A língua brasileira de sinais nos cursos de licenciatura em educação física: análise das instituições de ensino superior públicas da região sul do Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36453/2318-5104.2019.v17.n1.p209

Palavras-chave:

Educação Física, Libras, Licenciatura.

Resumo


Introdução: Considerando o Decreto Federal nº 5.626, de 22 de dezembro de 2005, a Língua Brasileira de Sinais passa a ser inserida como disciplina curricular obrigatória nos cursos de formação de professores. Objetivo: Dessa forma, objetivamos caracterizar a oferta da disciplina de Língua Brasileira de Sinais nos cursos de Licenciatura em Educação Física, nas universidades públicas da região sul do Brasil. Método: Para tanto, procedemos com uma abordagem qualitativa do problema, a nível exploratório e com o delineamento da pesquisa documental. Para a coleta dos dados utilizamos o site do e-MEC, assim, para obter o número total das universidades públicas da região sul, que oferecem o curso de Licenciatura em Educação Física presencial. Resultados: Desse modo, observamos: a) há 16 instituições públicas da região sul do Brasil oferecem o curso de Licenciatura em Educação Física; b) a disciplina de Libras está presente em todas as ementas analisadas; c) O termo mais presente nas ementas é ‘Básico de Libras’; d) constatamos uma variação entre 68h, 40h e até 30h da disciplina; e) em 15 instituições a disciplina de Libras é oferecida na modalidade presencial e uma na modalidade a distância. Conclusão: As experiências da Universidade Estadual de Ponta Grossa e da Universidade Federal do Rio Grande precisam ser mais exploradas, pois, são casos onde o padrão de ensino de libras é singular em relação às demais.

ABSTRACT. The brazilian signals language in the degree in physical education: analysis of the public higher education institutions of the southern region of Brazil. Introduction: After the promulgation of the Decree nº 5.626, of December 22, 2005, the Brazilian Signals Language (LIBRAS) was introduced as compulsory curricular discipline in the teacher formation courses. Purpose: Thus, the main purpose was to characterize the offer of the Brazilian Language of Signals in the Degree in Physical Education, at the public Universities of the southern region of Brazil. Method: Therefore, we proceed a qualitative approach to the problem, at the exploratory level and with the delineation of the documentary research. For the data collection we utilized the e-MEC website, likewise, to obtain the total number of the public Universities of the southern region, that offer the presential Degree in Physical Education. Results: We observe, as a result: a) there are sixteen public institutions in the southern region of Brazil offering the Degree in Physical Education; b) the discipline of Libras is present in all the analyzed summaries of the disciplines; c) the most present term in these summaries is “Basic of Libras”; d) we found a variation between 68h, 40h and until 30h of the discipline; e) in fifteen institutions, the discipline of Libras is offered in the presential modality and one in the distance modality. Conclusion: The experiences of State University of Ponta Grossa and Federal University of Rio Grande need to be more explored, because the both are cases in which the standard of teaching Libras is unique, when compared to other cases.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renon Carlos Costa Viatroski, Universidade Estadual de Ponta Grossa

Grupo de Estudos Esporte, Lazer e Sociedade

Aluno especial do Mestrado em Ciências Sociais Aplicadas/UEPG

Alysson Rafael Ribeiro de Pontes, Universidade Estadual de Ponta Grossa

Grupo de Estudos Esporte, Lazer e Sociedade

Mestrando em Ciências Sociais Aplicadas/UEPG

Érica Fernanda de Paula, Universidade Estadual de Ponta Grossa

Departamento de Educação Física/UEPG

Grupo de Estudos Esporte, Lazer e Sociedade/UEPG

Doutoranda em Ciências Sociais Aplicadas/UEPG

Diego Petyk de Sousa, Universidade Estadual de Ponta Grossa

Departamento de Educação Física/UEPG

Grupo de Estudos Esporte, Lazer e Sociedade/UEPG

Doutorando em Ciências Sociais Aplicadas/UEPG

Alfredo Cesar Antunes, Universidade Estadual de Ponta Grossa

Departamento de Educação Física/UEPG

Grupo de Estudos Esporte, Lazer e Sociedade/UEPG

Professor adjunto da UEPG

Docente do Mestrado e Doutorado Interdisciplinar, em Ciências Sociais Aplicadas, da Universidade Estadual de Ponta Grossa.

Tem experiência na área de Educação Física, com ênfase em Formação Profissional, atuando principalmente nos seguintes temas: formação profissional, sociologia e representações sociais.

Referências

ALMEIDA JUNIOR, J. Ensino híbrido: personalização e tecnologia na educação. Revista Thema, Pelotas, v. 14, n. 2, p. 336-40, 2017.

ANTUNES, A. C. Dimensão prática na preparação profissional em educação física: concepção e organização acadêmica. 2012. 264f. Tese (Doutorado em Educação Física) - Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2012.

ANTUNES, A. C. Mercado de trabalho e educação física: aspectos da preparação profissional. Revista de Educação, Itatiba, v. 10, n. 10, p. 141-9, 2007.

BARBOSA, M. A. A inclusão do surdo no ensino regular: a legislação. 2007. 74f. TCC (Graduação em Pedagogia) - Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho, Marília, 2007.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70 2011.

BISCONSINI, C. R.; SILVA JÚNIOR, A. P.; OLIVEIRA, A. A. B. Ações pedagógicas ligadas à escola na formação inicial de licenciatura em educação física. Caderno de Educação Física e Esporte, Marechal Cândido Rondon, v. 17, n. 1, p. 1-10, 2019.

BRANDL, C. E. H. A educação física escolar: houve mudanças significativas nas últimas décadas? Caderno de Educação Física e Esporte, Marechal Cândido Rondon, v. 7, n. 13, p. 87-9, 2008.

