AS DESIGNAÇÕES DE “HISTÓRIA” E “TEMPO” NO LIVRO DIDÁTICO DE HISTÓRIA, SOCIEDADE & CIDADANIA (6º ANO) NA PERSPECTIVA DA SEMÂNTICA DO ACONTECIMENTO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.48075/rt.v17i40.25411

Palavras-chave:

Semântica, Semântica do Acontecimento, Ensino de História

Resumo


O mundo contemporâneo é um espaço organizado e normatizado pela modalidade escrita da língua. Nesse cenário, a escola pública brasileira organiza suas atividades de ensino a partir do Livro Didático (LD) e, em alguns casos, este é o único recurso didático disponível na escola. Este trabalho tem como objetivo analisar as designações dos termos “história” e “tempo”, no LD de História intitulado Sociedade & Cidadania do 6º ano (BOULOS JUNIOR, 2015), a partir dos postulados teórico-metodológicos da Semântica do Acontecimento, discutindo a relevância desses conceitos no processo de ensino-aprendizagem desta disciplina. Teoricamente, fundamenta-se nas obras Guimarães (2017) e Rancière (2018), Marx (2011), Marx (2013), Koselleck (2014).  Na análise, identificamos que a designação de “história”, no enunciado [1], significa ultrapassado e desinteressante; no enunciado [2], significa prazer e conhecimento. A designação de “tempo”, no enunciado [3], significa período contínuo de caráter natural ou mecânico; no enunciado [4], significa período contínuo de caráter coletivo (cultural). Por fim, é possível concluir que a articulação da Semântica do Acontecimento com a disciplina História pode potencializar a aprendizagem, uma vez que pode ampliar a percepção dos alunos quanto à dinâmica dos fenômenos históricos.

Referências:

BENVENISTE, Émile. Problemas de linguística geral I. Campinas: Editora Pontes, 1976.
BENVENISTE, Émile. Problemas de linguística geral I. Campinas: Editora Pontes, 2005.
BENVENISTE, Émile. Problemas de linguística geral II. Campinas: Editora Pontes, 2006.
BOULOS JUNIOR, Alfredo. História sociedade & cidadania, 6º ano. São Paulo, Editora FTD, 2015.
BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais. 2000.
BRASILSABIDO. População de João Pessoa-PB. 2010. Disponível em: <http://www.brasilsabido.com.br/populacao/joao-pessoa-pb-4659.html>. Acesso em 30 de set. de 2018.
BRÉAL, Michel. Ensaios semânticos. Campinas: Editora Educ.-Pontes, 1992.
DUCROT, Oswald. O dizer e o dito. Tradução Eduardo Guimarães. Campinas: Editora Pontes, 1987.
GUIMARÃES, Eduardo. Semântica, enunciação e sentido. Campinas: Editoras Pontes, 2018.
GUIMARÃES, Eduardo. Semântica do acontecimento: um estudo enunciativo da designação. Campinas: Editora Pontes, 2005.
KOSELLECK, Reinhart. Estratos do tempo: estudos sobre história. Tradução Markus Hediger. Rio de Janeiro, Editora Contraponto-PUC Rio, 2014.
LYONS, John. Linguagem e linguística: uma introdução. Tradução Marilda Winkler Averbug. Rio de Janeiro: Editora Zahar, 1982.
MARX, Karl. O 18 de brumário de Luís Bonaparte. Tradução Nélio Schneider. São Paulo: Editora Boitempo, 2011.
MARX, Karl. O Capital: crítica da economia política. Livro I. Tradução Rubens Enderle. São Paulo: Editora Boitempo, 2013.
NASCIMENTO, Erivaldo Pereira do. Jogando com as vozes do outro: a polifonia – recurso modalizador – na notícia jornalística. 239 folhas. Tese de Doutorado (Doutorado em Linguística) – Universidade Federal da Paraíba, Paraíba, João Pessoa, 2005.
PIMENTA, Selma Garrido. Questões sobre a organização do trabalho escolar. Disponível em: PIMENTA_S._G._Quest_es_sobre_a_organiza_o_do_trabalho_na_escola (1). Pdf-Adobe Acrobat Reader DC. Acesso em 04 de fev. de 2019.
RANCIÈRE, Jacques. O desentendimento: política e filosofia. Tradução Ângela Leite Lopes. São Paulo: Editora 34, 2018.
RANCIÈRE, Jacques. Política da escrita. Tradução Raquel Ramalhete et al. São Paulo: Editora 34, 2017.
SAVIANI, Dermeval. História do tempo e tempo da história: estudos de historiografia e história da educação. Campinas, SP: Autores Associados, 2015.
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO E CULTURA DO MUNICÍPIO DE JOÃO PESSOA. Relação das escolas municipais. Disponível em: <http://www.joaopessoa.pb.gov.br/secretarias/sedec/escolas-municipais/>. Acesso em 20 de fev. de 2018.
SILVA, Antônio Marcos. Argumentação e polifonia na língua. In. A argumentação na redação comercial e oficial: estratégias semântico-discursivas em gêneros formulaicos. Organização Erivaldo Pereira do Nascimento. João Pessoa: Editora da UFPB, 2012.
TONET, Ivo. Método científico: uma abordagem ontológica. São Paulo: Editora Instituto Lukács, 2013.

Enviado em 26-08-2020
Revisões Requeridas em 31-10-2020
Aceito em 06 -11-2020

 

Biografia do Autor

Alexandre Macedo PEREIRA, Universidade Federal da Paraíba(UFPB)

Professor da Universidade Federal da Paraíba, Pós-doutor em Linguística, Doutor na área de Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação Ambiental (PPGEA/FURG), Mestre em Gestão de Recursos Naturais e Desenvolvimento Local na Amazônia (PPGEDA/UFPA), Psicopedagogo e Pedagogo (UNEB). Líder do Grupo de Pesquisa Educação Ambiental e Formação de Professores - EAFP.

Mônica Mano Trindade FERRAZ, Universidade Federal da Paraíba (UFPB)

Possui graduação em Letras pela Universidade Estadual de Campinas (1990), especialização em Análise do Discurso pela PUCCAMP (1998), mestrado em Linguística Aplicada pela Universidade Federal de Santa Catarina (2001) e doutorado em Linguística Teórica pela Universidade Federal de Santa Catarina (2006). Atualmente é professora da Universidade Federal da Paraíba. Tem experiência na área de Língua Portuguesa e Linguística, com ênfase em Semântica, Linguística Textual e Metodologia de Ensino. Pesquisa e orienta nos seguintes temas: Significação na perspectiva léxico-conceptual, Análise de textos na interface semântico-pragmática, Contribuições da Semântica para o Ensino de Língua Portuguesa.

Downloads

Publicado

04-02-2021

Como Citar

PEREIRA, A. M.; FERRAZ, M. M. T. AS DESIGNAÇÕES DE “HISTÓRIA” E “TEMPO” NO LIVRO DIDÁTICO DE HISTÓRIA, SOCIEDADE & CIDADANIA (6º ANO) NA PERSPECTIVA DA SEMÂNTICA DO ACONTECIMENTO. Trama, [S. l.], v. 17, n. 40, p. 67–87, 2021. DOI: 10.48075/rt.v17i40.25411. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/trama/article/view/25411. Acesso em: 18 ago. 2022.

Edição

Seção

Estudos Semânticos