Validade e reprodutibilidade de dispositivos e aplicativos móveis para avaliar e monitorar a aptidão cardiorrespiratória de adultos: uma revisão sistemática

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36453/cefe.2022.27552

Palavras-chave:

Aptidão Cardiorrespiratória, Dispositivos Móveis, Dispositivos Aletrônicos, Aplicativos

Resumo


INTRODUÇÃO: Tradicionalmente a avaliação e monitoramento da aptidão cardiorrespiratória é realizada de forma indireta, com poucos recursos tecnológicos. A partir do surgimento e popularização dos dispositivos eletrônicos móveis, este monitoramento passou a ser realizado também por meio destes novos recursos. Entretanto, poucos dispositivos portáteis são testados de forma rigorosa para identificar sua validade.

OBJETIVO: Desenvolver uma revisão sistemática da literatura, buscando identificar os estudos que realizaram a validação e a reprodutibilidade de dispositivos e aplicativos móveis para avaliar e monitorar a aptidão cardiorrespiratória em adultos. 

MÉTODOS: Estudo de revisão sistemática da literatura em acordo com as recomendações metodológicas da The Cochrane Collaboration. Os termos cardiorespiratory fitness, mobile devices, electronic device e adults foram utilizados na composição das sintaxes de busca nas bases de dados Web of Science, Scopus, LILACS – Inglês; LILACS - Português, SciELO; SciELO Brasil e PubMed/MEDLINE, nos idiomas português, inglês e espanhol. O intervalo temporal das buscas compreendeu o período de janeiro de 2015 até dezembro de 2019.

RESULTADOS: Um total de 3.396 estudos foram encontrados a partir das buscas iniciais. Após aplicados os filtros, 488 trabalhos foram selecionados para a leitura de títulos, dos quais, 43 foram incluídos na etapa de leitura de resumos. Foram considerados elegíveis para a fase de leitura na íntegra 19 estudos, dos quais, 09 foram incluídos na presente revisão. Em relação à validade dos aplicativos e dispositivos, sete estudos apresentam resultados satisfatórios referentes aos dados dos equipamentos, indicando alta correlação entre os resultados do equipamento avaliado e o método comparativo, boa precisão do equipamento ou validade dos dados gerados. Por outro lado, dois estudos sugeriram prudência no uso dos equipamentos.

CONCLUSÃO: A presente revisão identificou que existem poucos estudos desenvolvidos para a validação dos dispositivos e aplicativos móveis voltados ao monitoramento da aptidão cardiorrespiratória. Os aplicativos de smartphones e as roupas inteligentes parecem ser os recursos mais confiáveis até o momento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Diogo Bertella Foschiera, Instituto Federal do Paraná (IFPR), Curitiba

Graduado em Educação Física pelo Instituto Federal do Paraná (2013). Especialista em Docência no Ensino Superior pela Faculdade de Educação São Luiz (2017). Mestre em Educação Física (Ciências do Movimento Humano) pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná - UTFPR (2021). Docente do Curso de Educação Física do Instituto Federal do Paraná/IFPR - Campus Palmas. Membro do Grupo de Pesquisa em Atividade Física, Esporte e Tecnologia (GEPAFETec) e do Grupo de Estudos relacionados sobre comportamentos ativos e saudáveis - CAS. Experiência na área de Educação Física, com ênfase em formação de docentes, atuando principalmente nos seguintes temas: Psicologia do Esporte, Esporte e Exercício Físico.

Referências

ARAÚJO, C. G. S.; CASTRO, C. L.; FRANCA, J. F.; SILVA, C. G. de S. CLINIMEX Aerobic Fitness Questionnaire: proposal and validation. International Journal of Cardiovascular Sciences, Rio de Janeiro, v. 32, n. 4, p. 331-42, 2019. DOI: <https://doi.org/10.5935/2359-4802.20190064 >.

BALBANI, A. P. S. Impacto do uso do telefone celular na saúde de crianças e adolescentes. Revista Paulista de Pediatria, São Paulo, v. 29, n. 3, p. 430-6, 2011. DOI: <https://doi.org/10.1590/S0103-05822011000300019>.

BARRA, D. C. C.; PAIM, S. M. S.; DAL SASSO, G. T. M.; COLLA, G. W. Métodos para desenvolvimento de aplicativos móveis em saúde: revisão integrativa da literatura. Texto e Contexto Enfermagem, Florianópolis, v. 26, n. 4, p. 1-12, 2017. DOI: <https://doi.org/10.1590/0104-07072017002260017>.

BELTRAME, T.; AMELARD, R.; WONG, A.; HUGHSON, R L. Prediction of oxygen uptake dynamics by machine learning analysis of wearable sensors during activities of daily living. Scientific Reports, London, v. 7, p. 1-8, 2017. DOI: <https://doi.org/10.1038/srep45738>.

