Sobre o estilo de kung-fu garra de águia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36453/2318-5104.2018.v16.n1.p167

Palavras-chave:

kung-fu, história do esporte, arte marcial,

Resumo


Como uma prática milenar, o Kung-Fu é um objeto de difícil estudo quando se observa as grandes transformações histórico-socioculturais ocorridas na China. Tal fato se agrava ainda mais quando busca-se fontes de origem acadêmicas ou mesmo de confiança fora do idioma chinês. Objetivou-se neste trabalho apresentar uma revisão histórica de um popular estilo de Kung-Fu com quase mil anos de existência – o Garra de Águia. Metodologicamente, este estudo é de natureza qualitativa e nele fez-se uso da revisão de literatura e narrativas orais com a Grã-Mestra do estilo hoje no mundo. Foi possível observar diversas influências diretas e indiretas de ordem política, social e cultural na história do estilo e de seus praticantes até dias atuais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rafael Carvalho da Silva Mocarzel, Universidade do Porto (UP)

Doutorando em Ciências do Desporto do Centro de Investigação, Formação, Inovação e Intervenção em Desporto da Universidade do Porto (CIFI2D / UP) – Porto / Portugal. Dupla nacionalidade: brasileiro e português. Doutorando em Ciências do Desporto na Universidade do Porto (UP / Portugal) onde integra o Centro de Investigação, Formação, Inovação e Intervenção em Desporto da Universidade do Porto (CIFI2D). Mestrado em Ciências da Atividade Física e Licenciatura Plena em Educação Física (UNIVERSO / Brasil). Membro da Câmara de Lutas e Artes Marciais do CREF-1. Presidente de Honra da Associação de Kung-Fu Shaolin de Niterói (AKSN). Diretor da Federação de Kung-Fu do Estado do Rio de Janeiro (FKFERJ). Professor (Faixa Preta) em diversos estilos de Kung-Fu (Garra de Águia, Tai Chi Chuan, Shuai Jiao, Sanda/Sanshou e Wushu Moderno - Norte & Sul). É atualmente Professor da Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Personal Training (GAMA & SOUZA) e também do curso de Bacharel em Educação Física (UNIREDENTOR). Foi Professor do curso de Bacharel e Licenciatura de Educação Física (UNISUAM). Estuda as Artes Marciais em suas diversas áreas de atuação, os Jogos Olímpicos (Olimpismo), a Filosofia e Sociologia dos Esportes tão quanto seus valores éticos, morais, estéticos e educacionais, Jogos e Recreação Lúdica, História do Desporto, Massagens e Meditações. Autor do livro "Lutas e Artes Marciais: aspectos educacionais, sociais e lúdicos" (2015) tendo sua 2a edição prevista para o primeiro semestre de 2018. Recebeu 17 prêmios e/ou homenagens. Ministrou 53 curso de curta duração (extensão / formação contínua). Escreveu 3 capítulos de livros. Publicou 9 artigos (nacionais e internacionais). Revisor de 8 periódicos científicos.

Referências

ABBAGNANO, Nicola. Dicionário de Filosofia (6ª ed.). Tradução da 1ª edição Alfredo Bosi. Tradução dos textos novos Ivone Castilho Benedetti. São Paulo: UMFMartinsfontes, 2014.

ACEVEDO, William; GUTIÉRREZ, Carlos; CHEUNG, Mei. Breve história do Kung Fu. Tradução Flávio Delgado. São Paulo: Madras, 2011.

APOLLONI, Rodrigo Wolff. “Shaolin à brasileira”: estudo sobre a presença e a transformação de elementos religiosos orientais no Kung-Fu praticado no Brasil. 2004. Trabalho apresentado como requisito parcial para a avaliação do curso de Mestrado em Ciências da Religião, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2004.

CORREIA, Walter Roberto; FRANCHINI, Emerson. Produção acadêmica em lutas, artes marciais e esportes de combate. Motriz, Rio Claro, v.16 n.1 p.01-09, jan./mar. 2010.

DACOSTA, Lamartine (Org.). Atlas do esporte no Brasil – atlas do esporte, educação física e atividades físicas de saúde e lazer no Brasil. Rio de Janeiro: Shape, 2006. p.924.

GRANET, Marcel. O pensamento chinês. Tradução Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Contraponto, 1997. p.416.

GUO, Xian He; DERVENTIS, Panagiotis. Ying Shou Quan – Eagle Hand Boxing. Journal of Chinese Martial Arts. Volume 6, Number 3, 2016. p.1-14.

