HEPATITE A EM PONTA GROSSA (2005 – 2010): UMA ABORDAGEM DA GEOGRAFIA DA SAÚDE

Karin Linete Hornes, José Mauro Palhares, Lígia Maria Rodrigues dos Santos, Rosana Pinheiro

Resumo

O presente artigo foi desenvolvido no curso de bacharelado em Geografia da Universidade Estadual de Ponta Grossa e tem por objetivo verificar como se dá a relação espacial da hepatite A no município de Ponta Grossa, entre 2005-2010. A necessidade dessa espacialização é a de avaliar se existe conexão entre fenômenos naturais ou sociais na disseminação da doença para, então, encontrar os possíveis responsáveis de sua disseminação, propondo subsídios para reduzir o número de contaminações. A justificativa deste trabalho é de objetivar metas e estratégias de planejamento para combater a doença, buscando oferecer subsídios para reduzir o número de contaminações. Os métodos e materiais utilizados foram levantamentos de dados cadastrais e bibliográficos, materiais cartográficos apoiados em sistemas de informação geográfica, pesquisas quantitativas e qualitativas aplicadas nos bairros de maior proliferação da doença. A Geografia da Saúde e a teoria do geossistema foram fortes aliados para a análise da questão, pois possibilitaram uma compreensão integrada da evolução e da dinâmica ambiental, podendo ser aplicada para a resolução de problemas sociais relacionados ao comportamento dos sistemas naturais.

Palavras-chave

Geografia da Saúde, Geossistema, Hepatite A

Texto completo:

PDF