Aspectos relacionados à atuação de professores/as de educação física durante o ensino remoto na pandemia da Covid-19

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36453/cefe.2021.n3.27592

Palavras-chave:

Educação Física, Ensino Remoto, Pandemia

Resumo


INTRODUÇÃO: A suspensão das aulas presenciais devido à pandemia da Covid 19 ocasionou mudanças repentinas nos modos de aprender e ensinar. Neste surge a necessidade de aprofundar as reflexões sobre a educação física escolar, uma disciplina com caráter pedagógico predominantemente prático, especialmente na educação básica. OBJETIVO: Verificar a relação da idade e rede de ensino em que o/a professor/a leciona com fatores associados à Educação Física escolar no período de ensino remoto durante a pandemia da COVID 19. MÉTODOS: O estudo caracterizou-se como pesquisa quantitativa, com delineamento correlacional e descritivo. A pesquisa foi realizada entre os meses de maio e junho de 2021, com 106 professores/as de Educação Física que atuaram durante o período de pandemia da Covid-19. Para a coleta de informações foi utilizado um questionário semiaberto. Os dados foram tabulados em planilha Microsoft Excel® e as análises realizadas por meio do Statistical Package for the Social Sciences, versão 24. RESULTADOS: Entre os principais achados, verificou-se que, proporcionalmente, mais professores/as da rede particular de ensino (83,3%) do que os professores/as da rede pública (24,1%), receberam capacitação para atuar no ensino remoto, com significância de p<0,05. De forma similar, os/as professores/as da rede particular, proporcionalmente, receberam maior apoio em equipamento para atuação de forma remota (41,7%) do que os da rede pública (2,4%), p<0,05. A análise de correlação demonstrou ainda, que quanto menor a idade dos sujeitos da amostra, maior o número de conteúdos autorrelatados, com dificuldade de ensino (ρ=-0,36, p<0,05). CONCLUSÃO: Concluiu-se que, existiu relação entre a idade e o número de conteúdos que os/as docentes tiveram dificuldade de desenvolver, bem como diferença no apoio de capacitação e apoio aos/às docentes, de acordo com cada rede de ensino, sendo que esse apoio foi superior na rede privada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Márcia Franciele Spies, Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Profissional de Educação Física. Mestre em Ciências Sociais.Doutoranda  em Educação. Integrante do Grupo de Estudos e Pesquisa em Educação e Movimento- GEPEM

Cielle Amanda de Sousa e Silva, Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Profissional de Educação Física. Especialista em Atividaade Física e Dança. Mestranda  em Educação. Integrante do Grupo de Estudos e Pesquisa em Educação e Movimento- GEPEM

Geisan Munique Giovanetti Gomes, Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Profissional de Educação Física.Mestranda  em Educação. Integrante do Grupo de Estudos e Pesquisa em Educação e Movimento- GEPEM

Mariza Antunes de Lima, Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Profissional de Educação Física. Mestre em Educação.Integrante do Grupo de Estudos e Pesquisa em Educação e Movimento- GEPEM

Guilherme da Silva Gasparotto, Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Doutor em Educação Física.Coordenador do Grupo de Estudos e Pesquisa em Educação e Movimento da Universidade Federal do Paraná- GEPEM

Referências

BRASIL. Ministério da Educação. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília: Presidência da República, 1996. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm>. Acessado em: 12 de junho de 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC/SEB, 2018. Disponível em: <http://basenacionalcomum.mec.gov.br/>. Acesso em: 12 de junho de 2021.

CONCEIÇÃO, N. M. PIBID: sua importância na formação acadêmica e nas aulas de educação física escolar. 2017. 43f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Educação Física) - Universidade Federal Fluminense, 2017.

COSTA, M. R. M.; SOUSA, J. C. Desafios da educação e das tecnologias de informação e comunicação durante a pandemia de Covid-19: problematizando a transmissão de aulas assíncronas nos canais de televisão aberta e o uso da internet para fins didático-pedagógicos. Revista Com Censo, Brasília, v. 7, n. 3, p. 55-64, 2020.

