Perfil e desenvolvimento profissional de treinadores de tênis

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36453/2318-5104.2019.v17.n1.p167

Resumo


Objetivo: descrever o perfil de treinadores que atuam com a iniciação esportiva em tênis. Métodos: participaram 60 treinadores (35,8±9,1 anos) de 14 clubes, de cinco estados brasileiros. Esses profissionais responderam uma ficha contendo as variáveis sociodemográficas e uma versão adaptada do questionário QUAFIPETAR. Para a análise dos dados foram realizados cálculos de frequências, estatísticas descritivas de tendência central, dispersão e distribuição. Resultados: os resultados demonstraram que, de modo geral, os treinadores caracterizaram-se por: atuar há cinco anos ou mais no programa de iniciação esportiva; estar em atividade há mais de 10 anos na carreira profissional; apresentar nível de jogo compatível com a 1ª ou 2ª classes, pela respectiva federação estadual; ser graduado em Educação Física; e envolver-se, com frequência, em atividades/cursos de formação continuada, especialmente pela via federativa. A socialização pré-profissional com a modalidade ocorreu na função de pegadores de bolas. Esse fato, associado à ausência da disciplina tênis na formação inicial dos treinadores envolvidos, reforça a necessidade de aproximação da modalidade com o meio acadêmico. Conclusão: a análise do perfil da participação em formações continuadas ressalta a necessidade de maior oferta de atividades/cursos voltados ao contexto de participação.

ABSTRACT. Profile and professional development of tennis coaches. Objective: to describe the profile of coaches who work with sportive initiation in tennis. Methods: sixty coaches (35.8±9.1 years) from 14 clubs of five Brazilian states. Coaches filled in a form containing sociodemographic variables and an adapted version of QUAFIPETAR questionnaire. For the data analysis, frequency calculations, descriptive statistics of central tendency, dispersion and distribution were performed. Results: the results showed that, in general, the coaches were characterized by: acting for five years or more in the sports initiation program; having an active professional career for at least 10 years; presenting a game level compatible with 1st or 2nd class players of the respective state federation; having a Physical Education degree; and being frequently engaged in coaching education activities/courses, especially in the federative bias. The pre-professional socialization with the modality occurred in the function of ball boys. Conclusion: this fact associated to the absence of the tennis course in Physical Education School reported by coaches reinforces the need of a better approach between the sport tennis and University environment and the increase of better coaching education programs focusing the sport participation context.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Caio Corrêa Cortela, Universidade Estadual de Londrina (UEL)

Membro da Federação Paranaense de Tênis - FPT

Referências

ABRAHAM, A.; COLLINS, D.; MARTINDALE, R. The coaching schematic: validation through expert coach consensus. Journal of Sports Sciences, London, v. 24, n. 6, p. 549-64, 2006.

ACOSTA, V.; CARPENTER, L. Women in intercollegiate sport: a longitudinal, national study, thirty-five year update 1977-2014. West Brookfield, 2014. Disponível em: <http://www.acostacarpenter.org/>. Acessado em: 26 de outubro de 2016.

BRASIL. Lei 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Diário Oficial da União. Disponível em: . Acessado em: 9 de janeiro de 2015.

BRASIL. Lei 9.696, 1 de setembro de 1998. Diário Oficial da União. Disponível em: . Acessado em: 20 de janeiro de 2015.

CALLARY, B.; CULVER, D.; WERTHNER, P.; BALES, J. An overview of seven national high performance coach education programs. International Sport Coaching Journal, Birmingham, v. 1, p. 152-64, 2014.

CAVAZANI, R. N.; CESANA, J.; DA SILVA, L. H.; CRESSONI, F. E. G.; TAVARES JUNIOR, A. C.; ARANHA, A. C. M.; DRIGO, A. J. O técnico de judô: um estudo comparativo após 10 anos da regulamentação da educação física. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, Brasília, v. 21, n. 3, p. 105-17, 2013.

