O HELENISMO EM MAURICE: aprendizagem, sentimento e homoerotismo

Autores

  • José Ailson Lemos de Souza

DOI:

https://doi.org/10.48075/rt.v12i25.13746
Agências de fomento
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia - FAPESB

Palavras-chave:

E. M. Forster, Helenismo, Literatura inglesa.

Resumo

O objetivo deste trabalho é analisar imagens da homossexualidade no romance Maurice (1913/1971), de E. M. Forster. Tal representação recorre a referências ao helenismo bem como a uma alta carga de sentimentalidade na expressão dos afetos. Através de referências ao mundo helênico, transparece no romance uma crítica à apropriação inglesa dos ideais clássicos, especificamente no que concerne ao intelecto. Em Maurice, a experiência intelectual isolada da experiência amorosa (emotiva, sensual) é traço característico de um contexto no qual a homofobia serviu como meio para a manutenção de privilégios de classe.

Downloads

Publicado

17-05-2016

Como Citar

SOUZA, J. A. L. de. O HELENISMO EM MAURICE: aprendizagem, sentimento e homoerotismo. Trama, Marechal Cândido Rondon, v. 12, n. 25, p. 37–54, 2016. DOI: 10.48075/rt.v12i25.13746. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/trama/article/view/13746. Acesso em: 29 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos