A GUERRA CIVIL E O PÓS-GUERRA ESPANHOL NA FICÇÃO: O ROMANCE LAS TRECE ROSAS

Autores

  • Patrícia Dal’moro Mendes
  • Adriana Aparecida de Figueiredo Fiuza

Palavras-chave:

Literatura Española, Guerra Civil Española, Las trece rosas

Resumo


As representações que intercruzam histórias ficcionais com histórias baseadas em perspectivas reais são comumente percebidas em tramas de cinema e literatura. Las trece rosas, romance (2003), possui a presença da história em sua composição ficcional. Nosso trabalho objetiva apontar os aspectos históricos encontrados na obra, analisar e refletir sobre a história e as memórias contidas no romance, especificamente, na forma como as narrativas configuram as personagens conhecidas como as treze rosas e respectivamente os acontecimentos históricos que acarretaram na prisão e na morte das protagonistas. Analisamos aspectos relacionados às personagens históricas nas quais a obra é baseada e nos acontecimentos históricos da época ligados às protagonistas. Nossas exposições e análises foram elaboradas a partir de estudos bibliográficos, considerando contexto histórico de Guerra (1936-1939) e pós-guerra Civil Espanhola (1939-1975). Percebemos, por meio das pesquisas destinadas a este trabalho, que a história e as memórias de uma nação são importantes para o desenvolvimento de uma identidade social e podem proporcionar às artes uma nova forma de compor as ficções. As treze rosas representam as vozes femininas e anônimas das vítimas do regime imposto, portanto, recuperar estas vozes é buscar a identidade perdida no passado.

Downloads

Publicado

01-01-2000

Como Citar

DAL’MORO MENDES, P.; APARECIDA DE FIGUEIREDO FIUZA, A. A GUERRA CIVIL E O PÓS-GUERRA ESPANHOL NA FICÇÃO: O ROMANCE LAS TRECE ROSAS. Travessias, Cascavel, v. 7, n. 2, 2000. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/travessias/article/view/9356. Acesso em: 28 out. 2021.

Edição

Seção

DOSSIÊ TEMÁTICO: ARTE, COMUNICAÇÃO, CINEMA, MEMÓRIA E CULTURAS HÍBRIDAS