Projeto Piracema - natação para pessoas com deficiência: um relato de experiência

Autores

  • Sandra Mara Mayer Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC)
  • Laudemiro Volmar da Cunha Trindade Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Santa Cruz do Sul (APAE-SCS)
  • Heloisa Elesbão Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
  • Leticia Borfe Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC)

DOI:

https://doi.org/10.36453/2318-5104.2019.v17.n1.p343

Palavras-chave:

Inclusão, Pessoas com deficiência, Natação.

Resumo


Introdução: As experiências motoras diversas são de suma importância no desenvolvimento dos indivíduos. E, para pessoas com deficiência, além de contribuir no desenvolvimento de suas habilidades, o esporte configura-se como um meio de socialização. A natação vem sendo um dos motivadores mais efetivos, pois as atividades realizadas podem ser facilitadas por serem no meio líquido. Objetivo: Relatar a experiência vivenciada no Projeto Piracema - Natação para pessoas com deficiência, apontando as etapas desenvolvidas e aspectos relevantes deste projeto de extensão. Métodos: A metodologia consiste em um estudo descritivo das atividades desenvolvidas e observadas a partir da vivência com pessoas com deficiência que participam do projeto. Resultados: Foi possível observar que as atividades do projeto foram estudadas e planejadas observando as limitações dos alunos e buscando uma melhor adaptação dos mesmos ao meio líquido. Dessa forma, os participantes demonstraram-se entusiasmados e incentivados a participar das aulas e realizar as atividades. Foram utilizados diferentes materiais, métodos e exercícios, de maneira a diversificar cada aula, o que mostrou boa receptividade dos participantes que, demonstraram-se incentivados à participação. Observou-se também a importância na formação dos acadêmicos envolvidos que vivenciaram atividades associadas a conceitos de formação com a prática de atuação. Conclusão: Conclui-se que as atividades aquáticas para pessoas com deficiência contribuem na formação social do indivíduo e no desenvolvimento de suas habilidades motoras e cognitivas. Dessa forma, o projeto se faz de extrema relevância para a comunidade e para os profissionais que atuarão nesta área de conhecimento.

ABSTRACT. Piracema Project - swimming for people with disabilities: an experience report. Background: Diverse motor experiences are of paramount importance in the development of individuals. And for people with disabilities, in addition to contributing to the development of their skills, sport is a means of socializing. Swimming has been one of the most effective motivators, since the activities performed can be facilitated by being in the liquid environment. Objective: To report the experience lived in the Piracema - Swimming Project for people with disabilities, pointing out the stages developed and relevant aspects of this extension project. Methods: The methodology consists of a descriptive study of the activities developed and observed from the experience with people with disabilities participating in the project. Results: It was possible to observe that the activities of the project were studied and planned observing the limitations of the students and seeking a better adaptation of the same to the liquid environment. In this way, the participants were enthusiastic and encouraged to participate in the classes and carry out the activities. Different materials, methods and exercises were used in order to diversify each class, which showed good receptivity of the participants, who were shown to be encouraged to participate. It was also observed the importance in the training of the academics involved who experienced activities associated with training concepts with the practice of acting. Conclusion: It is concluded that aquatic activities for people with disabilities contribute to the social formation of the individual and to the development of their motor and cognitive abilities. In this way, the project is of extreme relevance for the community and for the professionals who will work in this area of knowledge.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sandra Mara Mayer, Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC)

Graduada em Educação Física pelas Faculdades Integradas de Santa Cruz do Sul (FISC), possui especialização em Currículo e Metodologia da Educação e em Ginástica Escolar pela Universidade Santa Cruz do Sul (UNISC). Mestre em Desenvolvimento Regional pela UNISC. Atualmente é professora dos Departamentos de Educação Física e Saúde e Educação da UNISC, além disso, é Coordenadora do Projeto de Extensão Piracema - Natação para Pessoas com Deficiência.

Laudemiro Volmar da Cunha Trindade, Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Santa Cruz do Sul (APAE-SCS)

Graduado em Educação  Física e Especialista em Fundamentos de Epistemologia pelas Faculdades Integradas de Santa Cruz do Sul (FISC), possui especialização Técnica desportiva – handebol pela Escola de Educação Física do Instituto Porto Alegre. Atualmente, trabalha como professor de Educação Física da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Santa Cruz do Sul (APAE-SCS). 

Heloisa Elesbão, Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)

Graduada em Educação Física Licenciatura e Bacharelado pela Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC),  Especialista em Educação Física Escolar pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Mestranda em Educação Física pela UFSM.

Leticia Borfe, Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC)

Graduada em Educação Física Licenciatura e Bacharelado pela Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC), Mestre em Promoção da Saúde pela UNISC, atualmente trabalha como professora de Educação Física na rede estadual de ensino do Estado do Rio Grande do Sul.

Referências

ARAÚJO, L. G.; SOUZA, T. G. Natação para pessoas com necessidades especiais. Lectures, Educación Física y Deportes, Revista Digital, Buenos Aires v. 14, n. 137, 2009. Disponível em: . Acessado em: 25 de agosto de 2018.

