Cartas portuguesas: sujeito e língua imbuídos de amor

Autores

  • Priscila Finger do Prado

DOI:

https://doi.org/10.48075/rt.v4i7.2373

Palavras-chave:

Cartas portuguesas, subjetividade, discurso amoroso

Resumo


Este trabalho objetiva a análise da subjetividade nas Cartas portuguesas, de Mariana Alcoforado, uma subjetividade que se quer amorosa e, por isso, contraditória. Para realizar-se tal análise, buscou-se uma leitura discursiva do objeto de análise, procurando-se traços que justificassem a hipótese de uma subjetividade amorosa inscrita nas cartas da sóror portuguesa.

Downloads

Publicado

01-01-2000

Como Citar

PRADO, P. F. do. Cartas portuguesas: sujeito e língua imbuídos de amor. Trama, [S. l.], v. 4, n. 7, p. 201–214, 2000. DOI: 10.48075/rt.v4i7.2373. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/trama/article/view/2373. Acesso em: 23 set. 2021.

Edição

Seção

Artigos