As práticas corporais de aventura nas aulas de educação física durante o ensino remoto: planejando o movimentar-se com a prancha de equilíbrio

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36453/cefe.2021.n3.27630

Palavras-chave:

Práticas Corporais de Aventura, Ensino remoto, Educação Física.

Resumo


OBJETIVO: Apresentar a proposta de planejamento e a construção de uma prancha de equilíbrio para o ensino das Práticas Corporais de Aventura para alunos dos anos finais do ensino fundamental, no contexto do ensino remoto. MÉTODOS: Foi elaborado a partir da Disciplina Estágio Supervisionado em Educação Física Escolar II, desenvolvida no 2° semestre de 2020, do curso de Licenciatura em Educação Física da Universidade Federal de Santa Catarina. texto considera a análise conjuntural da Educação Física no ensino remoto e da unidade educativa que serviu de base para se estruturar este planejamento. A proposta de intervenção foi pensada buscando considerar os conteúdos yoga e meditação que estavam sendo trabalhados pela professora da turma. RESULTADOS: Destaca-se que o conteúdo Práticas Corporais de Aventura surgiu a partir de um levantamento prévio feito com os estudantes sobre conteúdos que tinham interesse em aprender. Foi planejado um conjunto de cinco módulos de conteúdos para duas turmas do nono ano da escola-campo. CONCLUSÃO: Conclui-se que essa experiência pedagógica proporcionou aos envolvidos um conjunto de aprendizados significativos para o incremento da prática pedagógica docente. E que, a ausência do contato mais efetivo com os estudantes e com a realidade da escola-campo impactou a experiência formativa dos graduandos em Educação Física.ABSTRACT. The body practices of adventure in physical education classes during remote teaching: planning to move with the balance board.OBJECTIVE: To present the proposal for planning and building a balance board for teaching Adventure Body Practices to students in the final years of elementary school, in the context of distance education. METHODS: It was developed from the Discipline Supervised Internship in School Physical Education II, developed in the 2nd semester of 2020, of the Licentiate Degree in Physical Education at the Federal University of Santa Catarina. The text considers the conjunctural analysis of Physical Education in remote education and the educational unit that served as the basis for structuring this planning. The intervention proposal was designed seeking to consider the yoga and meditation contents that were being worked on by the class teacher. RESULTS: It is noteworthy that the Corporal Practices of Adventure content emerged from a previous survey made with students about content they were interested in learning. A set of five content modules was planned for two classes in the ninth year of the field-school. CONCLUSION: It is concluded that this pedagogical experience provided those involved with a set of significant learnings for the increment of the teaching pedagogical practice. And that the lack of more effective contact with students and with the reality of the school-field impacted the formative experience of undergraduates in Physical Education.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Kauana Possamai, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Acadêmica de Educação Física- licenciatura, na Universidade Federal de Santa Catarina. Bolsista de Iniciação Científica no Laboratório de Pedagogia do Esporte - LAPE do Centro de Desportos -CDS, realizando pesquisas em percursos de formação desportiva em jovem atleta. Realizou intercâmbio de 2017/1 - 2017/2 em Portugal, na Universidade do Porto na Faculdade de Desportos.

Pedro Henrique Monticelli da Luz, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Foi bolsista PIBID na Escola Beatriz de Souza Brito, Núcleo de Desenvolvimento Infantil (NDI - UFSC) e PIBIC.

Rogério Santos Pereira, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Possui graduação em Educação Física (Licenciatura e Bacharelado) pela Universidade Federal de Viçosa (2005), mestrado em Educação Física pela Universidade Federal de Santa Catarina (2009) e doutorado em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina (2014). Foi bolsista PDSE/CAPES com estágio de doutoramento sanduíche junto à Università Cattolica del Sacro Cuore (Milão, Itália). É professor do Departamento de Educação Física e do Programa de Pós-Graduação em Educação, ambos da Universidade Federal de Santa Catarina. Co-coordena o grupo de pesquisa LABOMÍDIA - Laboratório e Observatório da Mídia Esportiva (CDS/UFSC). É co-editor da Revista Motrivivência/CDS/UFSC. Coordenou o Centro de Desenvolvimento de Pesquisas em Políticas de Esporte e de Lazer da Rede Cedes de Santa Catarina (Rede CEDES/SNELIS/Ministério do Esporte). Linhas de atuação: Educação Física, Esporte e Lazer, Mídia-Educação, Formação de Professores. 

Isadora Vieira Prates, Secretaria Municipal de Educação (SME), Florianópolis

Possui Bacharelado em Educação Física pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2016) e Graduação Sanduíche em Licenciatura em Educação Física pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul em co-tutela com a Universidade de Coimbra (UC) no Programa das Licenciaturas Internacionais (PLI) financiado pela CAPES (2015). Também atuou no Programa de Iniciação a Docência (PIBID) na UFRGS entre 2013 e 2014. Atualmente é professora de educação física da Prefeitura Municipal de Florianópolis. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em educação física, atuando principalmente nos seguintes temas: educação física escolar, participação estudantil, e grêmio estudantil.

