Territórios do Cotidiano: a Prostituição de Rua na Região Central de Curitiba (PR)

Rafael da Silva Tangerina, Adilar Antônio Cigolini

Resumo

Este estudo, de caráter exploratório e qualitativo, procurou compreender a prática e a dinâmica da prostituição de rua na região central de Curitiba - capital do estado do Paraná, pelo viés de suas espacialidades e relações socioterritoriais. O trabalho de campo colocou-se como um dos pilares metodológicos, além da pesquisa bibliográfica e documental. Buscamos delimitar e analisar os territórios de atuação de prostitutas, michês (garotos de programa) e Trans (travestis e transexuais profissionais do sexo), marcados por limites e desdobramentos de suas territorialidades que, por sua vez, estão em um processo permanente de (re)construção e (re)organização frente ao campo de forças que atua na dinâmica do espaço intra-urbano. Considerando o território, prioritariamente, como um conjunto de relações sociais, um campo de forças do poder espacializado, constatamos que diferentes segmentos da prostituição de rua territorializam por certo período de tempo, ruas, praças, avenidas e um parque público cravado no centro da cidade. Em suma, verificamos que os diferentes segmentos da prostituição de rua criam condutas e códigos internos de ação cotidiana visando manter suas práticas atuantes e que, ao promoverem a territorialização de espaços públicos de uso livre e comum, reafirmam suas identidades por meio destes territórios, caracterizando-os como reflexo e condicionante para a reprodução das relações sociais de poder.

Palavras-chave

Prostituição; Espaço urbano; Território; Curitiba.

Texto completo:

PDF