BRASIL. Decreto nº 5.626, de 22 de dezembro de 2005. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais- Libras. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2005/Decreto/ D5626.htm>. Acessado em: 18 ago. 2017.

BRASIL. Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras - e dá outras providências. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/2002/L10436. htm>. Acessado em: 17 ago.2017.

BRASIL. Ministério da Educação: portaria nº 4.059, de 10 de dezembro de 2004. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/sesu/arquivos/pdf/port4059-2004.pdf>. Acesso em: 22 nov. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação: Resolução n° 7, de 31 de março de 2004. Conselho nacional de educação: Câmera de educação superior. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/ pdf/ces0704edfisica.pdf>. Acesso em: 8 set. 2017.

CORREIA, A. Implementação da língua brasileira de sinais no ensino superior Federal: análise da atuação dos burocratas de nível de rua. 2018. 180f. Dissertação (Mestrado em Politicas Publicas) – Universidade Federal do ABC, São Bernardo do Campo, 2018.

FORCADELL, E. P. C. S. P.; MOLINA, A. A. escola regular inclusiva e escola bilíngue para surdos: contribuições da disciplina de libras na formação do futuro professor. Revista do Centro de Educação, Letras e Saúde da Unioeste, Foz do Iguaçu, v. 18, n. 1, p. 146-67, 2016.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2017.

GUARINELLO, A. C.; BERBERIAN, A. P.; SANTANA, A. P.; MASSI, G.; PAULA, M. A inserção do aluno surdo no ensino regular: visão de um grupo de professores do Estado do Paraná. Revista Brasileira de Educação Especial, Marília, v. 12, n. 3, p.317-30, 2006.

LACERDA, C. B. F. de. A inclusão escolar de alunos surdos: o que dizem alunos, professores e intérpretes sobre esta experiência. Caderno Cedes, Campinas, v. 26, n. 69, p. 163-84, 2006.

MACHADO, R. R. Licenciatura em educação física: língua brasileira de sinais (Libras). Ponta Grossa: UEPG/NUTEAD, 2011.

MALLMANN, F. M.; CONTO, J.; BAGAROLLO, M. F.; FRANÇA, D. M. V. R. A inclusão do aluno surdo no ensino médio e ensino profissionalizante: um olhar para os discursos dos educadores. Revista Brasileira de Educação Especial, Marília, v. 20, n. 1, p. 131-46, 2014.

NOVAES, R. G.; TRUGILLO, E. A. O aluno surdo no contexto do ensino regular. Revista Eventos Pedagógicos, Sinop, v. 2, n. 2, p. 210-9, 2011.

NUNES, E. S.; FRAGA, L. Análise da lei Municipal nº 12.213 de 23/06/2015: as lacunas da inclusão bilíngue dos alunos surdos na rede municipal de ensino do município de Ponta Grossa. Revista Trama, Marechal Cândido Rondon, v. 14, n. 33, p. 99-105, 2018.

OLIVEIRA, L. A. B. Um olhar psicopedagógico na inclusão de um aluno surdo. Revista Holos, Natal, v. 7, p. 103-16, 2018.

OLIVEIRA, V. R.; PIRES, G. A. C.; ENISWELER, K. C.; MALACARNE, V. Educação dos surdos: escola inclusiva versus escola bilíngue. Revista de Educação Educere et Educare, Cascavel, v. 10, n. 20, p. 887-96, 2015.

RIZZO, J. G. S. Olhares de Norbert Elias: inclusão escolar do aluno surdo. Revista EaD & Tecnologias Digitais na Educação, Dourados, v. 5, n. 7, p. 86-90, 2017.

ROSSI, A. R. O ensino de libras na educação superior: ventos, trovoadas e brisas. 2014. 146f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2014.

SACKS, O. W. Vendo vozes: uma viagem ao mundo dos Surdos. São Paulo: Companhia de Letras, 2010.

SANTIAGO, V. A. A. Atuação de intérpretes de língua de sinais na pós-graduação lato sensu: estratégias adotadas no processo dialógico. 2013. 97f. Dissertação (Mestrado em Educação Especial) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2013.

SILVA, L. R. C.; DAMACENO, A. D.; MARTINS, M. C. R. ; SOBRAL, K. M.; FARIAS, I. M. S. Pesquisa documental: alternativa investigativa na formação docente. In: IX Congresso Nacional de Educação; III Encontro Sul Brasileiro de Psicopedagogia, Anais... Curitiba: Pontifícia Universidade Católica do Paraná, 2009. Disponível em: <http://educere.bruc.com.br/arquivo/pdf2009/3124_1712.pdf>. Acessado em: 15 de julho de 2018.

VERAS, D. S.; BRAYNER, I. C. S. Atuação docente: ensino de libras no ensino superior. Trama, Marechal Cândido Rondon, v. 14, n. 32, p. 121-30, 2018.

Downloads

Publicado

11.06.2019

Como Citar

VIATROSKI, R. C. C.; PONTES, A. R. R. de; PAULA, Érica F. de; SOUSA, D. P. de; ANTUNES, A. C. A língua brasileira de sinais nos cursos de licenciatura em educação física: análise das instituições de ensino superior públicas da região sul do Brasil. Caderno de Educação Física e Esporte, Marechal Cândido Rondon, v. 17, n. 1, p. 209–215, 2019. DOI: 10.36453/2318-5104.2019.v17.n1.p209. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/cadernoedfisica/article/view/22027. Acesso em: 2 jul. 2022.

Edição

Seção

Dossiê Formação e Desenvolvimento Profissional