ALCOVA SADIANA: LABORATÓRIO DA LIBERTINAGEM

Autores

  • Venus Brasileira Couy

Palavras-chave:

alcova, filosofia, Sade, corpo, libertinagem

Resumo


Por meio da retórica e da linguagem que faz escorrer das secreções, da boca ou de algum outro orifício dos libertinos ou das vítimas, em A filosofia na alcova, Sade abre a via para o debate, a divergência de idéias, o diálogo, a argumentação e o filosofar. O “libertino-filósofo” insinua muitas vezes o tom do pensador das Luzes. O ensaio enfoca o boudoir, local privilegiado da cena libertina, que se localiza entre o salão e o quarto, em um território de passagem entre o espaço público e o mais privado de todos. Desta forma, Sade transporta a discussão filosófica para o ambiente da libertinagem. A alcova, esse cômodo exclusivamente feminino, simboliza o lugar de união da filosofia e do corpo.

Downloads

Publicado

19-09-2012

Como Citar

COUY, V. B. ALCOVA SADIANA: LABORATÓRIO DA LIBERTINAGEM. Travessias, Cascavel, v. 6, n. 2, 2012. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/travessias/article/view/6672. Acesso em: 25 out. 2021.

Edição

Seção

ENSAIOS E TEMAS INTERDISCIPLINARES