CHESTERFIELD, G.; POTRAC, P.; JONES, R. ‘Studentship’ and ‘impression management’ in an advanced soccer coach education award. Sport, Education and Society, London, v. 15, n. 3, p. 299-314, 2010.

COELHO E SILVA, M. J. C.; ROCHA, I. L.; GONÇALVES, C. E. Treinador de jovens e formação de jovens treinadores. In: COELHO E SILVA, M. J. C.; GONÇALVES, C. E.; FIGUEIREDO, A. (Eds.). Desporto de jovens ou jovens no desporto? Coimbra: FCDEF, 2006, p. 183-96.

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE TÊNIS (CBT). Sistema Nacional de Graduação Profissional. 2006. Disponível em: <http://cbt-tenis.com.br/capacitacao.php?cod=9>. Acessado em: 31 de janeiro de 2015.

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE TÊNIS. (CBT). Atividades do Departamento de Capacitação de Capacitação. 2016. Disponível em: <http://cbt-tenis.com.br/capacitacao.php>. Acessado em: 5 de janeiro de 2017.

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE TÊNIS. (CBT). Estrutura dos Cursos de formação oferecidos pelo Departamento de Capacitação. Disponível em: <http://cbt-tenis.com.br/capacitacao.php?cod=3>. Acessado em: 2 de fevereiro de 2017a.

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE TÊNIS. (CBT). Perguntas e respostas. Disponível em: <http://cbt-tenis.com.br/capacitacao.php?cod=6>. Acessado em: 2 de fevereiro de 2017b.

CORTELA, C. C.; ABURACHID, L. M.; SOUZA; S. P.; CORTELA, D. N. R.; FUENTES, J. P. G. A formação inicial e continuada dos treinadores paranaenses de tênis. Conexões, Campinas, v. 11, n. 2, p. 60-84, 2013.

CORTELA, C. C.; BALBINOTTI, C. A. A.; TOZETTO, A. B.; BOTH, J.; MILISTETD, M. Associação entre formação inicial e autopercepção de competência profissional de treinadores de tênis. Journal of Sport Pedagogy and Research, Rio Maior, v. 3, n. 2, p. 32-42, 2017.

CORTELA, C. C.; GONÇALVES, G. H. T.; KLERING, R. T.; BALBINOTTI, C. A. A. O “estado da arte” das publicações sobre tênis em periódicos nacionais. Coleção Pesquisa em Educação Física, Várzea Paulista, v. 15, n. 2, p. 143-51, 2016.

CÔTÉ, J.; ERICKSON, K.; DUFFY, P. Developing the expert performance coach. In: FARROW, D.; BAKER, J.; MACMAHON, C. (Eds.). Developing sport expertise: researches and coaches put theory into practice. 2. ed. Abingdon: Routledge, 2013. p. 96-112.

DIAS, J. M.; SANTOS, S. G.; SILVA, O. J.; ABES, L. O.; CARABAGIALLE, M. A.; SIQUEIRA, S. G. O ensino e aprendizagem de Tênis nos cursos de Educação Física. In: MORO, A. R. P.; DIAS, J. M. In: IV JornadaInternacional de treinamento e organização do tênis. Anais... Florianopolis: NETEC, 2002. p. 105-7.

DUFFY, P.; HARTLEY, H.; BALES, J.; CRESPO, M.; DICK, F.; VARDHAN, D.; NORDMANN, L.; CURADO, J. Sport coaching as a ‘profession’: challenges and future directions. International Journal of Sports Science Coaching, Seoul, v. 5, n. 2, p. 93-124, 2011.

FERREIRA, H.; SALLES, J. G. C.; MOURÃO L.; MORENO, A. A baixa representatividade de mulheres como técnicas esportivas no Brasil. Movimento, Porto Alegre, v. 19, n. 3, p. 103-24, 2013.

FERREIRA, H.; SALLES, J. G. C.; MOURÃO L.; MORENO, A. Inserção e permanência de mulheres como treinadoras esportivas no Brasil. Journal of Physical Education, Maringá, v. 26, n. 1, p. 21-9, 2015.

