Docência na educação especial: narrativas de uma professora principiante

Autores

  • Klinger Teodoro Ciríaco
  • Priscila Nataly Oliveira Rigonato

Palavras-chave:

Formação Inicial. Início da docência. Educação Especial.

Resumo


O trabalho apresenta considerações sobre uma pesquisa em que buscamos compreender a constituição do ser professora no campo da Educação Especial a partir de narrativas de uma docente principiante. Nesse sentido, recorremos a um referencial teórico que aborda a formação de professores na perspectiva da inclusão, bem como os desafios decorrentes da fase de entrada na carreira. O eixo metodológico tem caráter qualitativo de cunho descritivo-analítico e foram utilizados dados obtidos por meio de um roteiro de narrativa em que as vivências da prática pedagógica em relação ao contexto da inclusão são discutidas. Os resultados indicam a necessidade uma formação na perspectiva do trabalho com a realidade dos alunos que possuem alguma necessidade educativa especial, uma vez que os sentimentos decorrentes do início da docência podem se constituir como meio de reflexão para um modelo formativo que contemple esse segmento de atuação do profissional da educação.

Referências

BRASIL. Decreto 3.298 de 20 de dezembro de 1999. Brasília, DF: Presidência da República, 1999.

______. Plano Nacional de Educação Especial (PNEE). Lei 10.172/01 – Brasília: MEC/SEESP, 2001. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rcp01_06.pdf>. Acesso em: 28 de junho de 2015.

______. Secretaria de Educação Especial. Portal de ajudas técnicas para educação: Equipamento e material pedagógico para educação, capacitação e recreação da pessoa com deficiência física: recursos pedagógicos adaptados Secretaria de Educação Especial - Brasília: MEC: SEESP, 2002, fascículo 1.56p.

______. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CP nº 1 de 15 de maio de 2006. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para Cursos de Graduação em Pedagogia, licenciatura. Portal MEC. Brasília: MEC/CNE/CP 2006. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rcp01_06.pdf>. Acesso em: 28, jun. 2015.

______. Lei de Diretrizes e bases da Educação Nacional: Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional – 5 ed. – Brasília: Câmara dos Deputados, Coordenação Edições Câmara, 1996.

BUENO, J. G. Crianças com necessidades educativas especiais, política educacional e a formação de professores: generalistas ou especialistas. Revista Brasileira de Educação Especial, v. 3, n. 5, p. 7-25, 1999.Disponível em: <http://www.educacaoonline.pro.br/index.php?option=com_content&id=67:criancas-com-necessidades-educativas-especiais-politica-educacional-e-a-formacao-de-professores-generalistas-ou-especialistas&Itemid=16>, Acesso em: 30, abr. 2015.

CAVACO, M.H. Ser professor em Portugal. Lisboa: Editorial Teorema, 1993.

CIRÍACO, K. T. Desenvolvimento profissional de professoras iniciantes: a aprendizagem colaborativa da docência em Matemática. Relatório de Qualificação de Tese (Doutorado em Educação). Universidade Estadual Paulista, FCT/UNESP. 2014.

CORSI, A. M. O início da construção da profissão docente: analisando dificuldades enfrentadas por professoras de séries iniciais. Dissertação (Mestrado em Educação) Universidade Federal de São Carlos, UFSCar, 2002.

CONNELLY, M. & CLANDININ, J. Relatos de experiência e investigación narrativa. In: LARROSA, J. Déjame que te cuente. Barcelona: Editorial Laertes, 1995.

DINIZ-PEREIRA, J. E. Formação de Professores: pesquisas, representações e poder. Belo Horizonte, MG: Autêntica, 2000.

ESTEBAN, M. P. S. Pesquisa qualitativa em educação: fundamentos e tradições. Porto Alegre: Artmed, 2010.

FREITAS, D de; GALVÃO, C. O uso de narrativas autobiográficas no desenvolvimento profissional de professores. Ciências & Cognição. 2007; Vol 12: 219-233. Disponível em: http://www.cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/648/430, Acesso em: 30, jan. 2015.

FREITAS, S. N. A formação de professores na educação inclusiva: construindo a base de todo o processo. In. RODRIGUES, D. Inclusão e educação: doze olhares sobre educação inclusiva. São Paulo: Summus, 2006.

