A CIDADE E A ARTE: UM ESPAÇO DE MANIFESTAÇÃO

Autores

  • Manuela Lowenthal Ferreira
  • Annie Rangel Kopanakis

DOI:

https://doi.org/10.48075/rtc.v22i44.12935

Palavras-chave:

Arte de Rua, Urbanização, Cidades Capitalistas.

Resumo


Diante de um processo de crescimento desigual, contraditório e excludente das cidades modernas, a arte surge nas ruas representando a insatisfação e a necessidade de um espaço de manifestação artística e social, em um movimento no qual artistas urbanos aliam-se em defesa da liberdade de expressão. É um modo desinstitucionalizado e, muitas vezes, marginalizado de assumir as novas relações entre o privado e o público, entre a vida cotidiana e a política. Assim, o presente artigo busca analisar a Arte de Rua como um movimento de resistência, ressignificação do espaço público e do sentimento de pertencimento das cidades, identificando-a como manifestação artística que se faz presente para além dos grandes centros urbanos, atingindo também as cidades do interior do Brasil e em diversos Estados. A partir do levantamento bibliográfico são analisadas as relações que se estabelecem entre a arte e a forma do indivíduo contemporâneo se inserir no mundo e se situar no tempo e no espaço.

Downloads

Publicado

01-01-2000

Como Citar

FERREIRA, M. L.; KOPANAKIS, A. R. A CIDADE E A ARTE: UM ESPAÇO DE MANIFESTAÇÃO. Tempo da Ciência, [S. l.], v. 22, n. 44, p. 79–88, 2000. DOI: 10.48075/rtc.v22i44.12935. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/tempodaciencia/article/view/12935. Acesso em: 24 set. 2021.

Edição

Seção

Artigos