A reforma do ensino médio nos jornais: elementos para um diálogo sobre a educação física

Autores

  • Graziella da Silva Crescêncio Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)
  • Larissa Cerignoni Benites Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)

DOI:

https://doi.org/10.36453/2318-5104.2018.v16.n1.p193

Palavras-chave:

Educação Física, Mídia, Jornal, Ensino Médio

Resumo


Trata-se de um estudo qualitativo de perspectiva documental que teve como objetivo averiguar as discussões na mídia jornalística sobre a importância da Educação Física junto ao Ensino Médio, bem como delinear aspectos da reforma preconizada. Para tal analisou-se as discussões e debates propostos em cinco jornais pagos de maior circulação no Brasil, por meio de suas plataformas online, tendo como ponto de partida a busca de termos específicos no período de 2015 e 2017 o que resultou no montante de 368 notícias. Os resultados apontaram para um debate que passou pela perspectiva de acesso à discussão por parte da população, bem como a compreensão de como a Educação Física era/foi vista ao longo do processo da reforma anunciada. Como considerações destaca-se que, a mídia se mostrou um canal de mobilização social, que proporcionou reivindicações e modificações no texto final aprovado e incluído na LDB. Além disso, a Educação Física foi vista como um componente curricular importante e relevante no ambiente escolar, sendo fundamental sua permanência junto ao Ensino Médio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Graziella da Silva Crescêncio, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)

Acadêmica do curso de Licenciatura em Educação Física da UDESC- CEFID.

Larissa Cerignoni Benites, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)

Profa. Dra. do Departamento de Educação Física do Centro de ciencias da saúde e do esporte- CEFID da UDESC.

Referências

CAMPO, AQUINO, J. G. (Org.). Erro e fracasso na escola: alternativas teóricas e metodológicas. São Paulo: Summus, 2005.

ARAÚJO, A. C.; PORPINO, K. O. Educação física e televisão: reflexões sobre sensibilidade, tecnologia e conhecimento. Pensar a Prática, Goiânia, v. 10, n. 2, p. 183-99, 2007

BATISTA, S. R.; BETTI, M. A televisão e o ensino da educação física na escola: uma proposta de intervenção. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, Brasília, v. 26, n. 2, p. 135-48, 2005

BETTI, M. Ensino de 1º e 2º graus: educação física para quê? Revista Brasileira de Ciências do Esporte, Brasília, v. 13, n. 2, p. 282-7, 1992.

BETTI, M. Imagem e ação: a televisão e a educação física escolar. In: BETTI, M. (Org.). Educação física e mídia: novos olhares outras práticas. São Paulo: Hucitec, 2003, p. 137.

BETTI, M. Mídias: aliadas ou inimigas da educação física escolar. Motriz, São Paulo, v. 7, n. 2, p. 125-29, 2001.

BETTI, M. O que a semiótica inspira ao ensino da Educação Física. Discorpo, São Paulo, n. 3, p. 25-45, 1994

BETTI, M.; FERRAZ, O. L.; DANTAS, L. E. P. B. T. Educação física escolar: estado da arte e direções futuras. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, São Paulo, v. 25, N. Especial, p. 105-15, 2011.

BETTI, M.; ZULIANI, L. R. Educação física escolar: uma proposta de diretrizes pedagógicas. Revista Mackenzie de Educação Física e Esporte, São Paulo, v. 1, n. 1, p. 73­-81, 2002.

BOGDAN, R.; BIKLEN, S. Investigação qualitativa em educação. Porto: Porto Editora, 1994.

BRACHT, V.; GONZÁLEZ, F. J. Educação física escolar. In: GONZÁLEZ, F. J.; FENSTERSEIFER, P. E. (Orgs.). Dicionário crítico de educação física. Ijuí: Unijuí, 2005, p. 150-56.

BRASIL. Lei N°. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Conselho Nacional de Educação. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: <http://www.normaslegais.com.br/legislacao/Lei-13415-2017.htm>. Acessado em: 15 de maio de 2017.

BRASIL. Lei N°. 13.415, de 16 de fevereiro de 2017. 2017a. Disponível em: <http://www.normaslegais.com.br/legislacao/Lei-13415-2017.htm>. Acessado em: 01 de maio de 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Disponível em: <http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_publicacao.pdf>. 2017b. Acessado em: 01 de maio 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Proposta Preliminar. Segunda Versão – Revista. Brasília: Secretaria da Educação Básica. 2016. Disponível em: <http://historiadabncc.mec.gov.br/documentos/bncc-2versao.revista.pdf>. Acessado em: 04 de junho 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Medida provisória N°. 746, de 2016. Disponível em: <https://www.congressonacional.leg.br/materias/medidas-provisorias/-/mpv/126992>. Acessado em: 04 de junho 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Portaria N°. 1.140, de 22 de novembro de 2013. Pacto Nacional pelo Fortalecimento do Ensino Médio e define suas diretrizes gerais, forma, condições e critérios para a concessão de bolsas de estudo e pesquisa no âmbito do ensino médio público, nas redes estaduais e distrital de educação. Diário da União. Seção 1, p. 24, 2013. Disponível em: <http://pactoensinomedio.mec.gov.br/images/pdf/portaria_1140.pdf> Acessado em: 15 de maio de 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Diretoria de Concepções e Orientações Curriculares para a Educação Básica. Coordenação Geral de Ensino Médio. Programa ensino médio inovador: documento orientador: versão final. Brasília, DF, 2013. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=13249-doc-orientador-proemi2013-novo-pdf&category_slug=junho-2013-pdf&Itemid=30192>. Acessado em: 15 de maio de 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão. Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica. Conselho Nacional da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Básica, Brasília, 2013. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/docman/julho-2013-pdf/13677-diretrizes-educacao-basica-2013-pdf/file>. Acessado em: 15 de maio de 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Ensino Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: Ensino Médio: Educação Física/Brasília: MEC/SEF, 2000. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/blegais.pdf>. Acessado em: 15 de maio de 2017.

