A Demanda Bioquímica de Oxigênio (DBO) e possíveis fatores de influência nos processos em águas superficiais do Rio São Francisco Verdadeiro – Paraná

Autores

  • Ana Carla Casagrande Poersch
  • Nyamien Yahaut Sebastien
  • Juliana Taborda
  • Jean Colombari Neto
  • Michelly Maira Caovilla
  • Carlos Alexandre da Fonseca

DOI:

https://doi.org/10.48075/actaiguaz.v8i5.23790

Palavras-chave:

Poluição Orgânica, Microrganismos Aeróbicos, Pequena Central Hidrelétrica.

Resumo


Estudar e conhecer de forma sucinta as formas como diferentes parâmetros podem influenciar uma variável ambiental é de extrema importância para a compreensão dos processos existentes meio aquático. O presente trabalho busca compreender e relacionar variáveis que, de alguma forma, influenciem as concentrações da DBO no ambiente. Foram realizadas análises de Sólidos Totais Dissolvidos (STD), Temperatura (°C) e Clorofila-a no Rio São Francisco Verdadeiro, buscando correlacioná-las com a DBO (Correlação de Pearson). A temperatura não apresentou correlações significativas ao processo e, demonstrou-se um padrão de aumento da DBO com o acréscimo das concentrações de STD (R²=0,894) e uma relação inversamente proporcional entre a Clorofila-a e a DBO (R²= -0,854). Os valores de Clorofila-a (mg/L), são inversamente proporcionais aos da Demanda Bioquímica de Oxigênio, indicando a presença de matéria orgânica não degradada no meio. Dessa forma, ambientes com elevadas concentrações de DBO podem vir à limitar o estabelecimento da nova comunidade fitoplânctonica. Além disso, as concentrações elevadas de Sólidos Totais Dissolvidos indicam a possível presença de fontes difusas e pontuais de poluição na medida em que o rio segue seu curso natural, correlacionadas com a demanda de oxigênio necessária à degradação destes compostos.

Downloads

Publicado

17-12-2019

Como Citar

POERSCH, A. C. C.; SEBASTIEN, N. Y.; TABORDA, J.; NETO, J. C.; CAOVILLA, M. M.; DA FONSECA, C. A. A Demanda Bioquímica de Oxigênio (DBO) e possíveis fatores de influência nos processos em águas superficiais do Rio São Francisco Verdadeiro – Paraná. Acta Iguazu, [S. l.], v. 8, n. 5, p. 45–51, 2019. DOI: 10.48075/actaiguaz.v8i5.23790. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/actaiguazu/article/view/23790. Acesso em: 10 ago. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS CIENTÍFICOS