Fabiane Castilho Teixeira Breschiliare, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Professora Adjunta do Departamento de Educação Física (DEF) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Doutora em Educação Física pelo Programa de Pós Graduação Associado UEM/UEL (2018); Mestre em Educação Física pelo Programa de Pós Graduação Associado UEM/UEL (2012); Especialista em Prescrição Personalizada de Exercícios Físicos - Personal Training pela UEM (2010); Graduada em Educação Física pela UEM (2008). Coordenadora de área do subprojeto Pibid Educação Física - UFSC. É pesquisadora do SÔMA - Núcleo de Estudos em Cultura, Corpo e Movimento, (CDS/DEF/UFSC) e participante do Grupo de Pesquisa Gímnica: formação, intervenção e escola (DEF/UEM/CNPq), empenhado em investigar a formação inicial e continuada de professores e à atuação pedagógica em Educação Física. Atua, sobretudo, com as seguintes temáticas: formação de professores, prática pedagógica docente, educação física escolar, estágio curricular supervisionado, intervenção profissional em Educação Física.

Referências

AJEJE, P. F. F. M.; FONSECA, G. F.; SILVA, J. J.; RIBEIRO, M. G. R.; QUEIROZ, C. A. Avaliação motora em crianças de 5 anos: um estudo sobre o equilíbrio. Coleção de Pesquisa em Educação Física, São Paulo, v. 11, n. 2, p. 41-8, 2012.

ALVES, C. S. R.; CORSINO, L. N. O parkour como possibilidade para a educação física escolar. Motrivivência, Florianópolis, v. 25, n. 41, p. 247-57, 2013.

ARAGÃO, J. Introdução aos estudos quantitativos utilizados em pesquisas científicas. Revista Práxis, Três Poços, v. 3, n. 6, p. 59-62, 2013.

AURICCHIO, J. R. Escalada na educação física escolar. Orientação adequada para a prática segura. Lecturas: Educación Física y Deportes, Revista Digital, Buenos Aires, v. 14, n. 139, 2009. Disponível em: https://www.efdeportes.com/efd139/escalada-na-educacao-fisica-escolar.htm. Acessada em: 10 de maio de 2021.

BOSSLE, F. Planejamento de ensino na educação física - uma contribuição ao coletivo docente. Movimento, Porto Alegre, v. 8, n. 1, p. 31-9, 2002.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Educação é a Base. Brasília, MEC/CONSED/UNDIME, 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/. Acessada em: 05 de março de 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Parecer Conselho Nacional de Educação Câmara de Educação Básica Nº 09/2020: Reorganização do Calendário Escolar e da possibilidade de cômputo de atividades não presenciais para fins de cumprimento da carga horária mínima anual, em razão da Pandemia da COVID-19. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=145011-pcp005-20&category_slug=marco-2020-pdf&Itemid=30192. Acessada em: 05 de março de 2021.

CAILLOIS, R. Os jogos e os homens: a máscara e a vertigem. Lisboa: Cotovia, 1990.

DA PAIXÃO, J. A. O esporte de aventura como conteúdo possível nas aulas de educação física escolar. Motrivivência, Florianópolis, v. 29, n. 50, p. 170, 26 de abril de 2017.

DELMANTO, D.; FAUSTINONI, L. E. Os relatos de prática e sua importância no processo de produção e socialização do conhecimento. In: GOIÁS. Secretaria de Estado da Educação. Reorientação curricular do 6º ao 9º ano: currículo em debate – Relatos de Práticas Pedagógicas. Goiânia: SEE/GO, 2009. Disponível em: http://www.educacao.go.gov.br/educacao/especiais/curriculoemdebate/caderno5.pdf. Acessada em: 10 de maio de 2021.

DICKSON, T. J.; GRAY, T. L. Risk management in the outdoors: a whole of organization approach for education, sport and recreation. Melbourne: Cambridge University Press, 2012.

FLORIANÓPOLIS. Prefeitura de Florianópolis. Secretaria de Educação, 2016. Disponível em: https://www.pmf.sc.gov.br/entidades/educa/index.php?cms=proposta+curricular&menu=11&submenuid=253. Acessada em: 05 de março de 2021.

FRANCO, L. C. P.; CAVASINI, R.; DARIDO, S. C. Práticas corporais de aventura. In: GONZÁLEZ, F. J.; DARIDO, S. C.; OLIVEIRA, A. A. B. (Orgs.). Lutas, Capoeira e Práticas corporais de aventura: práticas corporais e a organização do conhecimento. Maringá: Eduem, 2014. p. 101-35.