CALDAS, G. Mídia, escola e leitura crítica do mundo. Educação e Sociedade, Campinas, v. 27, n. 94, p. 117-30, 2006.

CARRANO, P. Um “novo” ensino médio é imposto aos jovens no Brasil. Disponível em: <http://www.anped.org.br/news/um-novo-ensino-medio-e-imposto-aos-jovens-no-brasil>. Acessado em: 30 de abril de 2017.

CASTELLS, M. A sociedade em rede. V.1. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

CASTRO, A. L. Culto ao corpo e sociedade: mídia, estilos de vida e cultura de consumo. São Paulo: Annablume/Fapesp, 2007.

CASTRO, G., V.; TAVARES JÚNIOR, F. Jovens em contextos sociais desfavoráveis e sucesso escolar no ensino médio. Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 41, n. 1, p. 239-58, 2016.

CHICATI, K. C. Motivação nas aulas de educação física no ensino médio. Revista da Educação Física/UEM, Maringá, v. 11, n. 1, p. 97-105, 2000.

DARIDO, S. C. A educação física na escola e o processo de formação dos não praticantes de atividade física. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, São Paulo, v. 18, n. 1, p. 61-80, 2004.

DARIDO, S. C. Diferentes concepções sobre o papel da educação física na escola. Cadernos de Formação: Conteúdos e Didática de Educação Física, São Paulo, v. 1, p. 34-50, 2012.

DARIDO, S. C.; RANGEL, I. C. A. Educação física na escola. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2005.

DINIZ, I. K. S.; RODRIGUES, H. A.; DARIDO, S. C. Os usos da mídia em aulas de educação física escolar: possibilidades e dificuldades. Movimento, Porto Alegre, v. 18, n. 3, p. 183-202, 2012.

FARIA, B. A.; MACHADO, T. S.; BRACHT, V. A inovação e o desinvestimento pedagógico na Educação Física Escolar: uma leitura a partir da teoria do reconhecimento social. Motriz, Rio Claro, v. 18, n. 1, p. 120-9, 2012

GHUNTER, H. Pesquisa qualitativa versus pesquisa quantitativa: esta é a questão? Revista Psicologia: Teoria e Pesquisa, v. 22, n. 2, p. 201-10, 2006.

GOMES, W. Transformações da política na era da comunicação de massa. São Paulo: Paulinas, 2004.

GRAMSCI, A. Cadernos do Cárcere. V. 3. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007.

HABERMAS, J. Direito e democracia: entre facticidade e validade. V. 2. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1997.

MATOS, J. C.; SCHNEIDER, O.; MELLO, A. S.; FERREIRA NETO, A.; SANTOS, W. A produção acadêmica sobre conteúdos de ensino na Educação Física Escolar. Movimento, Porto Alegre, v. 19, n. 2, p. 123-48, 2013.

MOLINA NETO, V.; FONSECA, D. G.; SILVA, L. O.; LOPES, R. A.; WITTIZORECKI, E. S. A Educação física no ensino médio ou para entender a Era do Gelo. Motrivivência, Florianópolis, v. 29, n. 52, p. 87-105, 2017.

MOREIRA, S. V. Análise documental como método e como técnica. In: DUARTE, J.; BARROS, A. (Orgs.). Métodos e técnicas de pesquisa em comunicação. São Paulo: Atlas, 2005. p. 269-79.

PIRES, G. L. Cultura esportiva e mídia: abordagem crítico-emancipatória no ensino de graduação em educação física. In: BETTI, M. Educação física e mídia: novos olhares outras práticas. São Paulo: Hucitec, 2003. p. 19-44.

SACRISTAN, G. J. O currículo: uma reflexão sobre a prática. Porto Alegre: Artmed, 2000.

SANTOS, J. E.; SANTOS, V. L. C. Geografia dos protestos e meio comunicacional: redes sociais digitais e manifestações populares. Revista Movimentos Sociais e Dinâmicas Espaciais, Recife, v. 2, n. 2, p. 7-22, 2013.

Downloads

Publicado

03-04-2018

Como Citar

CRESCÊNCIO, G. da S.; BENITES, L. C. A reforma do ensino médio nos jornais: elementos para um diálogo sobre a educação física. Caderno de Educação Física e Esporte, Marechal Cândido Rondon, v. 16, n. 1, p. 193–205, 2018. DOI: 10.36453/2318-5104.2018.v16.n1.p193. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/cadernoedfisica/article/view/18352. Acesso em: 27 nov. 2021.