Efeito de resíduos de poda de pata de vaca (Bauhinia spp.) sobre germinação e crescimento de alface

Autores

  • Bruna Rohrig Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Kátia Suzane Renger Universidade Federal da Fronteira Sul, campus Cerro Largo
  • Evandro Pedro Schneider Professor Adjunto área Fitotecnia - Universidade Federal da Fronteira Sul, campus Cerro Largo.
  • Sidinei Zwick Radons Professor Adjunto área Fitotecnia - Universidade Federal da Fronteira Sul, campus Cerro Largo.
  • Maurício Sangiogo Universidade Federal de Pelotas, departamento de Fitossanidade.
  • Adrik Francis Richter Universidade do Estado de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.48075/actaiguaz.v8i3.19543

Palavras-chave:

Lactuca sativa, resíduos orgânicos, efeito alelópatico

Resumo


Atualmente resíduos de poda de pata de vaca (Bauhinia spp.) são descartados em aterros sanitários, no entanto esses resíduos poderiam ser reaproveitados como fertilizante orgânico, realizando a reciclagem de nutrientes e incremento da matéria orgânica nos solos. Entretanto, estudos do possível efeito alelopático destes resíduos sobre as culturas devem ser realizados. Nesse sentido, o objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito de diferentes concentrações do extrato bruto aquoso (EBA) de pata de vaca sobre a germinação e desempenho de plantas de alface. Os tratamentos constituíram-se de diferentes concentrações de EBA de pata de vaca, a saber: 0%, 25%, 50%, 75% e 100%. Como testemunha foi utilizada água destilada. As variáveis avaliadas foram germinação, comprimento (mm) de raiz e radícula, peso fresco (g) de raiz e parte aérea e índice de clorofila (SPAD). O delineamento experimental utilizado foi inteiramente casualizado (DIC) em quatro repetições para porcentagem de germinação, e seis repetições para o ensaio em casa de vegetação. Os dados foram submetidos à análise de regressão pelo software R. Diante dos resultados obtidos, o trabalho evidenciou que há interferência na germinação e desenvolvimento de alface quando submetido às diferentes doses de EBA, a dose 100% proporcionou as menores médias para todas as variáveis analisadas, germinação (59%), comprimento de radícula (50%) e raiz (66%), assim como massa fresca de raiz (50%) e parte aérea (50%) em relação ao tratamento testemunha, não sendo portanto indicada a sua utilização como adubação orgânica de alface.

Biografia do Autor

Bruna Rohrig, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutoranda em Fitotecnia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS, Mestra em Fitossanidade, área de concentração Fitopatologia pela Universidade Federal de Pelotas - RS, engenheira Agrônoma pela Universidade Federal da Fronteira Sul, campus Cerro Largo - RS.

Kátia Suzane Renger, Universidade Federal da Fronteira Sul, campus Cerro Largo

Engenheira Agrônoma pela Universidade Federal da Fronteira Sul, campus Cerro Largo

Evandro Pedro Schneider, Professor Adjunto área Fitotecnia - Universidade Federal da Fronteira Sul, campus Cerro Largo.

Possui Graduação em Agronomia pela Universidade Federal de Pelotas (2005), Mestrado em Agronomia (2009) e doutorado (2012). Atualmente é professor da Universidade Federal da Fronteira Sul, campus Cerro Largo, RS. Atuou como extensionista rural e agente de transferência de tecnologias da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Tem experiência em pesquisa e assistência técnica na área de fruticultura, produção integrada, agroecologia, agricultura familiar, desenvolvimento rural, uso de agrotóxicos e segurança alimentar.

Sidinei Zwick Radons, Professor Adjunto área Fitotecnia - Universidade Federal da Fronteira Sul, campus Cerro Largo.

Cursou graduação (2007), mestrado (2010) e doutorado em Agronomia pela Universidade Federal de Santa Maria (2012). Atualmente é Professor Adjunto da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), campus Cerro Largo, atuando nas áreas de Agrometeorologia, Mudança Climática e Agricultura, Ecofisiologia agrícola e Olericultura.

Maurício Sangiogo, Universidade Federal de Pelotas, departamento de Fitossanidade.

Doutorando em Fitossanidade pela Universidade Federal de Pelotas, área de concentração Fitopatologia.

Adrik Francis Richter, Universidade do Estado de Santa Catarina

Mestre em Produção Vegetal pela Universidade do Estado de Santa Catarina, Graduação em Agronomia pela Universidade Federal da Fronteira Sul, campus Cerro Largo.

Downloads

Publicado

28-09-2019

Como Citar

ROHRIG, B.; RENGER, K. S.; SCHNEIDER, E. P.; ZWICK RADONS, S.; SANGIOGO, M.; RICHTER, A. F. Efeito de resíduos de poda de pata de vaca (Bauhinia spp.) sobre germinação e crescimento de alface. Acta Iguazu, [S. l.], v. 8, n. 3, p. 8–17, 2019. DOI: 10.48075/actaiguaz.v8i3.19543. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/actaiguazu/article/view/19543. Acesso em: 10 ago. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS CIENTÍFICOS