo na camada de 0-10 cm. O rendimento de grãos da soja não apresentou diferença significativa entre os tratamentos.

Downloads

Publicado

18-12-2017

Como Citar

SULZBACH, L. G.; SECCO, D.; KAZUE TOKURA, L.; DE VILLA, B.; GABRIEL RUFFATO, G. Implicações de espécies de cobertura em parâmetros físico-hídricos de um latossolo argiloso e no rendimento de grãos de soja. Acta Iguazu, [S. l.], v. 6, n. 5, p. 280–286, 2017. DOI: 10.48075/actaiguaz.v6i5.18536. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/actaiguazu/article/view/18536. Acesso em: 7 ago. 2022.