REPRESENTAÇÕES IDENTITÁRIAS EM “O CABELO DE LELÊ"

Autores

  • Ruth Ceccon Barreiros
  • Nancy Rita Ferreira Vieira

DOI:

https://doi.org/10.48075/rt.v11i21.6811

Palavras-chave:

Leitura, Identidade, Literatura Infantil Afro-Brasileira,

Resumo


RESUMO: Este trabalho tem por objetivo refletir sobre a formação leitora e identitária propiciada pela Literatura Infantil. Para isso, o estudo, pautar-se na obra literária “O Cabelo de Lelê” de autoria de Valéria Belém, 2007. A literatura infantil, quando presente na vida da criança, oferece um montante de informações e representações, pelas quais o leitor pode desenvolver novos conhecimentos e valores que os auxiliam na solução de situações da vida. De acordo com Aguiar e Bordini (1993), a fruição plena do texto literário se dá na concretização estética das significações e à medida que o sujeito lê uma obra literária, vai construindo imagens que se interligam e se completam - e também se modificam - apoiado nas pistas verbais e não verbais fornecidas pelo escritor e nos conteúdos de sua consciência. Assim, as obras de Literatura Infantil, de modo geral, contribuem para a formação leitora e de identidade do infante e aquelas cujos temas estejam voltados para as questões étnico-raciais podem contribuir, também, para fomentar reflexões sobre a discriminação racial bem como dar à criança afrodescendente concepções de pertencimento quando se vê ali representada.

Downloads

Publicado

12-12-2014

Como Citar

BARREIROS, R. C.; VIEIRA, N. R. F. REPRESENTAÇÕES IDENTITÁRIAS EM “O CABELO DE LELÊ". Trama, [S. l.], v. 11, n. 21, p. 167–188, 2014. DOI: 10.48075/rt.v11i21.6811. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/trama/article/view/6811. Acesso em: 5 dez. 2021.

Edição

Seção

ARTIGO