Diferença motivacional entre praticantes iniciantes e veteranos do Taekwondo

Autores

  • Vitor Bento Crozeta Barbosa Faculdade Metropolitana de Maringá (UNIFAMMA)
  • Luana Caroline Contessoto Faculdade Metropolitana de Maringá (UNIFAMMA)
  • Ana Luiza Barbosa Anversa Universidade Estadual de Maringá (UEM) Faculdade Metropolitana de Maringá (UNIFAMMA)
  • Luciana Boligon Refundini Faculdade Metropolitana de Maringá (UNIFAMMA)

DOI:

https://doi.org/10.36453/2318-5104.2018.v16.n1.p41

Palavras-chave:

Motivação, Artes Marciais, Atletas

Resumo


O Taekwondo é uma arte marcial coreana baseada no respeito e disciplina. Como prática esportiva, a modalidade envolve diferentes fatores motivacionais o que acaba por direcionar o foco e objetivo de cada atleta durante a prática. Deste modo o objetivo desta pesquisa foi analisar as diferenças motivacionais de praticantes iniciantes e veteranos do Taekwondo. Participaram da pesquisa 24 atletas, de um centro de treinamento de Maringá-PR, com idade entre 18 e 31 anos, sendo que 12 dos participantes eram faixas brancas e 12 faixas pretas. Como instrumento de coleta utilizou-se a Escala de Motivação para esporte II (SMS II). Os dados foram analisados por meio do programa estatístico SPSS 15.0. Para comparar as categorias do teste de motivação em relação a graduação do atleta, faixas pretas e brancas, utilizou-se o teste de Kruskal-Wallis e para ver as múltiplas comparações o teste de Tukey. Os resultados demonstram que entre os praticantes iniciantes e veteranos a motivação intrínseca (md=6,00) e motivação extrínseca indentificada (md=6,00) foram as que apresentaram maiores índices, o que demonstra que o interesse pela prática é espontâneo ou apresenta alguma interiorização. Com relação à comparação entre iniciantes e veteranos, o único fator que apresentou diferença significativa foi à desmotivação com (p=0,000) em que os praticantes de faixas brancas apresentaram-se menos desmotivados para os treinos do que os de faixa preta. Conclui-se que, dentre os dois grupos analisados, os níveis de motivação intrínseca e extrínseca, em geral, mostram-se igualados, porém, o nível de desmotivação de atletas faixas pretas encontra-se superior aos dos atletas faixas brancas iniciantes no Taekwondo. Estes dados demonstram que com o passar dos anos de treino a desmotivação pode vir a aumentar levando a evasão do esporte.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vitor Bento Crozeta Barbosa, Faculdade Metropolitana de Maringá (UNIFAMMA)

Bacharel em Educação Física pela Faculdade Metropolitana de Maringá

Luana Caroline Contessoto, Faculdade Metropolitana de Maringá (UNIFAMMA)

Bacharel em Educação Física pela Faculdade Metropolitana de Maringá

Ana Luiza Barbosa Anversa, Universidade Estadual de Maringá (UEM) Faculdade Metropolitana de Maringá (UNIFAMMA)

Doutora em Educação Física pelo Programa de Pós Graduação Associado UEM / UEL. Professora do curso de Educação Física da Faculdade Metropolitana de Maringá.

Luciana Boligon Refundini, Faculdade Metropolitana de Maringá (UNIFAMMA)

Mestre em Educação Física pelo Programa de Pós Graduação Associado UEM / UEL. Professora do curso de Educação Física da Faculdade Metropolitana de Maringá.

Referências

CHEMELLO, G.; BONONE, C. G. G. Taekwondo - escola - família: comportamentos e atitudes de atletas da cidade de São Marcos-RS. Do Corpo: Ciências e Arte, Caxias do Sul, v. 4, n. 1, p. 1-16, 2014.

DECI, E. L.; RYAN, R. M. The general causality orientations scale: self-determination in personality. Journal of Research in Personality, Amsterdam, v. 19, n. 2, p. 109-34, 1985.