HALUB, Jason K.. Wushu Nationalism: tracing the invention of the Huo Yuanjia story. Journal of Chinese Martial Arts. Volume 4, Number 1, 2015. p.1-18.

HENNING, Stanley E.. Southern Fist & Northern Leg: the geography of chinese boxing. Journal of Asian Martial Arts. Volume 7, Number 3, 1998. p.24-31.

HENNING, Stanley E.. Chinese General Yue Fei: Martial Arts Facts, Tales, and Mysteries. Journal of Asian Martial Arts. Volume 15, Number 4, 2006. p.30-35.

LIMA, Luzia Mara Silva. O Tao da educação – a filosofia oriental na escola ocidental. São Paulo: Ágora, 2000. p.220.

MAIDANA, Wagner. Os primórdios do Wushu em Porto Alegre (1975 – 1992). Trabalho de conclusão de curso apresentado como requisito final para obtenção de título de licenciado em Educação Física pela Escola de Educação Física da Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS, Porto Alegre, 2009. p.51.

MARTINS, Renan; COELHO, Fernando; RODRIGUES, Hércules. Manual do praticante – volume 1. Belo Horizonte: 2013. Mimeografado pela Associação Desportiva Ying Zhao Kung Fu. p.64.

MELO, Victor Andrade de. Porque devemos estudar História da Educação Física/Esportes nos cursos de graduação?. Motriz. Revista de Educação Física. UNESP, v. 3, n. 1, p. 56-61, 1997.

MOCARZEL, Rafael Carvalho da Silva. Artes Marciais e Jovens: violência ou valores educacionais? Um estudo de caso de um estilo de Kung-Fu. 2011. Trabalho apresentado como requisito parcial para a avaliação do curso de Mestrado em Ciências da Atividade Física. Universidade Salgado de Oliveira. Niterói, 2011. p.108.

MOCARZEL, Rafael Carvalho da Silva; COLUMÁ, Jorge Felipe. Lutas e Artes Marciais: aspectos educacionais, sociais e lúdicos. Rio de Janeiro: SUAM, 2015.

PIMENTA, Thiago Farias da Fonseca. Racionalizando o machucar: processo civilizador e as artes marciais. In: SIMPÓSIO

INTERNACIONAL PROCESSO CIVILIZADOR: CIVILIZAÇÃO E COMTEMPORANEIDADE, 12., 2009, Recife. Anais eletrônicos... Recife: 2009. Disponível em: < http://www.uel.br/grupo-estudo/processoscivilizadores/portugues/sitesanais/anais12/artigos/pdfs/comunicacoes/C_Pimenta.pdf >. Acesso em: 10 Maio 2010.

REVISTA NATIONAL GEOGRAPHIC. Disponível em: <http://viajeaqui.abril.com.br/national-geographic/edicao-127/edicao-127-kung-fu-templo-shaolin-mudancas-artes-marciais-599401.shtml?page=0>. Acesso em: 19 Out. 2010.

SANTOS, Paulo Alexandre dos. Uma forma de adquirir consciência corporal através da arte marcial chinesa conhecida por Kung-Fu. 2006. Trabalho apresentado como requisito parcial para a avaliação da disciplina Atividades Rítmicas do curso de Educação Física, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2006.

SHUM, Leung. The Secrets of Eagle Claw Kung Fu: Ying Jow Pai. Transcrito por Jennie Chin. Boston: Tuttle, 2001. p.216

TUBINO, Manoel José Gomes; TUBINO, Fábio Mazeron; GARRIDO, Fernando Antonio C. Dicionário Enciclopédico Tubino do Esporte. Rio de Janeiro: SENAC, 2007, p.157.

ZHANG, Yun. Shuai Jiao: An Introduction to the Chinese Throwing Art. Journal of Asian Martial Arts, Volume 15, Number 1, 2006. p.25-61.

ZHANG, Yue. Introduction to Fanzi Quan: ancient kickboxing of China. Journal of Chinese Martial Arts, Volume 4, Number 7, 2015. p.1-8.

Downloads

Publicado

30-05-2018

Como Citar

MOCARZEL, R. C. da S. Sobre o estilo de kung-fu garra de águia. Caderno de Educação Física e Esporte, Marechal Cândido Rondon, v. 16, n. 1, p. 167–178, 2018. DOI: 10.36453/2318-5104.2018.v16.n1.p167. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/cadernoedfisica/article/view/19049. Acesso em: 27 nov. 2021.