BORT-ROIG, J.; GILSON, N. D.; PUIG-RIBERA, A.; CONTRERAS, R. S.; TROST, S. G. Measuring and Influencing physical activity with smartphone technology: A systematic review. Sports Medicine, London, v. 44, n. 5, p. 671-86, 2014. DOI: <https://doi.org/10.1007/s40279-014-0142-5>.

BOTTCHER, L. B. Atividade física como ação para promoção da saúde. Revista Eletrônica Gestão & Saúde, Brasília, p. 98-111, 2019. DOI: <https://doi.org/10.26512/gs.v0i0.23324>.

CHALMERS, I. The Cochrane Collaboration: Preparing, maintaining and promoting the accessibility of systematic reviews of the effects of health care interventions. The Cochrane Collaboration. Library, 2012. DOI: <https://doi.org/10.1111/j.1749-6632.1993.tb26345.x>.

COLLINS, T.; WOOLLEY, S. I.; ONIANI, S.; PIRES, I. M.; GARCIA, N. M.; LEDGER, S. J.; PANDYAN, A. Version reporting and assessment approaches for new and updated activity and heart rate monitors. Sensors, Basel, v. 19, n. 7, p. 1-13, 2019. DOI: <https://doi.org/10.3390/s19071705>.

DÜKING, P.; HOTHO, A.; HOLMBERG, H. C.; FUSS, F. K.; SPERLICH, B. Comparison of non-invasive individual monitoring of the training and health of athletes with commercially available wearable technologies. Frontiers in Physiology, Lausanne, v. 7, n. 71, p. 1-11, 2016. DOI: <https://doi.org/10.3389/fphys.2016.00071>.

GANESAN, A. N.; LOUISE, J.; HORSFALL, M.; BILSBOROUGH, S. A.; HENDRIKS, J.; MCGAVIGAN, A. D.; … ; CHEW, D. P. International mobile-health intervention on physical activity, sitting, and weight: The Stepathlon Cardiovascular Health Study. Journal of the American College of Cardiology, Washington DC, v. 67, n. 21, p. 2453-63, 2016. DOI: <https://doi.org/10.1016/j.jacc.2016.03.472>.

GODINHO, A. S.; GONÇALVES, N. H.; AGUIAR, F, S.; SILVA JUNIOR, R. F. da.; BAUMAN, J. M.; BAUMAN, C. D. Principais fatores relacionados ao sobrepeso e obesidade infantil. Revista Eletrônica Nacional de Educação Física, Montes Claros, v. 9, n. 13, p. 27-40, 2019. DOI: <https://doi.org/10.35258/rn2019091300028>.

GUERRA, P. H.; FARIAS JÚNIOR, J. C. de; FLORINDO, A. A. Sedentary behavior in Brazilian children and adolescents: a systematic review. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 50, n.9, p. 1-15, 2016. DOI: <https://doi.org/10.1590/S1518-8787.2016050006307>.

HALSON, S. L.; PEAKE, J. M.; SULLIVAN, J. P. Wearable technology for athletes: Information overload and pseudoscience? International Journal of Sports Physiology and Performance, Hanover, v. 11, n. 6, p. 705–706, 2016. DOI: <https://doi.org/10.1123/IJSPP.2016-0486>.

KANTOCH, E. Recognition of sedentary behavior by machine learning analysis of wearable sensors during activities of daily living for telemedical assessment of cardiovascular risk. Sensors, Basel, v. 18, n. 10, p. 2-17, 2018. DOI: <https://doi.org/10.3390/s18103219>.

LEE, R. G.; CHEN, C. Y.; HSIAO, C. C.; LIN, R. Heart rate monitoring systems in groups for reliability and validity assessment of cardiorespiratory fitness analysis. Biomedical Engineering: Applications, Basis and Communications, Singapura, v. 27, n. 6, p. 1-15, 2015. DOI: <https://doi.org/10.4015/S1016237215500556>.

LIMA, D. F. de; LEVY, R. B.; LUIZ, O. do C. Recomendações para atividade física e saúde: consensos, controvérsias e ambiguidades. Revista Panamericana de Salud Publica, Washington, v. 36, n. 3, p. 164-70, 2014. Disponível em: <https://www.scielosp.org/article/rpsp/2014.v36n3/164-170>.

MIDDELWEERD, A. VAN DER PLOEG, H. P.; VAN HALTEREN, A.; TWISK, J. W. R.; BRUG, J.; TE VELDE, S. J. A validation study of the fitbit one in daily life using different time intervals. Medicine and Science in Sports and Exercise, Indianapolis, v. 49, n. 6, p. 1270-9, 2017. DOI: <https://doi.org/10.1249/MSS.0000000000001225>.

