AS NOVAS RELAÇÕES ENTRE ESTADO E SOCIEDADE CIVIL NA TERCEIRA VIA: MECANISMOS DE PARTICIPAÇÃO SOCIAL E ECONÔMICA NA EDUCAÇÃO

Autores

  • Camila Maria BORTOT Universidade Federal do Paraná
  • Angela Mara de Barros LARA Universidade Estadual de Maringá

DOI:

https://doi.org/10.48075/rt.v14i33.19358

Palavras-chave:

Políticas educacionais, estado e sociedade civil, colaboração à privatização.

Resumo


Tivemos por objetivo compreender como se estabelecem as relações entre Estado e Sociedade Civil na Terceira Via, em relação aos mecanismos de participação social e econômica na educação e suas intencionalidades. A reconfiguração da relação entre Estado e sociedade civil ativa a partir dos anos 2000, cujo Estado, estrategicamente, chamou a sociedade para atuar em conjunto, procurou relações consensuais. Com um Estado Catalisador, voltado ao empreendedorismo e à colaboração, o Terceiro Setor e as Redes atuam como parceiros, fazendo com que o Governo não atue unicamente na prestação direta da educação. As intencionalidades desse movimento de sociabilidade apontam à privatização do ensino público, cuja colaboração se direciona a descentralização da educação.

REFERÊNCIAS

BALL, S. J. Educação global S. A.: novas redes políticas e o imaginário neoliberal. Tradução de Janete Bridon. Ponta Grossa: UEPG, 2014.

CASTELO, R. O Social-liberalismo: auge e crise da supremacia burguesa na era neoliberal. 1. ed. São Paulo: Expressão popular, 2013.

FALLEIROS, V. P. A política social no Estado capitalista. SP: Cortez, 2005.

GIDDENS, A. A terceira via e seus críticos. Rio de Janeiro: Record, 2001.

GIDDENS, A. A Terceira Via: reflexões sobre o impasse político atual e o futuro da socialdemocracia. Rio de Janeiro: Record, 1999.

GRAMSCI, A. Caderno 12 (1932): Apontamentos e notas dispersas para um grupo de ensaios sobre a história dos intelectuais. Cadernos do Cárcere, vol. 2. Edição e tradução Carlos Nelson Coutinho, co-edicação Luiz Sérgio Henriques e Marco Aurélio Nogueira. 7ª ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2014.

LIMA, J. Á. Redes na educação: questões políticas e conceptuais. Revista Portuguesa de Educação, Lisboa, Portugal: Universidade do Minho, v. 20, n. 2, p. 151-181, 2007.

MARTINS, A. S.; NEVES, L. M. W.; MELO, A. A. S. et al. Educação Básica: tragédia anunciada? São Paulo: Xamã, 2015.

NEVES, L. M. W. A sociedade civil como espaço estratégico de difusão da nova pedagogia da hegemonia de difusão da nova pedagogia da hegemonia. In: NEVES, L. M. W. (Org.). A nova pedagogia da hegemonia: estratégias do capital para educar o consenso. São Paulo: Xamã, 2005. p. 85-126.

OSBORNE, D.; GAEBLER, T. Reinventando o governo: como o espírito empreendedor está transformando o setor público. Brasília: MH Comunicação, 1994.

OSZLAK, O.; O'DONNELL, G. Estado y políticas estatales en América Latina: hacia una estrategia de investigación. Centro de Estudios de Estado y Sociedad (CEDES), Documento G.E. CLACSO, 1995: Buenos Aires, Argentina. p. 11-23.

PAULO NETTO, J.; BRAZ, M. Economia Política: uma introdução crítica. SP: Cortez, 2011.

PERONI, V.; OLIVEIRA, R.; FERNANDEZ, M.; Estado e Terceiro Setor: as novas regulações entre o público e o privado na gestão da educação básica brasileira. Educação e Sociedade, Campinas, vol. 30, n. 108, p. 761-778, out. 2009.

SCHNEIDER, V. Redes de políticas públicas e a condução de sociedades complexas. Civitas – Revista de Ciências Sociais, Porto Alegre, v. 5. n. 1, p. 29-58, jan./jun. 2005.

THOMPSON, E. Desencanto ou apostasia? In: THOMPSON, E. Os românticos: a Inglaterra na era revolucionária. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001. p. 49-101.

__________. Costumes em comum. São Paulo: Cia das Letras, 1998.

WILLIAMS, R. Palabras claves. Buenos Aires: Nueva Vision, 2003.

Recebido em 10-04-2018 e aceito em 10-08-2018.

Biografia do Autor

Camila Maria BORTOT, Universidade Federal do Paraná

Doutoranda em Educação pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Mestre em Educação pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e Pedagoga pela mesma Universidade. Bolsista pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). Integrante do Grupo Pesquisa Políticas e Gestão da Educação, do Núcleo de Políticas Educacionais (NUPE) da UFPR. Pesquisadora do Grupo de Estudos e Pesquisas em Estado, Políticas Educacionais e Infância (GEPPEIN) da UEM, desde 2013. Realiza pesquisas na área da Educação, com enfoque em: Políticas Públicas, Política Educacional, Estado, Organismos Internacionais, Gestão Escolar, Infância e Educação Infantil.

Angela Mara de Barros LARA, Universidade Estadual de Maringá

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Estadual de Maringá (1986), mestrado em Educação pela Universidade Metodista de Piracicaba (1992), doutorado em Educação pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2000) e pós-doutorado pela Universidade Federal de Santa Catarina (2011). Professora Associada. Aposentada da Universidade Estadual de Maringá. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação Pré-Escolar, atuando principalmente nos seguintes temas: educação infantil, Estado, educação, políticas públicas e políticas educacionais.

Downloads

Publicado

02-10-2018

Como Citar

BORTOT, C. M.; LARA, A. M. de B. AS NOVAS RELAÇÕES ENTRE ESTADO E SOCIEDADE CIVIL NA TERCEIRA VIA: MECANISMOS DE PARTICIPAÇÃO SOCIAL E ECONÔMICA NA EDUCAÇÃO. Trama, [S. l.], v. 14, n. 33, p. 15–24, 2018. DOI: 10.48075/rt.v14i33.19358. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/trama/article/view/19358. Acesso em: 10 ago. 2022.

Edição

Seção

Educação e Políticas Públicas em debate