Rede Urbana do Amazonas: a Dinâmica Comercial no Médio Solimões a partir de Tefé

Eubia Andréa Rodrigues

Resumo

Ao comparar a atuação e a finalidade do capital externo no Amazonas, percebe-se que a estrutura urbana se diferencia aliada, também, as condições naturais. Não se pode falar da rede urbana do rio Solimões sem antes entender como se processaram as diferenças espaciais no Estado, em consequência de sua hidrografia. Portanto, o presente artigo tem como objetivo a exposição de um estudo sobre a rede urbana no Médio Solimões a partir de Tefé, considerando os aspectos econômicos, sociais e ambientais. Para o discurso sobre rede, pautamo-nos em Corrêa, Sposito e Schor que, juntamente com o trabalho de campo, nos proporcionou uma maior reflexão sobre a rede urbana no Médio Solimões, que tem Tefé como um importante “nó” desde o período da colonização, quando se consagrou como entreposto comercial. Entretanto, ainda são necessários estudos sobre todas as cidades do Amazonas, principalmente as que formam a região em questão, a partir de quem vivencia o lugar e a análise de suas particularidades, para contrapô-las com os estudos existentes, fazendo uma ressalva de que os resultados das pesquisas sejam, efetivamente, de qualidades, para posteriormente confrontar os dados e consolidar a proposta do NEPECAB para a estruturação urbana do Amazonas.

Palavras-chave

Rede urbana; Economia; Médio Solimões; Tefé.

Texto completo:

PDF