VÍRUS: RELATO DE UM POSSÍVEL TEATRO-CIBORGUE

Autores

  • Luiz Bosco Sardinha Machado Júnior

Palavras-chave:

teatro, hipermodernidade, ciborgue

Resumo


Este texto fala de uma experiência estética na qual são pensadas questões contemporâneas em uma ação cênica intitulada “vírus”, narrada de maneira que o pensamento acadêmico e as experiências pessoais do autor estão intimamente conectadas. Para o referencial teórico tomamos o conceito de hipermodernidade em Lipovetsky e de ciborgue em Haraway. “vírus” aborda, de maneira trágica e intensiva, questões como: consumismo, individualismo e tecnociência; apresenta ainda um processo de criação multifacetado e fragmentário, que muito diz da própria lógica que se põe a pensar.

Downloads

Publicado

29-07-2014

Como Citar

MACHADO JÚNIOR, L. B. S. VÍRUS: RELATO DE UM POSSÍVEL TEATRO-CIBORGUE. Travessias, Cascavel, v. 8, n. 1, 2014. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/travessias/article/view/10168. Acesso em: 18 out. 2021.

Edição

Seção

ARTE E COMUNICAÇÃO