A MÍSTICA VAMPIRESCA NA PASSAGEM AO NOVO MILÊNIO

Autores

  • Iliane Tecchio
  • Ronaldo Lima

Resumo


Trata-se de estabelecer relações entre as flutuações sócio-culturais, embaladas pela inexorabilidade do tempo e representações decorrentes dos imaginários humanos no culto às entidades transcendentais como os vampiros, lançados às fontes profanas, aos simulacros das interdições. As conceitualizações a respeito do mal encontram nas expressões estéticas os meios para definir traços e configurações intrínsecas às bestas julgadas malignas. Na entrada do novo milênio, à aura pós-moderna e à égide das evoluções científicas e tecnológicas, a mística vampiresca mantém-se viva na tradição ocidental. À ótica de filósofos da linguagem como Barthes (1980, 2002), Lacan (1995), Frege (1978), Davidson (1984), entre outros, propõe-se um percurso para discutir o sucesso da figura do vampiro na passagem ao novo milênio.PALAVRAS-CHAVE: mitos; representações do mal; cultura vampiresca.

Downloads

Publicado

14-05-2013

Como Citar

TECCHIO, I.; LIMA, R. A MÍSTICA VAMPIRESCA NA PASSAGEM AO NOVO MILÊNIO. Travessias, Cascavel, v. 6, n. 3, 2013. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/travessias/article/view/6897. Acesso em: 9 dez. 2021.

Edição

Seção

CULTURA