GONÇALVES JÚNIOR, L.; CARMO, C. S.; COLLOCA, E. A.; CORRÊA, D. A. Projeto de Educação Ambiental e Lazer (PEDAL): dialogando a partir do cicloturismo na escola. Licere, Belo Horizonte, v. 14, n. 4, p. 1-16, 2011.

HORAK, F. B. Postural orientation and equilibrium: what do we need to know about neural control of balance to prevent falls? Oxford Journals, Cidade, v. 35, n. 2, p. 7-11, 2006.

INÁCIO, H. L. D. La enseñanza de las prácticas corporales de aventura en la educación física escolar: Experiencias en Brasil. Tandém - Didáctica de la Educación Física, Barcelona, v. 45, p. 1-12, 2014.

KUNZ, E. Kinein: o movimento humano como tema. Revista Eletrônica Kinein, Florianópolis, v. 1, n. 1, p. 1-6, 2000.

NEWTON. R. A. Questões e teorias atuais sobre controle motor: avaliações de movimento e postura. In: UMPRE, D. A. Reabilitação neurológica. 4. ed. Barueri: Manole, 2004. p. 142-54.

PEREIRA, D. W.; ARMBRUST, I. Pedagogia da aventura: os esportes radicais, de aventura e de ação na escola. Jundiaí: Fontoura; 2010.

SANTA CATARINA. Proposta Curricular da Rede Municipal de Ensino de Santa Catarina. Lei nº 18.032. Dispõe sobre as atividades essenciais no Estado de Santa Catarina. 8 de dezembro de 2020. Disponível em: http://leis.alesc.sc.gov.br/html/2020/18032_2020_lei.html. Acessada em: 05 de março de 2021.

REZER, R. O estágio supervisionado como cenário privilegiado para Trabalho docente na formação inicial em educação física. 2016. Disponível em: http://livrozilla.com/doc/704595/1-o-est%C3%A1gio-supervisionado-como-cen%C3%A1rio. Acessada em: 05 de março de 2021.

RODRIGUES, L. H.; DARIDO, S. C. Educação física escolar e meio ambiente: reflexões e aplicações pedagógicas. Lecturas: Educación Física y Deportes, Revista Digital, Buenos Aires, v. 11, n. 100, p. 1-6, 2006. Disponível em: https://www.efdeportes.com/efd100/ma.htm. Acessado em: 15 de março de 2021.

SANTIAGO, J. S.; LENHARDT, L.; SILVA, J. R.; PINTO, F. M. O voo livre como conteúdo da educação física na educação infantil: descobertas e desafios. Colloquium Humanarum, Presidente Prudente, v. 16, n. 4, p. 110-20, 2019.

SANTOS, S. R. Métodos qualitativos e quantitativos na pesquisa biomédica. Jornal de Pediatria, v. 75, n. 6, p. 401-6, 1999.

SEVERINO, A. J.; PEREIRA, D. W.; SANTOS, V. S. F. Aventura e educação na Base Nacional Comum. EccoS Revista Científica, São Paulo, v. 41, p. 107-25, 2016.

SILVA, G. C. R. F. O método científico na psicologia: abordagem qualitativa e quantitativa. Psicologia.pt, Revista Digital, [s.l.], novembro, p, 1-10, 2010. Disponível em: https://www.psicologia.pt/artigos/textos/A0539.pdf. Acessado em: 15 de março de 2021

SOARES, C. L.; TAFFAREL, C. N. Z.; VARJAL, E.; CASTELLANI FILHO, L.; ESCOBAR, M. O.; BRACHT, V. Metodologia do ensino de educação física. São Paulo. Cortez, 1992.

SOUZA, I. S.; FERREIRA, R. S. Algumas reflexões sobre a formação inicial do professor de matemática: vivências do estágio supervisionado. Ensino da Matemática em Debate, São Paulo, v. 5, n. 2, p. 127-41, 2018.

TANI, G.; MANOEL, E. J.; KOKUBUN, E.; PROENÇA, J. E. Educação física escolar: fundamentos de uma abordagem desenvolvimentista. São Paulo: EDUSP, 1988.

VASCONCELLOS. C. S. Planejamento: plano de ensino-aprendizagem e projeto educativo - elementos metodológicos para elaboração e realização. São Paulo: Libertad (Cadernos Pedagógicos do Libertad, v. 1), 1995.

Downloads

Publicado

01-09-2021

Como Citar

POSSAMAI, K.; LUZ, P. H. M. da; PEREIRA, R. S.; PRATES, I. V.; BRESCHILIARE, F. C. T. As práticas corporais de aventura nas aulas de educação física durante o ensino remoto: planejando o movimentar-se com a prancha de equilíbrio. Caderno de Educação Física e Esporte, Marechal Cândido Rondon, v. 19, n. 3, p. 1–8, 2021. DOI: 10.36453/cefe.2021.n3.27630. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/cadernoedfisica/article/view/27630. Acesso em: 28 nov. 2021.

Edição

Seção

Dossiê Educação Física Escolar: desafios e possibilidades na atualidade