FREIRE, P. Pedagogia da Indignação cartas pedagógicas e outros escritos. São Paulo UNIESP. 2000.

GABARDO, C. V; HOBOLD, M de S. O processo de socialização profissional dos professores do ensino fundamental. In: XVI ENDIPE - Encontro Nacional de Didática e Práticas de Ensino. UNICAMP - Campinas – 2012. Disponível em: <http://www.infoteca.inf.br/endipe/smarty/templates/arquivos_template/upload_arquivos/acervo/docs/1524c.pdf>. Acesso em: 10, fev. 2015.

GALVÃO, C. Narrativas em Educação. Ciência & Educação, Bauru, v. 11, n. 2, p. 327-345, 2005. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/ciedu/v11n2/12.pdf>, Acesso em: 10, mar. 2015.

GALVÃO FILHO, T. A; MIRANDA, T. G. (orgs.) O professor e a educação inclusiva: formação, práticas e lugares. Salvador: EDUFBA, 2012.

GATTI, B.A.; BARRETO, E.S.S. Professores: aspectos de sua profissionalização, formação e valorização social. Brasília, DF: UNESCO, 2009. (Relatório de pesquisa).

GLAT, R.; FERREIRA, J. R.; OLIVEIRA, E. da S. G.; SENNA, L. A. G. Panorama Nacional da Educação Inclusiva no Brasil. Relatório de consultoria técnica, Banco Mundial, 2003. Disponível em: . Acesso em: nov. 2014.

GLAT, R.; NOGUEIRA, M. L. de L. Políticas educacionais e a formação de professores para a educação inclusiva no Brasil. Revista Integração, Brasília, v. 24, ano 14, p. 22-27, 2002.

GLAT, R; PLETSCH, M D. O método de história de vida em pesquisas sobre auto-percepção de pessoas com necessidades educacionais especiais. Revista Educação Especial, UFMA. 2009. MAIO/AGO 22(34): 139-154. Disponível em: <http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/educacaoespecial/article/view/268/128>, Acesso em: 03, fev. 2015.

GLAT, R.; SANTOS, M. P. dos; SOUSA, L.P.F.de; XAVIER, K. R. Formação de professores na Educação Inclusiva: diretrizes políticas e resultados de pesquisas. Anais do XIII Encontro Nacional de Didática e Prática de Ensino. Universidade Federal de Pernambuco, Recife-PE, 2006.

HUBERMAN, M. O ciclo de vida profissional dos professores. In: NÓVOA, A. (org.). Vidas de professores. Porto, Porto Editora, nº. 4. 1995.

IMBERNÓN, F. Formação continuada de professores. POA: Artmed, 2010.

LEITE, Y. U. F. Como, onde e quando se formam os professores? Anais do II Congresso Internacional Cotidiano: Diálogos sobre Diálogos. Universidade Federal Fluminense, Rio de Janeiro, 2008.

LEQUERICA, M.A.O. A formação e a prática de professores de primeira à quarta série do 1º grau iniciantes do exercício docente. Dissertação (Mestrado em Educação). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. PUC/SP, 1983.

LÜDKE, M., ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

MANTOAN, M. T. E (org.) Inclusão Escolar: pontos e contrapontos. São Paulo: Summs, 2006.

MARIANO, A. L. S. A pesquisa sobre o professor iniciante e o processo de aprendizagem profissional: algumas características. In: 29ª Reunião Anual da ANPED. 2005. Disponível em: < http://29reuniao.anped.org.br/trabalhos/posteres/GT08-2119--Int.pdf>, Acesso em: 13 mar. 2015.

MARCELO GARCÍA. C. Formação de professores: para uma mudança educativa. Tradução de Isabel Narciso. Porto, PT: Porto, 1999.

___________________. O professor iniciante, a prática pedagógica e o sentido da experiência. Revista Brasileira de pesquisa sobre formação docente Form. Doc., Belo Horizonte, v. 02, n. 03, p. 11-49, ago./dez. 2010. Disponível em: <http://formacaodocente.autenticaeditora.com.br>. Acesso em: 28, jun. 2015.

MAZZOTTA, M. J.S. Trabalho docente e formação de professores de Educação Especial: temas básicos de educação e ensino. Editora Pedagógica e Universitária Ltda. São Paulo, 1993.