FERNANDES, H. M.; VASCONCELOS-RAPOSO, J. Continuum de autodeterminação: validade para a sua aplicação no contexto desportivo. Estudos de Psicologia, Campinas, v. 10, n. 3, p. 385-95, 2005.

GUIMARÃES, S. E. R.; BORUCHOVITCH, E. O estilo motivacional do professor e a motivação intrínseca dos estudantes: uma perspectiva da teoria da autodeterminação. Psicologia: Reflexão e Crítica, Porto Alegre, v. 17, n. 2, p. 143-50, 2004.

MARTINS, P.; ROSADO, A. A formação de treinadores de luta olímpica: estudos das fontes de conhecimento e conteúdos de formação essenciais. Revista de Artes Marciales Asiaticas, Lisboa, v. 12, n. 1, p. 24-40, 2017.

MAZZONI, A. V.; OLIVEIRA JÚNIOR, J. L. Lutas: da pré-história à pós-modernidade. s/d. Disponível em: <http://www.gpef.fe.usp.br/teses/agenda_2011_04.pdf>. Acessado em: 01 de agosto de 2017.

NASCIMENTO JÚNIOR, J. R. A.; VISSOCI, J. R. N.; BALBIM, G. M.; MOREIRA, C. R.; PELLETIER, L.; VIEIRA, L. F. Adaptação transcultural e análise das propriedades psicométricas da Sport Motivation Scale-II no contexto brasileiro. Revista Educação Física/UEM, Maringá, v. 25, n. 3, p.441-58, 2014.

PEDRO, S.; MARTINS, P. Suporte de autonomia, empenhamento e percepçao subjetiva de esforço em lutadores. Revista Iberoamericana de Psicología del Ejercicio y el Deporte, Las Palmas, v. 12, n. 2, p. 279-86, 2017.

PIMENTA, T. F. F.; MARCHI JÚNIOR, W. A constituição de um subcampo do esporte: o caso do Taekwondo. Movimento, Porto Alegre, v. 15, n. 1, p. 193-215, 2009.

PINTO, S. A.; COSTA, G. C. T. Motivação dos praticantes de Taekwondo: Estudo realizado em academias de Belo Horizonte. Revista Brasileira de Futsal e Futebol, São Paulo, v. 7, n. 27, p. 495-504, 2015.

RAGAZINI, R. A motivação e a desmotivação: duas faces de uma mesma moeda na vida do trabalhador. 2011. Disponível em: <http://www.administradores.com.br/artigos/carreira/a-motivacao-e-a-desmotivacao-duas-faces-de-uma-mesma-moeda-na-vida-do-trabalhador/53311/>. Acessado em: 21 de março de 2017.

RUFINO, L. G. B. Lutas. In: GONZÁLEZ, F. J.; DARIDO, S.; OLIVEIRA, A. A. B. (Org.). Lutas, capoeira e práticas corporais de aventura. 2. ed. Maringá: Eduem, 2017.

SAMULSKI, D. M. Psicologia do esporte. Barueri: Manole, 2002.

TRESCA, R. P.; ROSE JÚNIOR, D. Estudo comparativo da motivação intrínseca em escolares praticantes e não praticantes de dança. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, Brasília, v. 8, n. 1, p. 9-13, 2000.

WEINBERG, R. S.; GOULD, D. Fundamentos da psicologia do esporte e do exercício. 4. ed. Porto Alegre: Artmed, 2008.

Downloads

Publicado

26-03-2018

Como Citar

BARBOSA, V. B. C.; CONTESSOTO, L. C.; ANVERSA, A. L. B.; REFUNDINI, L. B. Diferença motivacional entre praticantes iniciantes e veteranos do Taekwondo. Caderno de Educação Física e Esporte, Marechal Cândido Rondon, v. 16, n. 1, p. 41–46, 2018. DOI: 10.36453/2318-5104.2018.v16.n1.p41. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/cadernoedfisica/article/view/18738. Acesso em: 27 nov. 2021.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)