OLIVEIRA, A. R. F. de; ALENCAR, M. S. M. de. O uso de aplicativos de saúde para dispositivos móveis como fontes de informação e educação em saúde. Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v. 15, n. 1, p. 234-45, 2017. DOI: <https://doi.org/10.20396/rdbci.v0i0.8648137>.

PEAKE, J. M.; KERR, G.; SULLIVAN, J. P. A critical review of consumer wearables, mobile applications, and equipment for providing biofeedback, monitoring stress, and sleep in physically active populations. Frontiers in Physiology, Lausanne v. 9, p. 1-19, 2018. DOI: <https://doi.org/10.3389/fphys.2018.00743>.

PRESSET, B.; LAURENCZY, B.; MALATESTA, D.; BARRAL, J. Accuracy of a smartphone pedometer application according to different speeds and mobile phone locations in a laboratory context. Journal of Exercise Science and Fitness, Hong Kong, v. 16, n. 2, p. 43-8, 2018. DOI: <https://doi.org/10.1016/j.jesf.2018.05.001>.

RAHSEPAR, A. A.; COLLINS, J. D.; KNIGHT, B. P.; HONG, K.; CARR, J. C.; KIM, D. Wideband LGE MRI permits unobstructed viewing of myocardial scarring in a patient with an MR-conditional subcutaneous implantable cardioverter-defibrillator. Clinical Imaging, New York, v. 50, p. 294-6, 2018. DOI: <https://doi.org/10.1016/j.clinimag.2018.05.005>.

RENSBURG, D. C. J. V.; GRANT, C. C.; RENSBURG, A. J. V.; BOTHA, R. P. G.; WOOD, P. S.; NOLTE, K.; … ; KRUGER, P. E. The fittrack index as fitness indicator: A pilot study. Health SA Gesondheid, Cape Town, v. 21, p. 431-6, 2016. DOI: <http://dx.doi.org/10.1016/j.hsag.2016.07.005>.

ROCHA, B. M. C.; GOLDBAUM, M.; CÉSAR, C. L. G.; STOPA, S. R. Sedentary behavior in the city of São Paulo, Brazil: ISA-Capital 2015. Revista Brasileira de Epidemiologia, Rio de Janeiro, v. 22, p. 1-15, 2019. DOI: <https://doi.org/10.1590/1980-549720190050>.

SAWKA, M. N.; FRIEDL, K. E. Emerging wearable physiological monitoring technologies and decision AIDS for health and performance. Journal of Applied Physiology, Rockville, v. 124, n. 2, p. 430-1, 2018. DOI: <https://doi.org/10.1152/japplphysiol.00964.2017>.

SOKAS, D.; PETRENAS, A.; DAUKANTAS, S.; RAPALIS, A.; PALIAKAITE, B.; MAROZAS, V. Estimation of heart rate recovery after stair climbing using a wrist-worn device. Sensors, Basel, v. 19, n. 9, p. 1-14, 2019. DOI: <https://doi.org/10.3390/s19092113 >.

TOTH, L. P.; PARK, S.; SPRINGER, C. M.; FEYERABEND, M. D.; STEEVES, J. A.; BASSETT, D. R. Video-recorded validation of wearable step counters under free-living conditions. Medicine and Science in Sports and Exercise, Indianapolis, v. 50, n. 6, p. 1315-22, 2018. DOI: <https://doi.org/10.1249/MSS.0000000000001569>.

VICTO, E. R. de.; FERRARI, G. L. de M.; SILVA JUNIOR, J. P. da.; ARAÚJO, T. L.; MATSUDO, V. K. R. Lifestyle indicators and cardiorespiratory fitness in adolescents. Revista Paulista de Pediatria, São Paulo, v. 35, n. 1, p. 61-8, 2017. DOI: <https://doi.org/10.1590/1984-0462/;2017;35;1;00016>.

Downloads

Publicado

01.07.2022

Como Citar

FOSCHIERA, D. B.; LEGNANI, E.; GUSTAVE, E. L. D.; CIESIELSKI-JUNIOR, D. F.; MIRANDA-JUNIOR, C. R.; ABREU, S. L. de; LEGNANI, R. F. S. Validade e reprodutibilidade de dispositivos e aplicativos móveis para avaliar e monitorar a aptidão cardiorrespiratória de adultos: uma revisão sistemática. Caderno de Educação Física e Esporte, Marechal Cândido Rondon, v. 20, p. e–27552, 2022. DOI: 10.36453/cefe.2022.27552. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/cadernoedfisica/article/view/27552. Acesso em: 19 ago. 2022.