Perdas nas operações de colheita e recolhimento mecanizados do café arábica na região do cerrado mineiro

Cleyton Batista de Alvarenga, Nalberto Ângelo Val Júnior, Victor Luís Pedroso Val, Renan Zampiroli, Paula Cristina Natalino Rinaldi

Resumo

O café é atualmente um dos produtos agrícolas mais valorizados da agricultura brasileira. Na região do cerrado de Minas Gerais, a colheita mecanizada é realizada na maioria das propriedades. A fim de determinar as perdas ocorridas na colheita mecanizada do café arábica, este trabalho foi conduzido no Município de Monte Carmelo, Minas Gerais. O experimento consistiu em determinar as perdas na colheita e recolhimento do café, visando auxiliar os ajustes dinâmicos necessários durante a colheita. O delineamento foi em blocos ao acaso, com 4 repetições, e os dados de perdas na derriça, retido na planta e caídos no chão foram analisados utilizando ferramentas da estatística descritiva. Para o recolhimento, comparou-se os resultados das recolhedoras Master Café 2 e Dragão tigre, por meio da análise de variâncias e teste de “F” a 5% de probabilidade. O momento da colheita afetou diretamente as perdas observadas na operação de derriça do café. No estágio de maturação em que a colheita foi realizada as perdas para o chão foram maiores que as de café retido na planta. Este método de estimativa das perdas foi considerado prático e de fácil entendimento pelo cafeicultor e pela equipe de colheita da fazenda. A Master Café 2, recolheu 54% mais café de chão em relação a Dragão Tigre.

Palavras-chave

Colheita mecanizada; café; derriça

Texto completo:

PDF