TRAJETÓRIAS CRUZADAS: IMIGRAÇÃO E GÊNERO NO ESTADO NOVO BRASILEIRO

Autores

  • Sidinalva Maria dos Santos Wawzyniak
  • Etelvina Maria de Castro Trindade

Palavras-chave:

Mulheres, identidade, mobilidade.

Resumo


Este pesquisa tem como objetivo estudar a memória e a identidade de mulheres imigrantes tendo como foco central a trajetória das mulheres imigrantes que possibilitaram a constituição de suas identidades estrangeiras no território brasileiro. As imigrantes no processo de permanência na sociedade nacional criaram estratégias que possibilitaram a sua inserção e visibilidade nas diversas dimensões e grupos sociais locais. Nesse jogo social foram dialogando, cruzando e traduzindo informações que foi viabilizando a negociando da suas identidades. A reconstrução dos itinerários dessas mulheres permitiu entender os significados sociais e econômicos da mobilidade espacial e simbólica e ao mesmo tempo identificar as permanências culturas que as acompanharam nessa trajetória que forjaram as suas identidades no território nacional, já que a história de migrações e deslocamentos de população pode revelar hábitos, estratégias e novos padrões de relações sociais.  Durante todo seu período de estabelecimento no Brasil, as mulheres imigrantes passaram a seguir outro padrão de inserção nas diversas dimensões sociais: ascensão pela educação e profissionalização, bem como demarcações de espaços de sociabilidade e socialidade, promovendo um novo fluxo de mobilização. Nessa movimentação as imigrantes negociaram a manutenção do elo de pertencimento à sociedade de origem e, ao mesmo tempo, estabeleceram os termos de sua inserção em uma outra sociedade, elas buscaram em sua tradição os fatores que lhes possibilitaram a construção de uma representação simbólica em terras estrangeiras. Esses valores culturais entrelaçados permitiram a construção de muitas identidades e consequentemente de uma etnicidade fundada no pertencimento. O pertencimento é um processo de conquista de espaço na sociedade receptora e ao mesmo tempo é um recurso político na medida em que demarca território, fronteira, articulam e manipulam códigos que viabilizem a “abertura” de espaços de sociabilidade.

Downloads

Publicado

01-01-2000

Como Citar

WAWZYNIAK, S. M. dos S.; TRINDADE, E. M. de C. TRAJETÓRIAS CRUZADAS: IMIGRAÇÃO E GÊNERO NO ESTADO NOVO BRASILEIRO. Travessias, Cascavel, v. 8, n. 3, 2000. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/travessias/article/view/11210. Acesso em: 5 dez. 2021.

Edição

Seção

CULTURA