Análise do Interesse e Consumo de Produtos Ecologicamente Corretos pela População do Município de Medianeira-PR

Autores

  • Edilson Roberto Dametto Junior
  • Leandro Fleck
  • Eduardo Eyng
  • Fábio Orssatto
  • Selene Cristina de Pierri Castilho

DOI:

https://doi.org/10.48075/actaiguaz.v8i5.23796

Palavras-chave:

Marketing Verde, Consumidor Ecológico, Responsabilidade Ambiental Empresarial.

Resumo


Em decorrência dos avanços tecnológicos das últimas décadas, as explorações dos recursos naturais de forma desenfreada resultaram em impactos de grande escala no meio ambiente, e, na vida do ser humano. Com o surgimento e aprimoramento das normas ambientais, o desenvolvimento econômico se torna cada vez mais sustentável, e busca aproveitar das suas práticas e produtos sustentáveis como diferencial de mercado. Nesse sentido, o presente trabalho buscou avaliar as práticas de consumo de produtos ecologicamente corretos da população do município de Medianeira-PR, por meio de uma pesquisa exploratória em forma de questionários com perguntas objetivas. Após a coleta e compilação dos dados, observou-se uma participação relativamente positiva da população, destacando maior motivação dos entrevistados de maior renda para pagar mais por produto ecologicamente correto (29%) em relação aos que possuem renda de até três salários mínimos (21%). Haver um maior engajamento dos entrevistados de maior escolaridade em relação a percepção ambiental (97%) em relação aos de até ensino médio completo (85%). Além de um maior conhecimento sobre rotulagem ambiental de produtos para entrevistados de maior escolaridade (33%) face aos entrevistados de até ensino médio completo (26%).

Downloads

Publicado

18-12-2019

Como Citar

DAMETTO JUNIOR, E. R.; FLECK, L.; EYNG, E.; ORSSATTO, F.; CASTILHO, S. C. de P. Análise do Interesse e Consumo de Produtos Ecologicamente Corretos pela População do Município de Medianeira-PR. Acta Iguazu, [S. l.], v. 8, n. 5, p. 98–109, 2019. DOI: 10.48075/actaiguaz.v8i5.23796. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/actaiguazu/article/view/23796. Acesso em: 13 ago. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS CIENTÍFICOS