FONSECA, R. G.; SOUZA NETO, S. O profissionalismo na educação física: conflitos e disputas de jurisdições profissionais. Movimento, Porto Alegre, v. 21, n. 4, p. 1099-110, 2015.

FUENTES, J. P. G.; VILLAR, F. A. El entrenador de tenis de alto rendimento: un estudio sobre su formación inicial y permanente. Badajoz: APROSUBA -3, 2004.

GALATTI, L. R.; BETTEGA, O. B.; BRASIL, V. Z.; SOUZA SOBRINHO, A. E. P.; BERTRAM, R.; TOZETTO, A. V. B.; RODRIGUES, H.; COLLET, C.; NASCIMENTO, J. V.; MILISTETD, M. Coaching in Brazil sport coaching as a profession in brazil: an analysis of the coaching literature in Brazil from 2000-2015. International Sport Coaching Journal, Birmingham, v. 3, p. 316-31, 2016.

GOMES, R. E.; ISIDIO, A. S. M.; BATISTA, P. M. F.; MESQUITA, I. M. R. Acessado à carreira de treinador e reconhecimento das entidades responsáveis pela formação: um estudo com treinadores portugueses em função do nível de escolaridade e da experiência profissional. Journal of Physical Education, Maringá, v. 22, n. 2, p. 185-95, 2011.

HE, C.; TRUDEL, P.; CULVER, D. Actual and ideal sources of coaching knowledge of elite Chinese coaches. International Journal of Sports Science & Coaching, Manchester, v. 13, n. 4, p. 1-12, 2018.

INTERNATIONAL COUNCIL FOR COACHING EXCELLENCE. (ICCE). International Council for Coaching Excellence. International Sport Coaching Framework. 2. ed. Champaign: Human Kinetics, 2013.

INTERNATIONAL COUNCIL FOR COACHING EXCELLENCE. (ICCE). International Sport Coaching Framework. Champaign: Human Kinetics, 2012.

INTERNATIONAL TENNIS FEDERATION. (ITF). Coach education programme. 2014. Disponível em <http://en.coaching.itftennis.com/coach-education/coach-education-programme.aspx>. Acessado em: 3 de março de 2014.

LEITE, E. V.; CIESLAK, F.; SILVA, C. F.; BALBINOTTI, C. A. A.; CORTELA, C. C. Qualidade de vida, percepção de imagem corporal e aspectos de sonolência em treinadores de tênis de Campo Grande. Revista Brasileira de Qualidade de Vida, Curitiba, v. 8, n. 2, p. 175-90, 2016.

LEMYRE, F.; TRUDEL, P.; DURAND-BUSH, N. How youth-sport coaches learn to coach. The Sport Psychologist, Birmingham, v. 21, p. 191-209, 2007.

LIMA, M. B. N. Formação do treinador de tênis de alto rendimento no Brasil. 2011. 242f. Dissertação (Mestrado em Ciências do Movimento Humano) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis, 2011.

LIMA, M. B. N.; ANDRADE, A.; VASCONCELLOS, D. I. C.; FARIA, M. B. Perfil da formação inicial e permanente de treinadores de tênis de alto rendimento do Brasil. Pensar a Prática, Goiânia, v. 17, n. 1, p. 1-18, 2014.

MARTINES, I. C. As relações entre as organizações não governamentais e o governo do estado do Paraná no campo esportivo. In: MEZZADRI, F. M. (Org.). Políticas públicas e esporte. Várzea Paulista: Fontoura, 2014. p. 161-79.

MENDES, P. C. Planejamento do treino em tenistas juniores em percurso internacional, segundo as perspectivas dos treinadores e dos jogadores. 2005. 118f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento e Adaptação Motora) – Universidade de Coimbra, Coimbra, 2005.

