CONTO (NÃO CONTO): A LINGUAGEM E SEUS PROTOCOLOS FIGURATIVOS NO CENTRO DO DISCURSO

Autores

  • Renata Cristina Duarte
  • Vera Lucia Rodella Abriata

DOI:

https://doi.org/10.48075/rt.v12i26.14436

Palavras-chave:

Vias contratuais de leitura, figuratividade, estratégias enunciativas.

Resumo


Este trabalho analisa, segundo o referencial teórico-metodológico da semiótica francesa, o texto “Conto (Não conto)”, de Sérgio Sant’Anna, o qual integra a coletânea “Os cem melhores contos brasileiros do século”, organizada por Italo Moriconi (2001). O conto apresenta um caráter metadiscursivo, pois, paralelamente à construção da trama, o enunciador tece considerações a respeito da composição da narrativa. Objetiva-se investigar as estratégias utilizadas pelo enunciador para alcançar a adesão do enunciatário-leitor ao texto, focalizando as vias contratuais de significação figurativa para a leitura do texto literário nele predominantes, conforme Denis Bertrand em sua obra “Caminhos da semiótica literária” (2003).

Downloads

Publicado

28-09-2016

Como Citar

DUARTE, R. C.; ABRIATA, V. L. R. CONTO (NÃO CONTO): A LINGUAGEM E SEUS PROTOCOLOS FIGURATIVOS NO CENTRO DO DISCURSO. Trama, [S. l.], v. 12, n. 26, p. 343–362, 2016. DOI: 10.48075/rt.v12i26.14436. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/trama/article/view/14436. Acesso em: 8 ago. 2022.

Edição

Seção

Temas Livre