MODERNIDADES PERIFÉRICAS NO CIRCUITO DE ARTE INTERNACIONAL NOS ANOS 90

Autores

  • Mariana Eva Cerviño

Palavras-chave:

ARTE ALTINOAMERICANO- CIRCUITO INTERNACIONAL DEL ARTE

Resumo


As grandes exposições que ocorreram nos anos noventa tiveram algo em comum: lutavam pela redefinição dos critérios artísticos que até então constituíam a doxa em seus respectivos campos (Bourdieu, 2003: 170). Esta redefinição levou a repensar a relação entre a produção dos países centrais e a dos países periféricos, como também aumentou a circulação da produção artística destes últimos e gerou o que se denomina a corrente principal da arte internacional. Mas quais foram as condições para que esta circulação ocorresse? Quais foram as disputas que tiveram lugar e quais foram as distintas tradições que se atualizaram e contribuíram para uma nova leitura da arte latino-americana e, dentro deste conjunto, da arte argentina? Em um circuito no qual o tema da arte global teria reativado o velho debate sobre a valorização das obras, começaram a circular produções com traços regionais que logo foram convertidas em objetos de interesse. Assim, aumentava o interesse pela arte latino-americana em geral e argentina em particular, mas a aparência exotizante que adquiriu em alguns casos o discurso da arte global foi determinante na seleção das obras e dos artistas.  

Tendo em vista este contexto, gostaríamos de identificar quais foram as tradições particulares da arte argentina escolhidas e com quais critérios elas o foram. Em seguida analisaremos as distintas leituras que se propõe neste contexto, através da seleção das obras.

 

Downloads

Publicado

26-10-2011

Como Citar

CERVIÑO, M. E. MODERNIDADES PERIFÉRICAS NO CIRCUITO DE ARTE INTERNACIONAL NOS ANOS 90. Travessias, Cascavel, v. 5, n. 2, 2011. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/travessias/article/view/5590. Acesso em: 9 dez. 2021.

Edição

Seção

DOSSIÊ TEMÁTICO: CRÍTICA E MODERNIDADE