MILISTETD, M.; CIAMPOLINI, V.; SALLES, W. N.; RAMOS, V; GALATTI, L. R.; NASCIMENTO, J. V. A. Coaches’ development in Brazil: structure of sports organizational programs. Sports Coaching Review, London, v. 1, p. 1-16, 2016.

MILISTETD, M.; SALLES, W. N.; BRASIL, V. Z.; SAAD, M. A.; NASCIMENTO, J. V. A formação de treinadores esportivos: realidade e perspectivas. In.: LEMOS, K. L. M.; GRECO, P. J.; MORALES, J. C. (Org.). In: V Congresso Internacional dos Jogos Desportivos. Anais... Belo Horizonte: UFMG, 2015. p. 285-310.

MILISTETD, M.; TRUDEL, P.; MESQUITA, I.; NASCIMENTO, J. V. Coaching and Coach Education in Brazil. International Sport Coaching Journal, Birmingham, v. 1, p. 165-72, 2014.

PIMENTEL, R. M.; GALATTI, L. R.; PAES, R. R. Pedagogia do esporte e iniciação esportiva tardia: perspectivas a partida da modalidade basquetebol. Pensar a Prática, Goiânia, v. 13, n. 1, p. 1-15, 2010.

RESENDE, R.; MESQUITA, I.; ROMERO, J. F. Caracterização e representação dos treinadores acerca da formação de treinadores de voleibol em Portugal. Lecturas: Educación Física y Deportes, Revista Digital, Buenos Aires, v. 12, n. 112, 2007. Disponível em: <http://www.efdeportes.com/efd112/ formacao-de-treinadores-de-voleibol-em-portugal.htm>. Acessado em: 22 de abril de 2012.

RODRIGUES, H. A. Formação e desenvolvimento profissional do treinador: um estudo sobre os treinadores de basquetebol, suas identidades e saberes. 2014. 233f. Tese (Doutorado em Educação Física) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2014.

RODRIGUES, H. A.; PAES, R. R.; SOUZA NETO, S. A socialização profissional do treinador esportivo como um processo formativo de aquisição de saberes. Movimento, Porto Alegre, v. 22, n. 2, p. 509- 21, 2016.

SANTOS, A. L. P. Formação de treinadores esportivos no Brasil: conquistas e possibilidades. In: Grupo de Pesquisas Interdisciplinares em Sociologia do Esporte. (Org.). Interfaces: esporte e sociedade - II Encontro Paulista de Sociologia do Esporte. Anais... São Paulo: Escola de Artes, Ciências e Humanidades, v. 1, 2014. p. 68-83.

TENNIS CANADA. Coaching Development System. Canadá. 2014. Disponível em: . Acessado em: 3 de março de 2014.

THOMAS, J. R.; NELSON, J. K.; SILVERMAN, S. J. Métodos de pesquisa em atividade física. Porto Alegre: Artmed, 2012.

VIVEIROS, L.; MOREIRA, A.; BISHOP, D.; AOKI, M. S. Ciência do esporte no brasil: reflexões sobre o desenvolvimento das pesquisas, o cenário atual e as perspectivas futuras. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, São Paulo, v. 29, n. 1, p. 163-75, 2015.

WRIGHT, T.; TRUDEL, P.; CULVER, D. Learning how to coach: the different learning situations reported by youth ice hockey coaches. Physical Education and Sport Pedagogy, London, v. 12, n. 2, p. 127-44, 2007.

Downloads

Publicado

12.03.2019

Como Citar

CORTELA, C. C.; MILISTETD, M.; GALATTI, L. R.; BOTH, J.; BALBINOTTI, C. A. A. Perfil e desenvolvimento profissional de treinadores de tênis. Caderno de Educação Física e Esporte, Marechal Cândido Rondon, v. 17, n. 1, p. 167–178, 2019. DOI: 10.36453/2318-5104.2019.v17.n1.p167. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/cadernoedfisica/article/view/20631. Acesso em: 26 maio. 2022.

Edição

Seção

Dossiê Formação e Desenvolvimento Profissional