NONO, M. A. MIZUKAMI, M da G. N. Processos de formação de professoras iniciantes. R. bras. Est. pedag., Brasília, v. 87, n. 217, p. 382-400, set./dez. 2006. Disponível em: <http://rbep.inep.gov.br/index.php/RBEP/article/viewFile/24/26>, Acesso em: 20, jan. 2015.

MENDES, E. G. Construindo um “lócus” de pesquisas sobre inclusão escolar. In: MENDES, E.G; A. M. A; W, L. C. de. Temas em educação especial: avanços recentes. São Carlos: EdUFSCAR, pp.221-230, 2004.

PIMENTA, S. G. (org.) Saberes pedagógicos e atividade docente. São Paulo: Cortez, 1999.

PIMENTA, S.G. e LIMA, M.S.L. Estágio e Docência. 1. ed. São Paulo: Cortez, 2004.

PLETSCH, M. D.A formação de professores para a educação inclusiva: legislação, diretrizes políticas e resultados de pesquisas. Educar, Curitiba, n. 33, p. 143-156, 2009. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/er/n33/10.pdf>. Acesso em: 12, mar. 2015.

ROCHA, G. A. E agora... cadê os dragões? Uma pedagoga, mestre e doutora em Educação, vai aprendendo a ensinar no exercício da profissão. In: LIMA, E. F. (Org.). Sobrevivências no início da docência. Brasília: Líber Livro Editora, 2006. p. 67-76.

RODRIGUES, Desenvolver a Educação Inclusiva: dimensões do desenvolvimento profissional. In: ______. (Ed.). Investigação em Educação Inclusiva. v. II. Lisboa: Fórum de Estudos de Educação Inclusiva, 2007 p. 45.

RODRIGUES, D.; LIMA-RODRIGUES, L. Formação de professores e inclusão: como se reformam os reformadores?. Educ. rev. [online]. 2011. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/er/n41/04.pdf>. Acesso em: 30, jun. 2015.

ROLDÃO, M. C. A mudança anunciada da escola ou um paradigma de escola em ruptura?. In: ALARCÃO, I. (Org.). Escola reflexiva e nova racionalidade. São Paulo: ArtMed, 2001. p. 115-134.

SILVEIRA, M. de F. L.da. Trabalhando pelo sucesso escolar: as vivências de uma professora em seu primeiro ano de atuação na escola pública. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Federal de São Carlos – UFSCar, São Carlos/SP. 2002.

SOUZA, E. C. O conhecimento de si: Narrativas do itinerário escolar e formação de professores. Tese (Doutorado em Educação), Universidade Federal da Bahia, Faculdade de Educação, Bahia, Brasil, 2004.

SUÁREZ, D. O. L; DÁVILA, P. La documentación narrativa de experiencias pedagógicas. Haciala reconstrucción de la memoria y el saber profesional de los docentes. Nodos y Nudos. Revista de laRed de Cualificación de Educadores, Bogotá: Universidad Pedagógica Nacional, volume 2, nº 17. 2004, p. 16-31.

SHULMAN, L. Those who understand: knowledge growth in teaching. Educational Researcher, 15 (2), 1986.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.

TEDESCO, J. C. O novo pacto educativo: educação, competitividade e cidadania na sociedade moderna. Tradução de Otacílio Nunes São Paulo: Ática, 1998.

VELTRONE, A. A.; MENDES, E. G. Diretrizes e Desafios na Formação Inicial e Continuada de Professores para a Inclusão Escolar. In: IX Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores, 2007, São Paulo. Disponível em: <http://www.unesp.br/prograd/ixcepfe/Arquivos%202007/5eixo.pdf>. Acesso em: 20 maio 2011.

VEENMAN, S. Perceived Problems of Beginning Teachers. Review of Educational Research, v. 54, n. 2, p. 143-178, 1984.

Downloads

Publicado

05-08-2016

Como Citar

CIRÍACO, K. T.; RIGONATO, P. N. O. Docência na educação especial: narrativas de uma professora principiante. Travessias, Cascavel, v. 10, n. 2, p. 164–186, 2016. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/travessias/article/view/12775. Acesso em: 18 out. 2021.

Edição

Seção

EDUCAÇÃO