Narrativas de protagonismo, o judoca Willy Schneider

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36453/cefe.2023.30030

Palavras-chave:

história oral, judô, artes marciais

Resumo

INTRODUÇÃO: O presente texto integra uma pesquisa em andamento que tem como escopo a análise do desenvolvimento do judô na cidade de Porto Alegre, com recorte temporal partindo da década de 1970 até a contemporaneidade, a partir de um dos seus protagonistas.
OBJETIVO: O objetivo evidenciar a prática do judô na região a partir da trajetória do judoca Willy Schneider.
MÉTODOS: Com base no aporte teórico-metodológico da História Oral - um método voltado à produção de narrativas como fontes do conhecimento, mas, sobretudo do saber, e que possibilita o alargamento das interpretações do passado - foram analisadas entrevistas concedidas, entre 2012 e 2022, por Willy Adolfo Schneider, as quais foram confrontadas com outras fontes documentais, imagéticas e jornalísticas.
RESULTADOS: O estudo tornou possível relembrar/revisitar as etapas da trajetória de Willy, e consequentemente, traçar, historicamente, um cenário sociocultural do judô, especialmente na capital do Estado do Rio Grande do Sul, após a década de 1970 até os dias atuais.
CONCLUSÃO: Conhecer, registrar e relatar trajetórias de vida como a de Willy Schneider permite dar visibilidade ao legado construído através do ensino desta arte marcial, além de valorizar os esforços daqueles que são frequentemente esquecidos pelas mídias, mas que persistem em seus propósitos de vida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mauro Castro Ignácio, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre

Atualmente cursando Mestrado Acadêmico em Ciências do Movimento Humano pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (PPGCMH-UFRGS), e Superior em Gestão Desportiva e de Lazer pelo Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS). Formado em Educação Física (licenciatura e bacharelado), pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Ligado ao Centro de Desenvolvimento do Esporte Recreativo e do Lazer (REDE CEDES) e ao Grupo de Estudos Socioculturais em Edução Física do Estado do Rio Grande do Sul (GESEF), ambos os Grupos de Pesquisas vinculados à UFRGS. membro associado do Colégio Brasileiro de Ciências do Esporte (CBCE). Atua nas áreas de políticas públicas para o esporte e o lazer e antropologia urbana.

Referências

ALBERTI, V. Histórias dentro da história. In: PINSKI, C. B. (Org.). Fontes históricas. 2. ed. São Paulo: Contexto, 2010. p. 23-80.

AUN KHOURY, Y. Narrativas orais na investigação da história social. Projeto História, v. 22, p. 79-103, 2001. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/revph/article/view/10731. Acesso em: 10/03/2023.

BACELLAR, C. Fontes documentais: uso e mau uso dos arquivos. In: PINSKI, C. B. (Org.). Fontes históricas. 2. ed. São Paulo: Contexto, 2010. p. 155-202.

BOEHL, W. R. O desenvolvimento do judô no litoral norte do Rio Grande do Sul: da década de 1960 à década de 2010. 2016. 88f. TCC (Graduação em Educação Física) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2016. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/157247/001018018.pdf?sequence=1

BOEHL, W. R.; LIMA, L. S. de; FONSECA, D. G. da. (In)Justificativas e (im)possibilidades do professor de educação física em adotar as lutas como unidade temática. Caderno de Educação Física e Esporte, Marechal Cândido Rondon, v. 16, n. 1, p. 69-77, 2018. DOI: https://doi.org/10.36453/2318-5104.2018.v16.n1.p69

BOEHL, W. R.; MAZO, J. Z. Judô em Porto Alegre (décadas de 1950 e 1960): itinerários da prática na cidade. Lecturas, Educación Física y Deportes, Buenos Aires, Revista Digital, v. 23, n. 250, p. 78-89, 2019. Disponível em: https://efdeportes.com/efdeportes/index.php/EFDeportes/article/view/686/597

BRUM, A. “Mulheres que lutam”: as narrativas de judocas brasileiras e a contribuição na construção da memória da modalidade. 2016. 209f. Dissertação (Mestrado em Educação Física) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2016. Disponível em: https://acervodigital.ufpr.br/bitstream/handle/1884/44224/R%20-%20D%20-%20ADRIANA%20BRUM.pdf?sequence=3&isAllowed=y

CELLARD, A. A análise documental. POUPART, J. (Org.). A pesquisa qualitativa: enfoques epistemológicos e metodológicos. Petrópolis: Vozes, 2008.

CHALA, Â (Ed.) Breves. Judô. Jornal da Universidade, v. 9, n. 88, p. 3, 2006. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/212802

ESPARTERO, J. O corpo concebido pelo Judô Kodokan: um projeto educativo de progresso truncado pela reação política. Movimento, v. 22, n. 4, p. 1265-76, 2016. DOI: https://doi.org/10.22456/1982-8918.62769

MADURO, L. A. A história do judô no Rio Grande do Sul: das primeiras manifestações aos Jogos Olímpicos de Atlanta. 1999. 126f. Dissertação (Mestrado em Ciências do Movimento Humano) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2012.

MALINA, R. M.; BOUCHARD, C.; BAR-OR, O. Growth, maturation and physical activity. 2. ed. Champaign: Human Kinetics Books, 2004.

NUNES, A. V. Judô o caminho das medalhas. São Paulo: Kazuá, 2013.

NUNES, A. V.; RUBIO, K. As origens do judô brasileiro: a árvore genealógica dos medalhistas olímpicos. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, v. 26, p. 667-678, 2012. DOI: https://doi.org/10.1590/S1807-55092012000400011

PAZOS, I. M. C.; PRONDRYSKI, E. T. Iara Pazos e Eliane Pronrynski (depoimento, 2005). Porto Alegre: Centro de Memória do Esporte - Escola de Educação Física e Esporte/Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2010. [Material não publicado].

PESAVENTO, S. História & história cultural. Belo Horizonte: Autêntica, 2005

SCHNEIDER, W. A. Memórias do judô master no Rio Grande do Sul (Século XXI). 2012. 52f. TCC (Graduação em Educação Física) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2012. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/70326/000875879.pdf?sequence=1

SOUZA, G. C. de; MOURÃO, L. Mulheres no tatame: o judô feminino no Brasil. Rio de Janeiro: Mauad, 2011.

STEVENS, J. Três mestres do Budo: Kano (judô), Funakoshi (karatê), Ueshiba (aikidô). São Paulo: Cultrix, 2007.

VIRGILIO, S. Conde Koma: o invencível yondan da história. Campinas: Átomo, 2002

Downloads

Publicado

16.03.2023

Como Citar

REYES BOEHL, W. .; IGNÁCIO, M. C. Narrativas de protagonismo, o judoca Willy Schneider . Caderno de Educação Física e Esporte, Marechal Cândido Rondon, v. 21, p. e30030, 2023. DOI: 10.36453/cefe.2023.30030. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/cadernoedfisica/article/view/30030. Acesso em: 30 nov. 2023.