BARBOSA, T. As habilidades motoras aquáticas básicas. Lectures, Educación Física y Deportes, Revista Digital, Buenos Aires, v. 6, n. 33, 2001. Disponível em: <https://www.efdeportes.com/efd33a/aquat. htm>. Acessado em: 20 de setembro de 2018.

CASTRO, E. M. de. Atividade física adaptada. São Paulo: Tecmedd, 2005.

DELLANI, M. P.; MORAES, D. N. M. Inclusão: caminhos, encontros e descobertas. Revista de Educação do IDEAU, Bagé, v. 7, n. 15, p. 1-13, 2012.

DIAS, N. F.; PRADO JÚNIOR, M. V. do. Natação adaptada: análise da função pulmonar de pessoas com deficiência. Sobama, Marília, v. 17, n. 1, p. 25-30, 2016.

FABIANI, D. J. F.; SCAGLIA, A. J.; ALMEIDA, J. J. G. de. O jogo de faz de conta e o ensino da luta para crianças: criando ambientes de aprendizagem. Pensar a Prática, Goiânia, v. 19, n. 1, p. 130-42, 2016.

FRAGALA-PINKHAM, M.; HALEY, S. M.; O’NEIL, M. E. Group aquatic aerobic exercise for children with disabilities. Developmental Medicine & Child Neurology, London, v. 50, n. 11, p. 822-7, 2008.

FREGOLENTE, G.; PRADO JÚNIOR, M. V. do. A inclusão da natação na vida da pessoa com deficiência - uma análise a partir da teoria ecológica do desenvolvimento. Sobama, Marília, v. 16, n. 1, p. 33-8, 2015.

FREIRE, M. Ti-bum: mergulhando no lúdico. In: SCHUWARTZ, G. M. (Org.). Dinâmica lúdica: novos olhares. São Paulo: Manole, 2004.

MANFROI, M. N.; FERREIRA, J. R. P.; MARINHO, A. Por outra educação física escolar: natureza, cultura e experiências na Costa da Lagoa (SC). Pensar a Prática, Goiânia, v. 18, n. 3, p. 675-86, 2015.

NASCIMENTO, L. C. G.; PINEDA, A. C.; CASTRO, G. G.; TONELLO, M. G. M. Natação para indivíduos com deficiência intelectual: uma revisão integrativa. Podium Sport, São Paulo, v. 8, n. 1, p. 140-50, 2019.

PAN, C. Y. Effects of water exercise swimming program on aquatic skills and social behaviors in children with autism spectrum disorders. Autism, Bath, v. 14, n. 1, p. 9-28, 2010.

PAN, C. Y. The efficacy of an aquatic program on physical fitness and aquatic skills in children with and without autism spectrum disorders. Research in Autism Spectrum Disorders, London, v. 5, n. 1, p. 657-65, 2011.

RODRIGUES, D. Atividade motora adaptada: a alegria do corpo. São Paulo: Artes Médicas, 2006.

RODRIGUES, M. N.; LIMA, S. R. Atividades motoras aquáticas na coordenação corporal de adolescentes com deficiência intelectual. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, Porto Alegre, v. 36, n. 2, p. 369-81, 2014.

ROSA NETO, F. Manual de avaliação motora. Porto Alegre: Artmed, 2002.

SANTOS, C. A. dos. Natação: ensino e aprendizagem. Rio de Janeiro: Sprint, 1996.

SOUZA, J. V.; CHAVES, R. S. O surfe adaptado para pessoas com deficiência visual: uma “onda” de sensações. Revista Adapta, Presidente Prudente, v. 11, n. 1, p. 13-8, 2015.

TEIXEIRA-ARROYO, C.; OLIVEIRA, S. R. G. Atividade aquática e psicomotricidade de crianças com paralisia cerebral. Motriz, Rio Claro, v. 13, n. 2, p. 97-105, 2007.

TORRI, D.; VAZ, A. F. Esporte paralímpico: difícil inclusão, incorporação tecnológica, corpos competitivos. Práxis Educativa, Ponta Grossa, v. 12, n. 2, p. 19-33, 2017.

VIEIRA, M. C. A natação para a pessoa com deficiência: oferecimento e envolvimento de programas em Campinas e região. Conexões, Campinas, v. 16, n. 2, p. 199-212, 2018.

WINNICK, J. P. Adapted physical education and sport. 5. ed. Champaign: Human Kinetics, 2010.

Downloads

Publicado

18.03.2019

Como Citar

MAYER, S. M.; DA CUNHA TRINDADE, L. V.; ELESBÃO, H.; BORFE, L. Projeto Piracema - natação para pessoas com deficiência: um relato de experiência. Caderno de Educação Física e Esporte, Marechal Cândido Rondon, v. 17, n. 1, p. 343–348, 2019. DOI: 10.36453/2318-5104.2019.v17.n1.p343. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/cadernoedfisica/article/view/20623. Acesso em: 21 maio. 2022.

Edição

Seção

Relato de Experiência