COUTINHO, G. L. A era dos smartphones: um estudo exploratório sobre o uso dos smartphones no Brasil. 2014. 67f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Comunicação Social) - Universidade de Brasília, Brasília, 2014.

FONTELLES, M. J.; SIMÕES, M. G.; FARIAS, S. H.; FONTELLES, R. G. Metodologia da pesquisa científica: Diretrizes para a elaboração de um protocolo de pesquisa. Revista Paraense de Medicina, Belém, v. 23, n. 3, p. 1-8. 2009.

INSTITUTO PENÍNSULA. Sentimento e percepção dos professores brasileiros nos diferentes estágios do Coronavírus no Brasil. Março de 2020. São Paulo: Instituto Península, 2020. Disponível em: <https://institutopeninsula.org.br/wp-content/uploads/2020/05/Pulso-Covid-19_-Instituto-Peni%CC%81nsula.pdf>. Acessado em: 13 de junho de 2021.

MALLAGI. V. Tecnologia em tempos de pandemia: a educação a distância enquanto panaceia tecnológica na educação básica. Criar Educação, Criciúma, v. 9, n. 2, Edição Especial, p. 51-79, 2020.

RICHARDSON, R. J. Pesquisa social: métodos e técnicas. São Paulo: Atlas, 1999.

RODRIGUES, E. Ensino remoto na educação superior: desafios e conquistas em tempos de pandemia. SBC Horizontes, Revista Digital, Porto Alegre, jun. 2020. Disponível em: <http://horizontes.sbc.org.br/index.php/2020/06/ensino-remoto-na-educacao-superior>. Acessado em: 15 de junho de 2021.

SILVA, A. J. F. da; SILVA, C. C. da; TINÔCO, R. de G.; VENÂNCIO, L.; SANCHES NETO, L.; ARAÚJO, A. C. de. Desafios da educação física escolar em tempos de pandemia: notas sobre estratégias e dilemas de professores(as) no combate à Covid-19 (Sars-Cov-2). Cenas Educacionais, Caetité, v. 4, e-10618, 2021.

SKOWRONSKI, M. Práticas corporais para além das quadras: educação física escolar ao alcance de todos no ensino remoto. In: X Simpósio Internacional de Educação e Comunicação, Aracajú, Março de 2021. Anais do SIMEDUC, Revista Digital, Aracajú, n. 10, 2021. Disponível em: <https://eventos.set.edu.br/simeduc/article/view/14873>. Acessado em: 14 de junho de 2021.

SOARES, L. V.; COLARES, M. L. I. S. Educação e tecnologias em tempos de pandemia no Brasil. Debates em Educação, Maceió, v. 12, n. 28, p. 19-41, 2020.

THOMAS, J. R.; NELSON J. K.; SILVERMAN, S. J. Métodos de pesquisa em atividade física. 6. ed. Porto Alegre: Artmed, 2012.

UNICEF. United Nations International Children’s Emergency Fund. How many children and young people have internet access at home? Estimating digital connectivity during teh COVID-19 pandemic. UNICEF: New York, 2020. Disponível em: <https://www.unicef.org/brazil/media/10006/file/remote-learning-factsheet.pdf>. Acessado em: 18 de junho de 2021.

WHO. World Health Organization. Risk communication and community engagement (rcce) action plan guidance covid-19 preparedness and response. March, 2020. <https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/331513/WHO-2019-nCoV-RCCE-2020.2-eng.pdf>. Acessado em: 12 de junho de 2021.

Downloads

Publicado

29-09-2021

Como Citar

SPIES, M. F.; DE SOUSA E SILVA, C. A.; GIOVANETTI GOMES, G. M.; DE LIMA, M. A.; GASPAROTTO, G. da S. Aspectos relacionados à atuação de professores/as de educação física durante o ensino remoto na pandemia da Covid-19. Caderno de Educação Física e Esporte, Marechal Cândido Rondon, v. 19, n. 3, 2021. DOI: 10.36453/cefe.2021.n3.27592. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/cadernoedfisica/article/view/27592. Acesso em: 26 out. 2021.

Edição

Seção

Dossiê Educação Física Escolar: desafios e possibilidades na atualidade