ANALOGIA ANATÔMICA E MUSICAL DA ESTRUTURA POÉTICA EM CONFISSÃO DE JOSÉ FERNANDES

Autores

  • Rubens Martins da Silva

Resumo


O presente artigo faz uma breve analogia entre a anatomia e a música para revelar que a poeticidade não está presa na estrutura do poema. A leitura de Confissão de José Fernandes (2002) é o elemento substancial da crítica realizada. As discussões apoiaram-se na teoria de Lefebve (2008). O caráter anatômico pelo sangue estuoso e pelo estudo das notas pelo foco musical são os elementos utilizados para a percepção da arte literária pela potencialidade que cada palavra apresenta. Os pontos enunciados deste artigo, pela anatomia e pela música, dão, pelo viés da crítica textual, o entendimento de que a poeticidade não se projeta na pelo poema através de suas rimas ou ritmos, mas pela opacidade que cada palavra se veste e, como resultado dá ao leitor as possibilidades de identificar a profunda arte literária. Palavras-chave: Confissão. Anatomia. Música. Poética.

Downloads

Publicado

03-08-2014

Como Citar

DA SILVA, R. M. ANALOGIA ANATÔMICA E MUSICAL DA ESTRUTURA POÉTICA EM CONFISSÃO DE JOSÉ FERNANDES. Travessias, Cascavel, v. 8, n. 1, 2014. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/travessias/article/view/9222. Acesso em: 25 out. 2021.

Edição

Seção

LITERÁRIA